Auxílio-doença para os autônomos

Comentei bastante a triste história do marisco, atirado ao léu durante a briga do rochedo contra o mar. É o trabalhador que recebe alta do INSS mas não é aceito pelo empregador porque, segundo o departamento médico da empresa, não está apto para o trabalho. Enquanto ele corre de um lado pro outro, não sabe quem pagará seu salário, ou mesmo se alguém pagará. É importante lembrar que o trabalhador autônomo também tem direito ao auxílio-doença.

Logo de cara existe uma diferença bastante interessante: o auxílio-doença é devido ao segurado que fica incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, mas enquanto para o assalariado o INSS começa a pagar no 16º dia, para o autônomo o pagamento é desde o primeiro dia de afastamento do trabalho. Isto porque para o assalariado os primeiros 15 dias são obrigação do empregador.

Assim, se o autônomo fica incapacitado por menos do que 15 dias não receberá benefício nem salário, mas se tiver direito ao auxílio-doença (incapaz por mais de 15 dias) será desde o primeiro dia da incapacidade. É bom lembrar também que o autônomo não tem patrão para encaminhá-lo ao INSS, ele mesmo deve procurar a autarquia e requerer a devida perícia médica.

E ainda vale saber que a média servindo de base para o benefício (91% para o auxílio-doença e 100% para a aposentadoria por invalidez) é dos maiores salários que representem 80% de todos desde julho de 1994. Portanto, sempre cabe dar atenção para o valor das contribuições.

COMENTÁRIOS: 660 comentários

  1. José Ricardo disse:

    Dr Sérgio boa noite. Gostaria de acrescentar a seus sempre ótimos comentários que seria muito útil se pudéssemos esclarecer alguns detalhes aos autônomos. De fato quem paga o INSS como autônomo em tese faz jus a todos os benefícios desde que preencha os requisitos. Ocorre que um dos requisitos, e o principal é que ele seja considerado incapaz pela perícia médica. E pelas leis que regem a avaliação pericial previdenciária, é necessário que o segurado trabalhe. De certo que no caso dos autônomos a função não precisa ser comprovada, porém, muitos autônomos solicitam perícia médica para pleitear auxílio doença sem nunca terem trabalhado, sendo sustentados por outras formas como parentes e até programas sociais do governo. Curiosamente muitos destes segurados acabam por reclamar de indeferimentos de maneira até violenta.
    Como perito previdenciário, defendo ainda que deveria haver alguma espécie de limitador para que este cidadão que não trabalha fosse esclarecido sobre os benefícios por incapacidade para que não solicitasse perícia médica em vão, contribuindo para a situação atual de filas.
    Grato por ler meu comentário, José Ricardo

    • Oi, José Ricardo, como eu já disse, é muito bom trocar idéias. Em relação à função do perito, a mim parece que a análise da incapacidade laboral não pode estar, como você aponta, apenas relacionada ao trabalho que efetivamente o segurado presta. Até porque o segurado facultativo (só pode ser segurado facultativo se não estiver trabalhando, senão seria segurado obrigatório) também tem direito ao auxílio-doença ou à aposentadoria por invalidez, sem qualquer restrição, conforme a lei 8.213/91, dos Benefícios Previdenciários. Isto sem falar no desempregado ainda no período de manutenção da qualidade de segurado.
      Assim, segurado do INSS incapacitado para o trabalho, esteja ou não exercendo-o, tem direito aos benefícios da autarquia. A análise social do perito não pode ser apenas contra o segurado, se este está trabalhando ou não, mas também ao seu favor, por exemplo analisando a situação do soropositivo de HIV com todas as dificuldades decorrentes. É sempre muito bom conversar com você.
      Pardal

      • José Ricardo Gomes de Alcântara disse:

        Dr Sérgio, gostaria de frisar que é fato que o trabalhador vinculado à previdência tem direito aos benefícios por incapacidade, porém apenas quando reconhecida a incapacidade pela perícia médica. É este pequeno fator que por vezes é menosprezado como se da perícia não dependesse a concessão do benefício. A perícia médica por sua vez somente avalia incapacidade na presença de trabalho. Se fica claro que o segurado se mantém por alguma via que não seja o trabalho, seja ele formal ou informal, a avaliação pericial fica prejudicada. A meu ver é fácil compreender pois o benefício existe apenas para sustentar o trabalhador que por agravo de sua doença deixou de receber seu salário, e se o mesmo não se sustenta pelo trabalho, não é motivo para perceber o benefício em questão. Talvez faça jus a outros benefícios assistenciais federais mas não ao benefício por incapacidade.
        Obrigado pelo espaço!

        • Prezado José Ricardo, a avaliação da perícia médica “somente… na presença do trabalho” como você pretende, não encontra guarida nem na lei, nem na jurisprudência nem em qualquer doutrina. Basta observar que filho maior de 21 anos e inválido tem direito a pensão por morte de pai ou mãe que lhe possa faltar. E o INSS com certeza irá exigir a comprovação da invalidez deste filho através de sua “perícia médica”; e que encontrará grandes dificuldades se acompanhar a sua idéia. Importante também observar o segurado facultativo, contribuinte e sem trabalhar. Ele tem direito ao auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, além de todos os benefícios previdenciários, está contribuindo para isto. Aquele que não contribui é que depende de benefícios assistenciais, e para isto precisa provar que não tem qualquer sustentação, seja formal ou informal. Invalidez, do ponto de vista previdenciário, é a incapacidade para o trabalho; o trabalho habitual ou o que lhe possa garantir a subsistência.
          Pardal

          • José Ricardo disse:

            Dr Sérgio boa noite e desculpe insistir no tema pois considero fundamental ao leitor. A Lei 8213 fala sobre o auxílio doença no seguinte artigo como é de seu conhecimento:
            …Art. 59. O auxílio-doença será devido ao segurado que, havendo cumprido, quando for o caso, o período de carência exigido nesta Lei, ficar incapacitado para o seu trabalho ou para a sua atividade habitual por mais de 15 (quinze) dias consecutivos.
            Parágrafo único. Não será devido auxílio-doença ao segurado que se filiar ao Regime Geral de Previdência Social já portador da doença ou da lesão invocada como causa para o benefício, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão….
            Sendo assim a atuação da perícia é regida pela presença do trabalho.
            Já no caso da invalidez:
            …Art. 42. A aposentadoria por invalidez, uma vez cumprida, quando for o caso, a carência exigida, será devida ao segurado que, estando ou não em gozo de auxílio-doença, for considerado incapaz e insusceptível de reabilitação para o exercício de atividade que lhe garanta a subsistência, e ser-lhe-á paga enquanto permanecer nesta condição….
            Portanto, não é necessário que o segurado esteja em auxílio doença para preencher critérios de invalidez. Daí a justificativa para pensão ao maior inválido pois a incapacidade é omniprofissional.
            Por outro lado, como no artigo 42 inválido é considerada a pessoa que não tem condição de se sustentar por qualquer trabalho. Pelo que está escrito na lei, se a pessoa tiver condição de ficar sentada em um elevador como ascensorista, já não preenche critérios para ser considerado inválido. Ambos os conceitos são independentes por completo embora o segurado que está incapacitado possa evoluir por piora ou por comorbidades para invalidez.
            Também não concordo com muitas destas assertivas mas infelizmente como peritos não podemos interpretar a lei, apenas cumprí-las conforme o regulamento e o treinamento que nos é passado.
            Espero ter contribuído, José Ricardo

          • Oi, José Ricardo, “atividade que lhe garanta a subsistência” deve refletir a condição que o segurado teria em atividade. Portanto, quem tinha uma atividade de razoável nível de complexidade, com a consequente remuneração, terá sua subsistência em condições próximas, ou seja, engenheiro não pode virar ascensorista de elevador. Vou questionar de novo: o segurado facultativo não teria direito ao auxílio-doença? E o que seria a invalidez do filho que sempre esteve inválido, nunca capacitado para qualquer trabalho?? Tanto interpretar quanto cumprir a lei são funções dos profissionais do Direito, advogados e juízes; para o perito resta responder se o segurado está apto ou não para o trabalho, e, se estiver, para qual. Sua contribuição, amigo José Ricardo, é sempre bem vinda, o que não quer dizer que eu concorde com ela.
            Pardal

          • Estou contribuindo a dois anos e sete meses,sou autonoma,trabalho com vendas de porta a porta,ando bastante o esforço é grande,estou sentindo muitas dores no joelho direito a alguns meses,tá inchando muito com bastante frequencia,tem horas que não consigo andar direito,como também furadas por baixo do pé,gostaria de saber se tenho ao auxílio doença.

          • Oi, Maria Eunice, se você está contribuindo há mais de dois anos e estiver incapacitada para o trabalho, terá direito sim ao auxílio-doença, mas dependerá da perícia médica do INSS.
            Pardal

          • Dr. Sérgio necessito de sua sabedoria por favor! Contribuí com o INSS até o pagamento via carnê onde paguei a última parcela em Maio/2011 (Mas o INSS alega e está certo referia ao mês de Abril/2011; Ocorre que em 22/6/2012, fui hospitalizado no Hospital de Base de Rio Preto/SP, com fratura de calcâneo, onde fiquei por dois meses e 7 cirurgias, fiquei inválido, socorrendo ao INSS ao Auxílio Doença, e mesmo sendo confirmado pelo médico perito do INSS o qual colocou inválido até final de 2013, deparei com o prazo da carência de 12 meses, mesmo com o prazo de graça, o qual poderia ter ficado 2,5 meses sem contribuir o Técnico do INSS alega que meu prazo foi findo no 16° do mês de junho de 2012 e meu acidente ocorreu em 22/06/2012, conforme todos os laudos do Hospital e médicos, Tenho chance em adquirir o Auxílio? uma vez que agravou-se meu estado físico e mal consigo caminhar? por favor abra uma janela para que eu ainda possa ter esperanças e se for possível enviar sua mensagem para meu e-mail valeriograciano@yahoo.com.br o mais rápido possível, muito obrigado

          • Oi, Valério, realmente a sua qualidade de segurado terminou no dia 15 de junho, quando vencia o prazo para você pagar a contribuição de maio. Se você tivesse voltado a contribuir poderia alegar agravamento e incapacidade laboral a partir de agora. De outra forma será muito difícil.
            Pardal

        • Oi, Adriano, basta contribuir para o INSS, pode inclusive ser como facultativo.
          Pardal

      • val disse:

        gostaria de saber se tenho direito de receber o auxilio doença que minha mae recebia,sou filha unica,estou afastada pelo inss por tratamento psiquiatrico.como devo proceder?

        • Oi, Val, o auxílio-doença é devido apenas para os segurados, os que estão contribuindo para o INSS. Para os dependentes existe a pensão por morte, mas para filhos até 21 anos ou inválidos. Se você está “afastada pelo INSS” deve estar recebendo o seu auxílio-doença, e portanto sem direito a pensão por morte.
          Pardal

      • meu amigo trabalhou 5 anos registrado a muito tempo a traz depois ficou doente e não pode mais trabalhar quando tempo ele tem que contribuir com o inss para poder entrar no auxilio doença ?

        • Oi, Milena, não será possível um benefício do INSS em razão da doença atual, mesmo que ele comece a contribuir. O INSS alegará doença pré-existente e negará qualquer benefício.
          Pardal

          • boa noite dr sergio sou a ana maria que pago baixa renda ganhei o beneficio ate 30 de julho e eles alegam porque minhas conrtribuiçoes na aparecer no sistema por esse motivo foi indeferido ja fiz recurso desde do dia 22 de abril e ate agora n recebi nada ja liguei pra brasilia cada pessoa fala uma coisa estou indo no posto eles falam que n e polbrema deles ja liguei para gerente executiva de belo horizonte ja fui ao a gerençia executiva de niteroi que e responsavel pelos posto de do inss da cidade ela ligou para o posto falou com o inresponsavel que o meu artigo e 1929 nao era nem pra mim fazer recurso eles tinham que mandar uma cpopia para ela validar no sistema para eu receber me mandou volta la ele nem veio fala comigo saiu e nao voltou mas ai eu fui atendida num balcao e o rapaz deixou uma copia em cima da mesa dele e nada ja estar terminando meu beneficio e nao resolveram nada olha dr. sao um bandos de safados eles fazem descaso do pobree falam que e polbrema do governo que inventou baixa renda com sinceridade ja nao sei o que fazer estou revoltada sem dinheiro ate para comprar remedios ai fico para la e para ca estou desesperada com dor muita dor joelho inchado juro por deus ja nao aguento mas so falta agora eu ir na superitendençia no rio de janeiro e aja dinheiro de passagem sao as pessoas amigas que estao me ajudando na passagem eu nunca na minha vida passei tanto costrangimento estou tanto revoltada ja me deu vontade de joga gasolina e toca fogo naquela desgraça esrtou muito revoltada mesmo

      • Ás vezes fico pensando na função da Previdência no nosso país: facilitar o trabalho dos atravessadores ou fazer com que o contribuinte, que tem direitos, tenha de entrar com ação judicial, pagar de 30% a 50% do direito a que lhe cabe a um advogado.Pois é só assim que se consegue, a maioria das vezes, o direito a um auxílio previdenciário no nosso país. O que aconteceu com meu marido foi um absurdo. Entrou em coma em 2000, com apenas 38 anos,tentei várias vezes na agência de Palmeira dos Índios, AL dar entrada num auxílio qualquer que lhe desse dignidade de apenas receber custas para que eu pudesse pagar a um cuidador, comprar a medicação necessária,materiais básicos para alguém que está em coma, tais como: fralda, alimentação apropriada, colchão antiescara e outros. Não me deixavam nem dar entrada, pois alegavam que meu marido devia à Receita Federal. Em 2006 marcaram uma perícia, mas nenhum médico apareceu, com a mesma alegação. Tive de trabalhar 18h diárias e cuidar dele durante a madrugada, pois tinha de sustentar ele e 4 filhos menores. Como minha cunhada trabalhava no INSS não me deixava procurar atravessador nem advogado, fato de que eu me arrependo até hoje. Pois todas as pessoas que procuram esse tipo de serviço conseguem.Em 2009, desiludida com está estória de direito, procurei um advogado, não deixaram, também, ela dar entrada para meu marido ter direito pelo menos à perícia. Foram taxativos, ele não podia. Até que meu marido faleceu em 2010, mesmo sabendo que não tinha direito à pensão alimentícia fui lá e exigi ter direito à entrada, dei mas foi negada. Hoje quem está precisando de auxílio sou eu. Sequelas do excesso de trabalho e das noites sem dormir: depressão e uma labirintopatia crônica e refratária sem solução. Não posso mais trabalhar em cursinhos, fazer concurso, exercer minha profissão de professora. Minha vida profissional acabou aos 43 anos. Acho injusto tudo isso. A previdência diz que ninguém precisa procurar atravessador ou advogado, mas o que nós vemos na prática é totalmente diferente. Pedi à empresa a que ele tinha o nome vinculado pagar o INSS dele, mas a Previdência levou em consideração que o pagamento só foi feito apenas para meu esposo tivesse direito, não adiantava pagar pois ele já estava doente. Ele tinha uma empresa no nome dele. É muito triste saber que em outros países o próprio Estado custeia as despesas de alguém que se encontra em coma, no nosso, esperam as pessoas serem devoradas por urubus, encher-se de escaras, morrer de fome se não tiver alguém para lhe colocar alimento na boca. Meu marido não teve escaras, pois lutei muito para que isso não acontecesse. Psicologicamente, o estado não pode mais fazer nada por mim nem por meus filhos, mas eu queria que existisse uma brecha na lei para ele me pagar financeiramente por tudo o que eu, meu marido e meus filhos tivemos de sofrer. E custear a faculdade da minha filha menor atualmente. Até hoje o meu salário é só para pagar dívidas decorrentes daquela época.

      • ola, eu tenho uma hernia de disco rompida e não consigo andar direito e estou incapaz de trabalhar,não trabalho fora sou dona de casa tenho 34 anos e nunca contribui pro inss, eu vendo produtos de revista como HERMES, QUATRO ESTAÇÃO , HIROSHIMA E GOLFRAN FIANCE, eu quero saber se tenho direito de me encostar ou receber algum beneficio, obrigada espero a resposta.

      • Boa tarde, preciso que me esclareça uma dúvida, trabalho registrada, hoje sou Assistente Financeira, contribuo a 11 anos,antes contribuia como Costureira, e fiz uma cirurgia de histerectomia dia 04/04/14 desde então estou a 3 meses aguardando para passar na perícia do Inss,quanto a cirurgia já estou bem, o problema e com Inss que todo mês eles remarcam para o mês seguinte. alegam falta de documento, sistema fora do ar, falta de perito e no decorrer desses meses por eu ter também problema de visão (eu já tenho um laudo médico de 23/01/2014, de” cegueira por ebliopia e extrabismo no olho direito” )e há um mês voltei ao meu oftalmologista porque percebi maior dificuldade na minha visão, visão embaçada, dor no olho,dor de cabeça, mesmo usando óculos para correçao do olho bom tenho baixa visão, então meu médico me disse que meu olho bom já está com o grau máximo para enxergar perto/longe e que meu olho não ficará melhor mesmo com mais correção porque ele está sobrecarregado por causa do olho direito que não enxerga e que a tendência é ele piorar ainda mais até eu ficar cega também do olho esquerdo, e tenho também um laudo médico do dia 23/01/14 de um neurologista e de um psiquiatra que me atendeu numa crise nervosa, que eu tive no trabalho por ter sido discriminada e chamada de cega na frente dos colegas, neste dia cheguei a marcar a perícia no Inss (tenho o nº do Protocolo),para pedir meu afastamento, mas não comparecí, fiquei de licença 10 dias e retornei ao trabalho, minha pergunta é: eu posso nesta mesma pericia que ainda irá acontecer apresentar esses laudos de 6 meses atrás pedindo licença por incapacidade devida a minha baixa visão e o stress que tenho sofrido decorrente da falta dela ? eu teria direito ao auxilio doença prorrogado sendo os CID diferentes? Por eu ser monocular desde criança mas só receber o laudo a 6 meses atrás eu tenho direito ao afastamento pelo agravamento da doença, ou mesmo por ela só?

        • Oi, Ana,

          O Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS. Não será devido o benefício ao segurado que se filiar ao Regime Geral da Previdência Social já portador da doença ou da lesão invocada como causa para ao benefício, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão, situação que costuma gerar demandas judiciais em razão da negativa do INSS em conceder o benefício.

          Pardal

          • Dr Sergio, bom dia! Poderia me ajudar em uma dúvida? Trabalhei de carteira assinada por 5 anos aproximadamente no meu penúltimo emprego, e por 1 ano no meu ultimo emprego que foi em março 2011 o último mês trabalhado. O fato é que em 2009 fiz uma cirurgia bariátrica e comecei a adoecer cerca de 1 ano e meio depois (entre 2010/2011) em decorrência dessa cirurgia. Fui a vários médicos nesse período, mas nenhum conseguia descobrir o que eu tinha, fui ficando cada dia mais debilitada e fiquei sem ter um diagnóstico até Maio de 2014 quando finalmente um neurologista descobriu a minha doença. Nesse período (data do ultimo dia trabalhado) até hoje estou sem contribuir. Se eu começar a contribuir agora como autônoma, eu conseguiria o benefício do auxilio doença?? Ressaltando que eu já estava doente desde 2011 quando ainda estava contribuindo, mas somente esse ano fui diagnosticada e de alguns meses pra cá a doença me deixou TOTALMENTE debilitada para o mercado de trabalho, por esse motivo não requeri o benefício antes, porque até então eu não estava precisando tanto como agora. O que o Sr. me aconselharia?? Muito obrigada!

          • Oi, Gisele,

            O Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS. Não será devido o benefício ao segurado que se filiar ao Regime Geral da Previdência Social já portador da doença ou da lesão invocada como causa para ao benefício, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão, situação que costuma gerar demandas judiciais em razão da negativa do INSS em conceder o benefício. Para ter direito à percepção do auxílio-doença o segurado deverá ter cumprido a carência equivalente a doze contribuições mensais.
            Há situações em que os segurados ficam um período sem contribuir e, mesmo assim, têm direito aos benefícios previdenciários. É o chamado “período de graça” ou período de manutenção da qualidade de segurado. O prazo de manutenção da qualidade de segurado depende, principalmente, do tempo de contribuição antes da interrupção dos recolhimentos.
            Para quem contribuiu por menos de dez anos, a perda da qualidade de segurado ocorre 12 meses após a interrupção da contribuição. Já o “período de graça” para os trabalhadores que contribuíram por mais de dez anos é de 24 meses. Em ambos os casos, se a pessoa estiver recebendo seguro-desemprego, esses prazos são acrescidos de 12 meses.
            Para voltar a ter direito aos benefícios, o trabalhador que perdeu a qualidade de segurado terá de contribuir para a Previdência por, pelo menos, um terço do tempo mínimo exigido – a chamada carência – para cada tipo de benefício. No caso do auxílio-doença, por exemplo, a carência exigida é de 12 meses. Mas, para alguém que perdeu a qualidade de segurado, as contribuições anteriores só serão consideradas para a concessão do auxílio-doença se, depois de voltar a contribuir, houver, pelo menos, quatro novas contribuições.
            Pardal

  2. Dècio disse:

    Quero aqui deixar a minha indignação contra este sistema previdenciario que só visa ele mesmo. Pois estava em auxilio doença por acidente de trabalho, (espécie 91) e realizei uma perícia no dia 22/05/12. Como sempre apresentei laudos, exames, etc. Ao verificar os exames, o laudo médico e tb me examinar, o próprio perito constatou que fiquei com sequelas deste acidente e disse que me colocaria no auxilio acidente (palavras do perito, É UM DIREITO SEU). Pois para conceder o auxilio acidente, tinha que encerrar o auxilio doença. O perito me orientou que o auxilio acidente iria ser homologado e para eu aguardar em casa a carta do novo auxilio. A carta chegou e para minha surpresa estava indeferido e fiquei sem os dois auxilios. Entrei com recurso e marquei uma nova perícia só para o final de setembro para ver se pelo menos consigo reativar o auxilio doença. Preciso de uma orientação. Obrigado Dr.

  3. Rogéria disse:

    Quando o segurado é empregado e também há recolhimento por prestação de serviços que presta a empresas, como é calculado o auxilio doença desse segurando? Considera as duas qualidades de segurado?

    • Oi, Rogéria, se as duas contribuições ocorreram durante todo o tempo e sem ultrapassar o teto máximo, deve ser considerada a soma. Nas aposentadorias voluntárias existe a aplicação parcial da denominada atividade secundária, mas isto ainda será objeto de textos neste blog.
      Pardal

  4. ORMAC disse:

    Boa noite, Dr Sergio. A Constituição de 1988 desvinculou os beneficios do salário mínimo. Pergunto: Os contribuintes que se aposentaram antes de 1988 não deveríam ser protegidos pela lei dos direitos adquiridos? Obrigado

  5. JACIRA disse:

    Boa noite Dr. Sérgio o beneficio de auxilio doença de autonomo cessa em acordo com o ultimo dia do atestado medico ou só depois que eu realizar a pericia? Isto porque me médico me meu um atestado de 30 dias porem só consegui fazer a pericia no exato 60o.dia embora ja tivesse agendado a pericia logo no inicio do meu afastamento. Acontece que fiquei sem trabalhar por esses 60 dias julgando eu estar afastado pelo INSS e não podedndo voltar sem que passasse por essa perícia. Dei entrada não sei se receberei 30 dias ou 60 dias?

    • Oi, Jacira, vai depender da resposta da perícia, provavelmente vai ser avaliado o período em que supostamente você estaria incapacitada para trabalhar. De qualquer forma, na perícia você deveria alertar sobre a demora no atendimento. É aguardar a resposta para ver.
      Pardal

  6. rosemary pedrosa leal disse:

    sou diarista estou com problemas na coluna esperando pelo sus consulta e exames de um ortopedista. marquei pericia no sia 11-10 2012 a pericia foi realizada no dia 22-10-2012. ontem veio a resposta que meu pedido foi indeferido.o que devo fazer

    • Oi, Rosemary, voce pode recorrer administrativamente ou entrar com uma ação judicial, e é muito importante ter um bom relatório do médico que lhe atender para apresentar na perícia. O perito médico do INSS deve ter analisado que você estaria apta para o trabalho. É preciso provar o contrário.
      Pardal

  7. Renira Araújo da Silva disse:

    Boa Noite! As perguntas que faço são as seguintes: Um contribuinte que paga autonomia há 11 mêses,tem direito ao auxílio doença? O contribuinte perde á qualidade de segurado por ter interrupção de 10 anos sem carteira assinada? Perde os anos trabalhados anteriormente? E se o contribuinte paga um ano e para novamente,como fica isso? Perito dá direito,Inss,não? Como vou comprar meus remédios,pagar carro para ir ao hospital? Que país é esse? Gostaria de uma resposta.

    • Oi, Renira, o segurado que já tinha mais de um ano de contribuições, quando perde a qualidade de segurado deve contribuir por pelo menos quatro meses para readquirir. O grande problema é que nenhum seguro, nem o INSS, pode pagar benefício decorrente de uma doença que já existia quando o trabalhador voltou a contribuir. Existem benefícios assistenciais que você também pode tentar. Nem sempre se consegue, mas deve tentar.
      Pardal

  8. Renira Araújo da Silva disse:

    Outra pergunta para quem puder me responder: Tenho um irmão com hérnia de hiato no estômago impossibilitando-o de continuar trabalhando como autônomo,devido ao cansaço,dor de cabeça e dor nas pernas devido á fraqueza. Paga religiosamente seu inss como autônomo,ele é camelô,ou melhor era,pois bem,foi pedir auxílio,não deram,nem provando os fatos com exames pedidos pelos médicos do sus. Então á pergunta que eu faço é a seguinte:Para que pagar inss,se na hora que o cidadão precisa,não tem?Como ele vai sustentar á família,abrindo á boca deixando o vento entrar? Pobre vive do seu suor,mas quando precisa de um órgão como esse,ele é massacrado.Vergonha de ser Brasileira!

    • Oi, Renira, realmente são grandes os problemas que ocorrem nas perícias do INSS. A melhor saída é ajuizar uma ação, com um bom laudo médico provando a incapacidade para o trabalho. O cidadão deve lutar por seus direitos.
      Pardal

  9. Sua como você aprender a minha mente! Você parece entender muito de aproximadamente isto, como você escreveu o livro e nele ou algo assim. Eu acho que você pode fazer com alguns por cento, para forçar a mensagem para casa um pouco , no entanto que não , que é excelente blog . Uma ótima leitura . Eu definitivamente estarei de volta. abraço!

  10. Alexandre disse:

    eu como leigo, fico satisfeito com tais comentarios, vou aprendendo lendo opinioes diferentes para ter uma pequena ideira de como funciona a previdencia. grato.

  11. eliane do rocio michaski disse:

    Boa tarde dr.Sérgio, meu filho tem 29 anos e seus ultimos trabalhos foram de angaridor de imóveis autonômo,no momento esta fazendo um tratamento para esclerose sistemica ,do qual passou por um transplante de células em maio deste ano estando assim impossibilitado de trabalhar, eu pedi minha conta no trabalho em janeiro deste ano para poder acompanha-lo no tratamento , fomos para o Hc DE ribeirão preto em março deste ano e ficamos em tratamento até final de julho,estamos fazendo ainda retornos ao Hc de ribeirão,ainda preciso acompanhá-lo nos retornos,ele ainda está impossibilitado de trabalhar por ordem médica,e não conseguiu auxilio doença pelo fato de que foi pago apenas 2 meses de inss ,portanto não tem renda….,que direitos podemos recorrer nesses casos Dr? Ele esta desesperado cheio de contas que ficaram para tráz ,casado e com 1 filha, não sei mais onde procurar ajuda para saber se ele tem direito a algum tipo de beneficio,eu agora que consegui um emprego e vou começar dia 01/12.vamos voltar a ribeirão novamente no dia 16/12 para consulta e varios exames no dia 17/12. desculpe me prolongar tanto no assunto,preciso muito de alguém para nos direcionar ..isso é se existir alguma coisa a se fazer ainda . obrigada

    • Oi, Eliane, eu já vi a sua outra informação e infelizmente sua filho não terá direito a benefícios do INSS porque não é contribuinte. Além dos dois meses de contribuição não completarem o período mínimo de carência, quando começou a contribuir já estava doente, não seria coberto pelo seguro social. Para ter direito aos benefícios do INSS é preciso estar contribuindo e todos os trabalhadores são segurados obrigatórios. Ele pode ter direito a um benefício assistencial de um salário mínimo, pela Lei Orgânica de Assistência Social, mas além de provar a invalidez é necessário provar ainda o estado de miséria.
      Pardal

  12. OI Sergio meu marido e autônomo e no momento não esta trabalhando pós o lado esquerdo está paralisado e não foi possível saber ainda qual a doença dês então vem pedido o auxilio doença e é negado ate mesmo no ministério publico o que faço atenciosamente maria.

  13. Livya disse:

    Dr. Sergio quero antes de tudo parabenizar pela clara em que nos responde e a rapidez na respostas,isso prova o quanto o Blog é responsavel.
    Bom vamos a minha pergunta meu namorado é autonomo e comtribui com a previdencia,porem acabou de fazer uma cirurgia na coluna em decorrencia dos longos anos de trabalho e o médico ja falou que infelizmente ele não pode trabalhar da forma que trabalhava, pois o trabalho dele pega peso e esse peso tem que ser reduzido em 90% ou seja, peso quase nada;minha duvida é; ele esta internado ainda em recuperação eu com uma procuração dele ja posso dar entrada no auxilio doença? Ele deve ficar em repouso no minimo 90 dias ele tem direito? Como faço? Pois ja liguei no 135 e me mandaram que aguardasse a alta dele, pois como a procuração tem que ser assinada por ele na presnça de um funcionario do INSS, e infelizmente não ha ninguem que se diponibilizasse a ir ate o hospital.Me ajude o que faço? E se ele passa meses no hospital ele vai ficar sem cobertura? Há ele não tem parante de primeiro grau que more perto por isso que eu estou tentando agir.Por favor me responda; desde ja agradeço.

    • Oi, Livya, você deve ir ao INSS com a procuração e toda a documentação relativa, carnês de contribuição, laudos médicos e comprovantes da internação e requerer o auxílio-doença para ele. A obrigação do INSS é inclusive efetuar a perícia no hospital se necessário, e com certeza, se você procurar a superintendente da autarquia, será muito bem atendida e encaminhada.
      Pardal

  14. Pedro A.R.Seixas disse:

    boa noite Sergio,gostaria que me esclarecesse uma duvida.estou em gozo do auxilio doença especie 31 desde agosto de 2012,sendo que estou desempregado desde março,e fiquei no seguro desemprego ate julho de 2012,até quando mantenho a minha qualidade de segurado,e outra sou portador de hiv/aids.agradeço desde já e fico no aguarde.cordialmente.Pedro A.R.Seixas

  15. Edson Carvalho disse:

    Bom dia Sr. Sérgio, minha esposa e manicure e paga o INSS há mais de 10 anos, no momento encontra-se com uma lesão na coluna virtude anos de trabalho, já foi constatado em exames laborais, ao ir na perícia foi informada pela medica que por ser autónoma não tinha direito a receber o auxilio doença e nem aposentadoria por invalidez, gostaria de esclarecimentos sobre esse fato, pois ao saber fiquei surpreso pois tem uma lei presidencial que ampara os autónomos. Desde já agradeço a compreensão.

    • Oi, Edson, autônomo tem direito sim ao auxílio-doença e à aposentadoria por invalidez. Se a sua esposa está pagando o INSS há mais de dez anos sem interrupção, é impossível a alegação da perita conforme você está informando. O que o autônomo ralmente não tem direito é a caracterização de acidente do trabalho, mas isto não impede a concessão do auxílio-doença se o segurado estiver incapacitado para o trabalho. Você pode procurar a superintendência do INSS ou um advogado especializado de sua confiança ou do departamento jurídico de seu sindicato.
      Pardal

      • Edson Carvalho disse:

        Caro Sr. Sérgio, muito obrigado pela agilidade da resposta e a orientação. Que deus te abençoe e te proteja. Obrigado.

  16. Helena Santos disse:

    Bom dia, Dr. Sergio, sou contribuinte do INSS há doze anos , trabalho com registro em carteira . Estou em uma bateria de exames para dianosticar uma hemiparesia do lado esquedo do corpo que está me impossibilitando de trabalhar.
    Gostaria de saber se posso pedir demissão e depois pedir auxilio doença, já fiz uma pericia e foi negado o auxilio. Grata pela atenção.

    • Oi, Helena, mesmo pedindo demissão, você continuará segurada do INSS por 24 meses, mas lembre que no auxílio-doença recebido já desempregada o período não valerá como tempo de contribuição para fins de aposentadoria. Talvez seja melhor você acionar o INSS sem pedir demissão.
      Pardal

  17. aricleia disse:

    Boa tarde ! Trabalhei de 1984 a 1995 de carteira assinada. Depois trabalhei em casa, mas sem contribuir para inss, fiquei doente e não posso mais trabalhar, se eu contribuir agora como autonoma com quantos meses posso entrar no auxilio doença ??? Meu problema é coluna e pulmão. Preciso desta resposta urgente Dr. Sérgio.

    • Oi, Aricleia, infelizmente não será possível você conseguir auxílio-doença, exatamente porque quando você ficou incapacitada não estava contribuindo, não tinha a qualidade de segurada. Retornar a contribuir já incapacitada para o trabalho não vai adiantar, o INSS não concederá o benefício. Se você estiver incapacitada para o trabalho e não tiver qualquer condição de sobrevivência pode requerer um benefício pela Lei Orgânica de Assistência Social, mas tem que provar a condição de miséria.
      Pardal

      • MARIA EUNICE DA SILVA Tenho dois anos e sete meses de contribuíção trabalho com vendas porta a porta,tanto para vender como para receber,estou com o joelho direito inchando muito,com muita frequência,o esquerdo também estou sentindo dores,no pé esquerdo e direito um esporrão de galo em cada um,quando acordo que coloco o pé no chão tenho que segurar nas paredes,muitas vezes para não cair,no joelho direito ,fui ao ortopedista fiz raio x e foi visto que estou com artrose no joelho direito,além dos esporrões nos dois pés.O que quero saber é o seguinte: se posso marcar a perícia,eu mesma no inss,pois preciso ser orientada,não estou conseguindo trabalhar nesta minha função pois infelizmente não tenho outra,estou andando bem devagarinho,quero conseguir este auxílio pelo menos por um tempo quem sabe,quero se eu mesma posso marcar a perícia com esses raio x que tenho em mãos,a medicação para artrose é bastante caro também,para ver se fico um tempo em casa e me recupero um pouco.Obrigada.

        • Oi, Maria Eunice, se você está contribuindo nos últimos dois anos e sete meses, ou seja, se atualmente você contribui, pode requerer o auxílio-doença no INSS. Pelo telefone você pode pegar todas as informações e marcar a perícia médica. Leve todas as informações médicas que tiver e se o perito entender que você está incapacitada para o trabalho receberá o auxílio-doença, enquanto durar a incapacidade.
          Pardal

  18. jane rosa disse:

    BOA TARDE SOU AUTONOMA TENHO ME,GOSTARIA DE SABER SE AUTONOMO TEM DIREITO A AUXILIO DOENÇA UMA VEZ QUE CONTRIBUO POR PROBLEMAS MENTAIS E SE TIVER ESTE DIREITO SE QUANDO ESTIVER RECEBENDO MINHA EMPRESA PODE CONTINUAR FUNCIONANDO NORMALMENTE UMA VEZ QUE SOU A AUNICA DONA MESMO QUE ALGUEM TARABALHE SOU QUE ASSINO AS NOTAS E DEMAIS DOCUMENTO DA ME OBRIGADA.

    • Oi, Jane, o autônomo tem direito ao auxílio-doença, se estiver incapacitado para o trabalho. Qualquer atividade na empresa pode ser visto como trabalho, ou seja, comprova a capacidade para o trabalho.
      Pardal

  19. Edi Frencken disse:

    Dr. Pardal, trabalho há 25 anos como funcionária pública estadual e,atualmente, estou em licença da minha função, por 2 anos,para tratar de assuntos pessoais. Após o decurso destes 2 anos, pode ser que venha a pedir minha exoneração e passar a contribuir junto ao INSS, levando comigo os meus anos de contribuição junto ao Estado. Há esta possibilidade de acontecer,em virtude de estar morando, atualmente, na Holanda. Caso isso venha a realmente ocorrer, passarei a contribuir como segurado facultativo, certo? (contribuição voluntária?) já que estarei recolhendo no Brasil,mas trabalhando e morando na Holanda. Hoje, sou descontada 11% em folha de pagamento para a previdência, e caso venha a recolher junto ao INSS para receber pelo teto,qual o valor deveria recolher (hoje,no caso). Obrigada desde já.

    • Oi, Edi, a contribuição do segurado facultativo é de 20% sobre o valor escolhido, entre um salário mínimo e o limite máximo. Se você efetivar a averbação do tempo de serviço público no INSS, valerá observar o benefício almejado e a sua forma de cálculo para definir suas contribuições.
      Pardal

  20. Sueli Moura disse:

    Boa tarde DR.Sérgio pago o INSS como autônoma vou fazer uma LAQUEADURA no dia 23-01 gostaria de saber se tenho direito em receber algum beneficio
    durante 40 dias ou mais não posso trabalhar já tenho 2anos de contribuição como autônoma + 15 com carteira assinada obrigada.

    • Oi, Sueli, se você neste momento está pagando INSS, ou seja, tem a qualidade de segurada, tem direito ao auxílio-doença. Solicite o benefício no INSS e compareça à perícia com um bom relatório do seu médico.
      Pardal

  21. Ana disse:

    Boa noite Dr Sérgio, trabalho numa empresa sou gerente de produção, fui diaguiaguinosticada com espodilite aquilosante, minha carteira foi assinada no mês de maio de 2010 e dado baixa em junho de 2011, mas retornei pra lá ano passado mas nao foi assinada minha carteira, resumindo tudo eu nao estou contribuído com o inss estou doente sem condição nenhuma de exercer minha função pois a doença esta ativa. Trabalhei 4 meses ano passado pq a empresa entra de ferias coletiva aí ficou de meu patrão assinar minha carteira agora em janeiro, sei que essa doença é incapacitante e existe algumas exeçoes pra ela, tipo isençao de imposto de renda, nao ter que ter o tempo de um ano de contribuição para requerer o auxilio doença, nao sei o que fazer o salário é bom nao posso perder o trabalho, gostaria de saber se seria legal meu patrão assinar minha carteira com data retroativa, ou qual seria a minha solução.

    • Oi, Ana, evidente que a melhor saída é o seu patrão registrar você no dia em que voltou para o trabalho. E a responsabilidade contributiva é dele. Importante você observar que se retornar a contribuir para ao INSS já doente não terá direito a benefício. Será preciso provar que você voltou a contribuir em condições de trabalhar. Você deveria ter requerido o auxílio-doença antes de julho de 2012 quando você perdeu a qualidade de segurada; se um bom relatório médico provar que você estava incapacitada antes daquela data, o INSS teria que conceder auxílio-doença.
      Pardal

  22. Ana disse:

    Dr Sérgio, gostaria de saber qual serio o valor do meu salário sendo que só tenho 13 meses de contribuição e tenho uma salário de 3.0000,00 mensais, se eu conseguir o auxilio quanto receberia? Sou a mesma pessoa do caos acima.

    • Oi, Ana, o auxílio-doença paga 91% da média dos maiores salários que representem 80% de todos desde julho de 1994. Se neste período você só tem os 13 meses de contribuição, a média ficará bem próxima do salário atual. Sendo pequeno o período de contribuição, a média é mais fácil, mas com certeza a perícia tem os seus rigores.
      Pardal

  23. Solange Pires de Oliveira disse:

    Boa noite, Dr. Sergio Pardal, obrigada por sua resposta enviada por e-mail, entendi que a principio deveria provar que minha doença ja existia na epoca em que contribuia, mas dizem que temos um periodo de ate 24 meses de cobertura apos a ultima contribuição, isso nao e verdade? Se for, o fato de ter contribuido durante 6 meses em 2011 nao me da esse direito?
    Mas uma vez obrigada pela atenção, ficarei no aguardo de sua resposta.
    Solange Pires de Oliveira

    • Oi, Solange, 24 meses de qualidade de segurado sem contribuir só é válido para quem tenha contribuído por mais de dez anos sem a perda da qualidade de segurado. No seu caso, o período de graça é de apenas 12 meses.
      Pardal

  24. jose augusto santos dos reis disse:

    olá,boa noite, diga-me estava eu pagando o inss como autonomo e tive que fazer uma cirugia e pegei o ax.doença durante nove meses e apos alta do auxilio continuei pagando o inss normalmente durante 6 meses e pedir aposentadoria por conbtribuição, esse tempo de ax doença conta para aposentadoria, obrigado.

  25. Patricia Rosa disse:

    Prof. Sergio, muito proveitosa suas colocações e tenho algumas duvidas. Minha mãe é diarista e não tem trabalhado, embora pague o INSS há anos como autônoma. Está com laudo de bursite e lesões na região do ombro, o que não permite que ela execute suas funções. Já fez uma perícia, em 2010, com laudo de reumatismo, mas a mesma foi indeferida, sem maiores justificativas. Agora, ela pretende solicitar o auxilio para o afastamento e gostaria de saber como a melhor forma de proceder. Apenas o laudo dos exames realizados no SUS são suficientes? Pode levar documentação de médico da rede privada? o fato dela não estar trabalhando no momento por conta da doença e dor pode provocar indeferimento no pedido? Ela pode solicitar o afastamento ou o médico deve encaminhar solicitação com prazo?
    Agradeço seu atendimento, pois esperamos orientação para lidar com possiveis injustiças. Obrigada,
    Patricia

    • Oi, Patrícia, você pode e deve levar o máximo de informações sobre a saúde da segurada, laudo do SUS ou de médico privado, com todos os exames que possam informar. O que importa é a qualidade de segurada, ou seja, que ela esteja pagando o INSS mesmo que não esteja trabalhando. Se o INSS conceder o auxílio-doença, enquanto estiver recebendo o benefício não precisa contribuir. Lembre que deve retornar à contribuição quando tiver alta. Como é autônomo, ela mesma deve procurar o INSS, devidamente munida das informações médicas.
      Pardal

  26. Isabel disse:

    OLá Dr.Sérgio…
    minha dúvida é a seguinte, contribuo como facultativo para a previdencia..
    em agosato do ano passado(2012) tive o diagnóstico de depressão e sindrome do pânico,( e a crise foi tão forte que me desencadeou Vitiligo) desde então não posso ficar sem tomar a medicação que entro em crise…gostaria de saber se tenho direito a receber auxilio doença, ou solicitar aposentadoria, tenho 56 anos…
    Se tenho direito, como devo proceder com os papéis?
    Obrigada

    • Oi, Isabel, se a perícia médica do INSS entender que você está incapacitada para o trabalho, receberá o auxílio-doença que pode ser convertido em aposentadoria por invalidez. Você deve procurar o INSS para requerer auxílio-doença e comparecer na perícia que será marcada com um bom relatório do seu médico, demonstrando a sua incapacidade laboral.
      Pardal

  27. joanir de oliveira ramos disse:

    Estou desemprtegado a 3 meses e contribuo para o inss desde 1981, com
    algumas poucas interreupções. tenho vários problemas de coluna, que segundo o meu médico eu deveria me afastar para trata-lo. Devido ao meu salário ser alto, não o fiz e agora estou desempregado. Ainda posso entrar com um pedido de auxilo doença. Grato e um abraço.

    • Oi, Joanir, pode sim. Durante pelo menos doze meses você mantém a qualidade de segurado sem contribuir. Portanto, você está no período de graça e deve rapidamente solicitar o auxílio-doença. Compareça à perícia médica que será marcada, com um bom relatório do seu médico sobre a sua incapacidade laboral.
      Pardal

  28. araci cristina paulino torbes disse:

    sou contribuinte ha 7meses, agora adoeci tive que colocar um marcapasso.o dr me deu um atestado de 2meses tennho direito ao beneficio.aguardo sua resposta obrigada.

    • Oi, Araci, para o auxílio-doença por doença (e não por acidente de qualquer natureza) é preciso ter o período de carência, um mínimo de 12 contribuições. Assim, se você não tinha contribuições anteriores para completar um ano, não terá direito ao benefício do INSS.
      Pardal

  29. Paulo Roberto Borges disse:

    Bom dia! Durante tres anos contribui como autônomo para o INSS, houve uma interrupção de mais uns tres anos. Após este período, fui admitido em uma empresa, a qual trabalho até hoje, ja ha 23 anos. Gostaria de saber se os anos que contribui como autônomo contarão para a minha aposentadoria, ou serão descartados? Obrigado

    • Oi, Paulo, contarão sim, o tempo de contribuição como autônomo seré somado ao atual para qualquer questão previdenciária; importante é que tem que comprovar as contribuições através dos carnês.
      Pardal

      • T.d.S disse:

        Bom dia amigo, sou empresário a 5 anos, mas só a 2 anos comecei a contribuir com prolabore, pagando sobre 1 salário mínimo, este ano comecei a pagar o teto, já que agora sou dono da maior parte da empresa e sou o sócio administrador. Minha pergunta é a seguinte…. estou com problemas bem sérios de saúde, problemas estes que prefiro nao comentar aqui, tenho todos os laudos médicos, etc.. enfim, gostaria de saber se tenho direito a algum beneficio, e se tiver, como paguei um tempo com minimo e agora pago teto qual seria o meu direito …gostaria de sugerir também mais artigos e informações relacionadas para empresários , pois a maioria das informações são para trabalhadores e autonomos, muito obrigado

  30. Paulo Roberto borges disse:

    obrigado pela resposta, fiquei mais aliviado, pois ouvi um comentário de um amigo que perderia. De qualquer forma, tenho guardado sim meus carnês. Mais uma vez, obrigado pela atenção.
    Paulo

  31. LUCIA disse:

    OI NUNCA COMTRIBUI MAS TENHO 26 ANOS 10 ANOS SOFRO COM DISTURBIO BIPOLAR DEPRESSAÕ SUICIDA GOSTARIA DE SABER SE EU COMEÇAR A PAGAR TENHO DIREITO OU INSS APOS QUANTOS MESES OU SE EU COMEÇAR TRABALHAR REGISTRADO QUANTOS MESES EU AFASTO OBRIGADO

    • Oi, Lucia, não é possível entrar no seguro já com o problema e exigir benefícios. Você teria que trabalhar pelo menos um ano, com a incapacidade laboral ocorrendo depois disto. Para doenças pre-existentes o seguro social não paga benefícios.
      Pardal

  32. Maria Roseany disse:

    Gostaria de saber quanto tempo a pessoa pode ficar encostada pelo INSS sem perícia médica, e constando o problema de tendinite nos dois ombros e na mão direita aposentaria por invalidez a pessoa ?

    • Oi, Maria, a duração do auxílio-doença depende exclusivamente da perícia médica. Com certeza ocorreu inicialmente e o auxílio-doença concedido pode durar muito tempo e resultar em conversão para aposentadoria por invalidez ou em alta e retorno para o trabalho. Em algum momento você será chamada para a perícia.
      Pardal

  33. Maria Rosa disse:

    bom dia, tenho 22 anos de contribuição,em 2008 fui diagnosticada com Ler Na mão esquerda e pé direito fiz sirurgia sindrome do tunel do carpo e sindrome do tunel do tarso, fiquei afastada alguns meses depois recebi alta automatica pedi varias outras pericias e todas negadas, até que fui demitida, ainda faço tratamento até hoje devido uma sequela, estou sem contribuir a3 anos posso pedir uma nova pericia ou devo me cadastrar como facultativa e pagar inss???

    • Oi, Maria Rosa, você deveria ajuizar a devida ação contra o INSS e tentar o retorno do pagamento do auxílio-doença. De qualquer forma, voltar a contribuir como facultativa não lhe possibilitaria se afastar em razão da LER, o INSS alegaria doença pré-existente. E requerer afastamento agora também não será possível sem estar contribuindo, pois você já perdeu a qualidade de segurada. Caberia ajuizar uma ação, com um advogado especialista e de sua confiança, e voltar a contribuir para garantir a qualidade de segurada para outras razões.
      Pardal

  34. Adriana disse:

    Ola, gostaria da seguinte informação;
    Minha mae tem CA recebe auxilio doença desde 2009,o valoe recebido de fato segue todo para seu tratamento… Este ano, ela esta completando a idade exigida para aposentadoria como produtora rural, somos do interior de Sergipe e trabalhamos como produtores rurais. Ela tem direido de ficar recebendo os dois?

    • Oi, Adriana, não é possível receber do mesmo regime previdenciário mais de um benefício substitutivo da remuneração. Como atualmente o regime geral unifica urbanos e rurais, só será possível um benefício.
      Pardal

  35. cleusa disse:

    Olá, gostaria de uma informação, eu tenho vários problemas de saúde entre elas, bursite, nos dois ombros, tendinite, fibromialgia, tenho 54 anos, e ha uns 5 anos não contribuo com a previdencia, pergunto, posso requer auxilio doença?.
    obrigada.

    • Oi, Cleusa, você já perdeu a qualidade de segurada porque ficou muito tempo sem contribuir, e agora não tem direito a qualquer benefício (fora a aposentadoria por idade aos 60 anos se tiver o mínimo de 15 anos de contribuição). Começar a contribuir agora para requerer o auxílio-doença da incapacidade já existente também não dará certo.
      Pardal

  36. cleusa disse:

    oi sérgio obrigada pela informação, eu estive afasta por 2 anos antes de sair do emprego, qdo voltei logo depois fui demitida mesmo assim não tem como reabrir o auxilio doença?

  37. Carlos Alberto Kosinski disse:

    OLA DR. SERGIO…

    VOU TENTAR RESUMIR O MEU CASO E PEÇO POR GENTILEZA UMA
    AVALIAÇÃO PELO SENHOR.

    TRABALHEI EM UMA EMPRESA TERCEIRIZADA DA REFINARIA (PETROBRAS)FIZ TODOS
    OS EXAMES QUE POSSA IMAGINAR ENCÉFALO GRAMA,ELETRO CARDIOGRAMA, AUDIOMETRIA, ESPIROMETRIA, EXAME DE SANGUE, EXAME DE URINA, OFTALMOLOGISTA, RAIO X DE DIVERSOS ÂNGULOS E POR FIM CLINICO GERAL.

    A QUESTÃO É PARA ME DESLIGAR DA EMPRESA SÓ REFIS AUDIOMETRIA E PASSEI PELO CLINICO GERAL.

    O PROBLEMA VEIO DEPOIS DE 3 MESES QUE TENTEI ENTRAR EM OUTRA TERCEIRIZADA
    QUE NÃO ME ADMITIU POR ESTAR COM PROBLEMAS NA COLUNA CERVICAL PEGUEI O RESULTADO DO EXAME EM QUESTÃO QUE ACUSOU…

    RAIO X COLUNA CERVICAL AP/PERFIL
    Cervicoartrose.
    Lesões degenerativas discais entre C4-C5-C6

    RAIO X COLUNA DORSAL AP/PERFIL
    Sinais de artrose.
    Lesões degenerativas discais múltiplas.

    RAIO X COLUNA LOMBO-SACRA AP/PERFIL.
    Vértebra de transição lombo-sacra
    Espondiloartrose lombar incipiente.

    EM TODAS AS EMPRESAS QUE TRABALHEI NUNCA APARECEU NADA A ESSE RESPEITO.
    ESTOU DESEMPREGADO HA 2 ANOS SEMPRE ME REPROVAM NO EXAME NÃO RECEBO NADA DE AUXILIO DOENÇA O QUE FAZER NESTE CASO? TENHO ALGUM DIREITO?

    GRATO POR SUA ATENÇÃO.

    • Oi, Carlos Alberto, o seu problema é exatamente este período de dois anos que você está desempregado: dois anos seria o prazo para processar a empresa empregadora, se fosse o caso, e é também o período máximo de manutenção da qualidade de segurado. Você pode requerer o auxílio-doença no INSS alegando que estava doente quando parou de contribuir, mas é difícil provar.
      Pardal

      • Carlos disse:

        OLA DR SERGIO:

        Obrigado por ter respondido minhas questões.
        Processei a empresa sim na justiça do trabalho mas
        não dei entrada no INSS pois disseram que eu não
        tinha direito algum.

        Fiz a pericia médica e o perito em seu laudo disse que
        estou apto para o serviço mas com um limite máximo de peso
        de 23 kg. A grande pergunta??? Onde vou arrumar um emprego
        com um limite de peso de 23 kg? Pois em todas as empresas que faço
        o exame médico me reprovam no quesito coluna?

        É difícil acreditar que alguns médicos peritos duvidam de
        certos pacientes achando que o trabalhador está só fingindo
        querendo receber do governo sem fazer nada.

        Sei que está cheio de pessoas querendo se aproveitar
        e se encostar mas não é justo aqueles que de fato tem
        problemas não conseguem um beneficio digno ou um tratamento
        eficaz para que volte para suas atividades normais.

        MESMO ASSIM OBRIGADO POR SUA ATENÇÃO.

  38. Joaopaulo disse:

    Qem ja estava afastado e recebe o beneficio endefirido (eu comtinuo esperando a cirurgia )e tem a carteira com baixa temho o direito do auxilio doença

  39. adriana disse:

    Olá, sou Fisioterapeuta, 39 anos , contribuinte autônoma e em Maio de 2012 tive uma hernia de disco rompida, que me deixou com o pé direito paralizado, fiz artrodese de urgencia e colocação de 6 pinos na coluna, estou no auxílio doença e sem condições para trabalhar, devido dores na coluna e falta de equilíbrio com o pé, tenho direito de aposentadoria? Porque na última perícia o perito disse que na próxima talvez teria alta. Obrigada.

    • Oi, Adriana, o auxílio-doença, sua conversão em aposentadoria por invalidez ou a alta, são decisões da perícia médica do INSS. Aguarde a próxima perícia e se receber alta tendo um bom relatório do seu médico indicando a invalidez, restará procurar um advogado especialista e de sua confiança e ajuizar a ação contra o INSS.
      Pardal

  40. Ana Luiza Ramos disse:

    Boa noite,gostaria de saber se a minha mãe tem direito ao auxilio doença,pois se acidentou domingo 03/02/2013 e começamos a pagar o inss e paguei a guia dela como autonoma em janeiro, mas como ja trabalhou a um tempo atraz registarda gostaria de saber se ela tem direito ao beneficio?

    • Oi, Ana Luiza, para ter direito ao benefício ela tem que ter a qualidade de segurada. No caso de acidente, se você pagou a contribuição previdenciária antes de ocorrer, terá direito ao benefício. Como provavelmente o pagamento ainda não tinha sido feito, será difícil conseguir o benefício. Sobre as contribuições anteriores, se a última ocorreu a menos do que um ano, ela manteve a qualidade de segurada e teria direito ao benefício.
      Pardal

  41. Adriano Carvalho disse:

    caro amigo Dr Sérgio,a 7 anos atrás eu trabalhava como motorista particular e me envolvi em um acidente de tránsito tendo minha clavícula esquerda fraturada ficando assim impossibilitado de retornar ao trabalho,conseguir então o beneficio do auxilio doença do INSS,fiquei encostado por 1 ano e 4 mêses.após ese tempo recebi alta da perícia onde a mesma verificou que eu estava apto ao trabalho.
    quando retornei ao trabalho meu partão fez um acordo comigo me demitindo pois a empressa estava falida.
    Pois bém, hojé em dia sou autónomo (MEI ) micro empreendedor individual, pois as dores na clavícula esquerda voltou a me encomodar muinto impossibiltando assim o desenvolvimento de minhas funcões como autonomo.
    Sou optante pelo MEI a 2 anos e te pergunto, posso requerer auxilio doença nesta situação? como devo proceder?

    • Oi, Adriano, pode requerer auxílio-doença, se estiver incapacitado para o trabalho. O único benefício que a contribuição de 11% sobre salário mínimo não dá é a aposentadoria por tempo de contribuição. Todo o resto vale.
      Pardal

  42. William disse:

    Olá Dr. Sergio, sou autônomo, pago o talão do inss a pelo menos 3 anos direto, sob um salário.
    Recentemente final de 2012, descobri uma neoplasia maligna, fiz a cirurgia em dezembro/2012 e venho fazendo tratamento de quimioterapia, o que me tem afastado de minhas atividades, devido aos diversos sintomas decorrentes dela.
    Como faço ? Tenho direito ao auxilio doença? o que preciso para dar entrada no benefício ? qual seria o valor que eu receberia ? Os documentos exegidos ?
    Aguardo vossas instruções para clarear minhas dúvidas!
    Desde já agradeço pela atenção e ajuda!
    Grato!
    Att.
    William

    • Oi, William, você deve pegar um relatório do seu médico, inclusive demonstrando que só agora você está doente, e requerer auxílio-doença no INSS. O valor, se você está contribuindo sobre um salário mínimo, será um salário mínimo.
      Pardal

  43. Leni de Souza Santos disse:

    Boa tarde,meu esposo contribui para o inss como autonomo com 20% do sal.minimo e está recebendo auxulio-doença devido a retinopatia diabética que afetou a sua visão causando descolamento de retina no momento tem 10%de visão no o.d. e 50%de visão no o.e. impossibilitando de trabalhar já que é taxista e espera cirurgia pelo SUS gostaria de saber se ele deve continuar pagando o carne de contribuição do inss e se ele tem direito a aposentadoria por invalidez já que tem essa dificuldade de enxergar.
    Agradeço a atençao e aguardo a resposta.

    • Oi, Leni, enquanto ele estiver recebendo auxílio-doença não pode contribuir para o INSS; ele voltará a contribuir se receber alta. O auxílio-doença pode ser convertido para aposentadoria por invalidez, dependerá da perícia que for realizada.
      Pardal

  44. aranis rondon disse:

    Boa noite Dr. Sergio, minha duvida é a seguinte: sou contribuinte individual, atualmente estou recebendo auxilio doença, primeira parcela, pergunto, neste período devo fazer o recolhimento da contribuição ao INSS. Contribuo com 20% sob o salário mínimo, com quanto devo contribuir para me aproximar do teto pago para aposentadoria e por quanto tempo, visto que já contribuo a 30 anos.
    Desde já meu muito obrigado.

    • Oi, Aranis, durante o tempo que você receber o auxílio-doença não deve contribuir. Afinal, você está afastado do trabalho. Deve retornar a contribuir quando receber alta e voltar ao trabalho. Sobre a média, vai ficar difícil melhorar porque são utilizados os maiores salários que representem 80% de todos desde julho de 1994. Assim, teria que contribuir por muito tempo para melhorar a sua média.
      Pardal

  45. MARIA FERREIRA disse:

    BOA TARDE! DR.SÉRGIO,FIZ VÁRIAS PERICIAS PELO INSS,DE INICIO ELES DERAM E DEPOIS NEGARAM TODAS,VOLTEI A TRABALHAR,POIS NÃO TINHA CONDIÇÕES DE SOBREVIVER SEM MEU SALÁRIO….PERGUNTO:POSSO ENTRAR COM O PEDIDO DE APOSENTADORIA POR AUXILIO DOENCA JUDICIALMENTE,MESMO ESTANDO TRABALHANDO?

    QUAIS AS CONSEQUENCIAS PARA UMA PESSOA QUE RECEBE AUXILIO DOENÇA E É PEGA TRABALHANDO?(ESSE É OUTRO CASO)

    • Oi, Maria, mesmo voltando a trabalhar (afinal, a comida custa dinheiro!) você pode ajuizar a devida ação, requerendo o retorno imediato do auxílio-doença e sua conversão em aposentadoria por invalidez. O auxílio-doença é devido pela incapacidade para o trabalho; pode acontecer do trabalhador ter duas atividades e ficar incapacitado só para uma; porém, fora desta hipótese, estar trabalhando após o afastamento é a confissão de estar apto para trabalhar, o benefício será cassado e é possível que o INSS queira cobrar a devolução do que foi recebido.
      Pardal

  46. Roney disse:

    Olá, boa tarde.

    Quero tirar uma dúvida. Irei fazer uma cirurgia daqui 2 semanas e ficarei afastado 60 dias. Sou Estatutário em uma Prefeitura 4 anos e sou Celetista em um Asilo apenas 6 meses. Sei que o INSS pagará o benefício de Auxílio-doença a partir do 16º dia, mas como farei com o Asilo se não tenho 12 meses de contribuição? Como procedo neste caso? Posso me afastar apenas da Prefeitura e continuar recebendo o salário do Asilo (mesmo tendo registro, presto consultorio lá aindo apenas a cada 15 dias)?

    Obrigado,
    Roney

    • Oi, Roney, se você já tinha contribuições anteriores do INSS, completando no mínimo doze, tem direito ao auxílio-doença do INSS, afastando-se do asilo em que contribui atualmente para o INSS. Na prefeitura você tem direito à liceça-saúde. Se você só tem seis meses de contribuição, sem nada anterior, realmente não terá direito ao auxílio-doença, e se você poderá continuar recebendo e trabalhando depende apenas da análise médica.
      Pardal

  47. Paulo Elesbão disse:

    Ola!Meu pai ingressou no pedido de auxilio doença por neoplasia maligna,aos 61a d idade.O médico concedeu o beneficio,porem o inss indeferiu,sendo q me pai tem mais de 20 anos de contribuição.Nos últimos anos ele trabalhava como autônomo,contribuindo com 4 parcelas ao ano.Qual motivo o inss teria para indeferir o auxilio????

    • Oi, Paulo, é possível que tenham alegado falta de qualidade de segurado, ou doença pré-existente, de tempo que não tinha qualidade de segurado. Neste caso, levem a documentação a um advogado especialista e de sua confiança e verifiquem qual é a alegação do INSS.
      Pardal

  48. cesar santos disse:

    trabalho a sete anos com carteira assinada / os 2 primeiros anos eu ganhava 1.050 do terceiro ao quarto ano ganhava 1.700 reais no quinto ano ate o sexto ano passei a ganhar 2.550 reais ou seja 5 salarios tinha aumento de janeiro a janeiro no setimo ano em diante adoeci fiquei ganhando aucilio doença estou aposentado a mais ou menos 5 meses por agravo na doença gostaria de saber se eu ganhava 2.550 que na epuca era 5 salarios minimos na carteira hoje ganho de 2100 reais nao deveria ser mais ja que quando fiquei doente ganhava 5 salario o salario subiu mas na carteira nao foi mudado nem feito a revisao me ajude pois oque ganho mal apenas da pros remedios o pouco que sobra e roupa alimento e ensino dos filhos menor nem da os maior mais velho pararao de estuda pra trabalha

    • Oi, Cesar, todos os benefícios, inclusive auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, têm como base de cálculo a média dos maiores salários que representem 80% de todos; e o reajuste do INSS todos os anos obedece ao índice oficial da inflação. Infelizmente o benefício não tem uma relação direta com o salário que você ganharia se estivesse em atividade.
      Pardal

  49. laura maria disse:

    Sou professora e trabalhei de contrato temporaraio na secreetaria de educação por 8 anos e sempre contribui com o inss, este ano não estou trablahando e estou com depressão sera que tenho como pleitear o auxilio doença? se tenho como devo proceder? por favor me ajude !

  50. luci disse:

    oi sergio pardal eu pago o inss como dona de casa e tenho muita dor nas costa e numa perna fui no medico ele pedio uma resonancia e fiz ai constatou que tenho ernia de disco nordoze e bico de papagaio.como sou ipertensa fui ao cardiologista fes um eletro e tenho um nervo crecido no peito que quando fico nervosa ele aperta uma veia que inpede de circular o sanque .e fas uns 5 meses que me trato de depreçao e to cada ves pior o cardiologista me encaminho a um piciquiatra pois to impocibilitada de ate ficar sosinha eu tenho direito ao aucilho doença?

  51. ANA LIDIA disse:

    Boa tarde,eu gostaria de tirar uma duvida;eu trabalhei por 25 anos de recolhimento e estou desde julho de 2009 sem recolher o inss.Eu tentei entrar com pedido de auxulio em novembro de 2012 e foi negado pois estou com uma lesao nos 2 tornozelos que nao tem correçao e nem cirurgia so fisioterapia nao posso mais usar salto,so raterias e chinelos devido ao meu trablho pois sempre trabalhei cm serviços em cozinhas e confeitaria em hotel.Eu liguei no inss e tenho que pagar por 4 meses para ser de novo benficiaria.Agora no mes de janeiro eu fiz 2 ressonancia do joelho e da coluna lombar, a da coluna deu ESPONDILOARTROSE E DISCOPATIA DEGENERATIVA COM ABAULAMENTO DISCAIS EM L4,L5 E L5,S1.O DOS 2 JOELHOS DEU SINAIS DE GONARTROSE,LESAO INFRASSUBSTANCIAL DO CORNO POSTERIOR DO MESMO MEDIAL,MINIMO DE DERRAME ARTICULAR,EU COMECEI A RECOLHER O INSS PELO MES DE JANEIRO,MAIS SO VOU ENTRAR NO INSS EM JULHO AI EU POSSO RECEBR O BENEFICIO POIS NEM MEUS SERVIÇOS DOMESTICOS EM CASA CONSIGO FAZER POIS ESTOU SEM TRABLHO…

    • Oi, Ana Lidia, eu sinto muito mas não será fácil resolver a sua situação. Sem estar contribuindo para o INSS a mais de um ano, perde a qualidade de segurado, e assim não tem direito a nada; ocorre que voltar a contribuir depois que está doente não ajuda nada, o INSS recusará o benefício alegando doença pré-existente.
      Pardal

  52. marcia valdete da cunha disse:

    Dr. Sergio,
    gostaria por favor esclarecer e uma orientação, meu marido a 5 anos trabalha sem registro, têm apenas 6 anos de carteira assinada e pagou o inss apenas 7 meses, ele sofreu um acidente e ta com problemas em uma perna dificultando seu trabalho, agora que vem as consequencia, como devo proceder pra prevenir o futuro se posso continuar pagando o inss,se caso ele não conseguir andar quanto tempo pagando o inss posso conseguir o auxilio doença? agradeço desde ja sua orientação. grata Marcia -SP

    • Oi, Marcia, não é possível começar a pagar o INSS com ele doente para conseguir auxílio-doença, o INSS nega alegando “doença pré-existente”. A solução seria uma reclamação trabalhista exigindo vínculo empregatício com a empresa em que ele trabalha.
      Pardal

  53. claudio rocha louzada disse:

    Boa tarde,estou com uma dúvida que talvez o senhor possa esclarecer.Há 1 ano e 3 meses contribuo para o inss como mei(micro empresário individual),acabo de sofrer um acidente que me encapacitou de exescer minhas atividades.Quero saber do senhor se os meses anteriores de contribuição como empregado vão servir como base de cálculo do beneficio concedido? Obrigado

  54. adriele disse:

    Boa Tarde Sergio Pardal meu pai fez 65 anos dia 6 de agosto de 2012 ele deu entrada para a posentadoria dele e negaram 2 veses disseram que ele naum tinha direito por que ele só tinha 14 anos de contribuiçao ele pagou 4 anos de autonomo. Gostaria de uma informaçao sua sobre o que nos devemos fazer para ele se aposentar sendo que ele naum pode trabalha que ele fez trez cirurgias de ernia. Como el deve prosseder no inss para conseguir se aposentar? abraços e muito obrigado parabéns pelo seu blog

  55. adriele disse:

    obrigao se nao e abuzar do senhor gostaria de faser mais uma pergunta como ele nao tem renda nenhuma ele pode se aposentar como baixa renda ja que ele tem uma filha de menor e recebe bolsa familha.

    • Oi, Adriele, não sei o que você quer dizer com “se aposentar como baixa renda”. Se ele não tem nenhum rendimento, teria direito ao benefício assistencial da LOAS, Lei Orgânica de Assistência Social, aos 65 anos de idade e em situação de miséria; para isto não teria que contribuir, até porque não poderia, já que não tem nenhuma renda.
      Pardal

  56. ana disse:

    olá,sou MEI(cabeleireira)e devido o muito uso de produtos quimicos de alisamento,e inalando os mesmos,estou com uma infecção pulmonar..gostaria de saber se tenho o direito ao auxilio doença,pois estou incapacitada de trabalhar e necessito de repouso absoluto..aguardo o mais breve vossas respostas.

  57. simone alves disse:

    Ola, meu nome e simone alves tenho 30 anos e contribuo como MEI.Tenho um problema congenito nos pes que com o passar dos anos afetou meus joelhos e coluna!Ja contribuo a mais de um ano.
    Gostaria de saber se tenho direito ao auxilio, visto que trabalho como ambulante, e que providencias devo tomar…Grata espero uma resposta.

    • Oi, Simone, se você estava capacitada para o trabalho e agora ficou incapacitada e está contribuindo, tem direito ao auxílio-doença e até mesmo à aposentadoria por invalidez. Com um bom relatório de seu médico comprovando a incapacitação laboral agora, você deve procurar o INSS e requerer o benefício. Passará por uma perícia médica e se for favorável receberá o benefício.
      Pardal

  58. paulo valadares disse:

    Dr.
    em 19.10.12 fui internado com varizes esofagicas sangramento e diagnostico de cirose hepatica.e com indicação para cirurgiao vascular para retirada de varizes na perna esquerda. entrei com benefecio e pericia agendada para 09.01.13 quando da pericia o medico perito nao olhou nem os exames ,simplesmente me confirmou que teria que operar a perna e me mandou embora , recebi pelo correio a deciao que foi concedido o beneficio ate 09.01.13. sou vendedor autonomo de produtos variados ( porta em porta) e nao consigo andar muito pelo problema da perna e problemas de pressao e sonolensia devido ao uso de remedios para cirose . tenho varias endoscopias por fazer. solicitei o pedido de reconsideração mais foi remarcado para
    17.05.13 nao posso ficar este tempo todo sem rendimentos tenho 25 anos de contribuição e nao quero parar de trabalhar mais necessito ficar apto. que posso fazer para agilizar ou devo procurar a justiça.
    grato

  59. valeriabrandis disse:

    bom dia por favor me responda uma duvida estava cumpindo o aviso previo na ultima semana de trabalho sofri acidente de moto indo ao trabalho mas o medico que me atendeu me deu uma semana de atestado e depois de um mes que ja tinha assinado a rescisao descobri que estou com lesao no ligamentomenisco do joelho vou precisar operar o joelho estou recebendo a penultima parcela do seguro e a firma nao abriu a cat tenho algum direito obrigada

    • Oi, Valeria, teria direito sim, mas provavelmente terá que entrar com uma reclamação trabalhista contra a empresa para a reintegração com estabilidade pelo acidente do trabalho, e deve requerer o auxílio-doença no INSS para depois transformar em acidentário.
      Pardal

  60. Zmoska disse:

    cAROS sENHORES,
    dE TNTAS PERGUNTAS NÃO NOTEI NEHUMA DESTE FORMATO:(APESAR Q É O Q MAIS TEM)

    Um autônomo,(serralheiro) ficou adoentado, recolhe regularmente…e conseguiu ficar um ano em AUX DOENÇA, pergunta-se: não foi equiparado á acidente de trabalho, sendo assim, esse autônomo terá esse 01 ano ao qual ficou de Aux.Doença contando como tempo na aposentadoria ou não contará…há muita controvérsia…muita enrolação…podem dirimir essa dúvida…veja que há uma confusão com acidente de Trab. e ndoença normal…
    Grato
    zenaldo

    • Oi, Zenaldo, não existe dúvida nenhuma, o autônomo não caracteriza acidente do trabalho, e como não tem contrato de trabalho em carteira, não teria mesmo qualquer garantia de emprego, já que não tem emprego. Nos casos de autônomo e de empregado doméstico a lei é bem clara, não se prova o nexo causal, e desta forma não existem acidentes do trabalho ou doenças laborais.
      Pardal

  61. Rita Mattos disse:

    Oi tudo bem?
    Fui demitida em setembro do ano passado,e em dezembro comecei a receber seguro desemprego determinado pelo juiz. Estava me sentindo muito mal pois fui humilhada por minha supervisora enquanto estava cumprindo aviso prévio e nesse mês fui diagnosticada com depressão grave. Gostaria de saber se mesmo não estando trabalhando, eu tenho o direito ao auxílio doença. Paguei INSS por mais de doze meses mas não consecutivos. Desde já agradeço.

  62. Paulo Bumussi disse:

    Bom dia.

    Dr: Sergio.

    Tenho 59 anos completo 60 em setembro,tenho me tratado no H.C desde 1981 tive tumor hipófise benigno tive 2 cirurgias e fiquei afastado na caixa por um bom tempo,estou fazendo tratamento até hoje.
    De tanto dar entrada voltei a trabalhar mesmo sem poder.
    Meu ultimo registro em carteira foi em 20004,depois não consegui mais registro pela idade,e a saúde.
    Em Dezembro fui parar no H.C com dores fortes e foi detectado um câncer sarcoma do retroperitoneal maligno em cima da veia cava não pode ser operado.

    Sendo assim dei entrada no auxilio doença,a pericia deu um ano de afastamento.

    Mas o INSS não concedeu disse não ter mais qualidade de segurado e falou para recorrer 06/04/2013.

    Dr: Sergio estou me tratando I C S P H C estou fazendo quimioterapia,não tenho outra renda sou eu e minha esposa o atendente disse que o INSS e como convenio não paga não tem direito,paguei minha vida toda e fico na mão,gostaria do seu parecer e que devo fazer grato.

    Gostaria de saber como fazer desde já fico grato.

    • Oi, Paulo, infelizmente não resta muito o que fazer. A manutenção da qualidade de segurado pode durar de um a três anos, mas sem ela não existe benefício que o INSS possa conceder. Aos 65 anos você terá direito à aposentadoria por idade se tiver completado o tempo mínimo de 15 anos de contribuição. O auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez seria possível se provar que estava incapacitado no tempo em que estava trabalhando e contribuindo; após a perda da qualidade de segurado, não teremos o que fazer.
      Pardal

  63. Sílvia Silva disse:

    Oi, gostaria de saber o procedimento correto no seguinte caso: meu irmão, há 10 anos é contribuinte individual tipo 1163,sobre um salário mínimo,com contribuições em dia. Ele é pedreiro e quebrou a perna em 16/02/13 e o médico deu um atestado de 60 dias. A perícia foi agendada para início de abril. Quando ele receberá o auxílio doença? A GPS de fevereiro deve ser paga? Caso positivo, ela terá valor relativo aos dias em que ele trabalhou, isto é, de 01 a 15/02/13? Ou deverá ser pagamento integral? Aguardo e agradeço.
    Sílvia

    • Oi, Sílvia, sobre a contribuição o mais acertado me parece é pagar na integralidade o mês, mas você deve conversar isto com um bom contador, e quanto ao auxílio-doença, com a aceitação da perícia ele será devido desde o primeiro dia de incapacidade laboral e enquanto esta durar. É um grande absurdo a perícia demorar tanto (e as contas esperando pagamento) mas com a concessão do benefício o INSS tem pago corretamente.
      Pardal

  64. nadeje barbosa de melo disse:

    Estou no auxilio doença há 2 anos. Gostaria de saber se posso pedir a aposentadoria por idade, pois tenho 68 anos e se vou receber os mesmos rendimento que tenho no auxilio doença.

    • Oi, Nadeje, se você tem o mínimo de 15 anos de contribuição poderia sim requerer a aposentadoria por idade, pedindo alta no auxílio-doença. Porém, o valor não será maior, na realidade se o auxílio for convertido em aposentdoria por invalidez você receberá 100% da sua média, provavelmente mais do que na aposentadoria por idade.
      Pardal

  65. isaias ferreira neves disse:

    Sou funcionario em uma Prefeitura sob o regime Estatutario a cinco anos e pretendo contribuir como autonomo no INSS afim de aposentar nos dois regimes. È POSSIVEL?

    • Oi, Isaias, provavelmente não. Como facultativo você não pode contribuir para o INSS porque está vinculado a um regime próprio de servidor público, e como autônhomo deverá ser uma atividade que possa efetuar mesmo sendo servidor público. Não é muito fácil.
      Pardal

  66. laurimar disse:

    sou portadora ca deste 2010 pago inss como autonomo faço varias pericias uns sao nega outras concedidas ainda estou em tratamento pois tenho ca no pulmo eagora de pele e na minha ultima pericia no 11/01/13 foi ngado marquei outra pericia para dia 15/03/13 Dr.sergio o que eu nao entendendo dos peritos e que muitas vezes nem olha para paciente nem le os relatorios e fala que voce nao precisa mais do auxilio-doençanao pergunta nada a minha indginaçao por que so quem e portador ca sabe do que eu estou falando das dores dos nosso limite que os peritos do inss nao dao tal importancia.desde ja muito obrigado pela sua atençao

    • Oi, Laurimar, a melhor coisa é comparecer à perícia com um bom relatório do seu médico, datilografado ou no computador, descrevendo a doença, o seu desenrolar e as prováveis conseqüências, e, se o INSS mantiver a negativa, procure um advogado especialista e de sua confiança para ajuizar a devida ação.
      Pardal

  67. Fábio disse:

    Dr. Sérgio, pago meu INSS a mais de 02 anos trabalho de motoboy, se algum dia precisar do INSS terei direito, pois quando fui ao INSS para me cadastrar e começar a pagar o benefício eles não me perguntaram que função eu exercia: exemplo se vier a sofrer um acidente na qual quebre uma braço, claro não poderei pilotar eles me darão o direito de receber o auxílio ?
    Desde já muito grato por sua atenção !!!
    Seu Blog é ótimo !

    • Oi, Fábio, o que você não consegue porque é autônomo é caracterizar qualquer acidente como do trabalho. Mas isto não importa muito porque você tem direito ao auxílio-doença previdenciário, que paga a mesma coisa. Se você ficara incapacitado por mais de 15 dias, receberá o auxílio-doença enquanto a incapacidade durar.
      Pardal

      • rosangela santana disse:

        Dr Sergio,,sou autonômo a mais de 2 anos que pago inss sou costureira ,quebrei meu braço fiquei 2meses sem trabalhar,passei na pericia e ja faz 30dias e nada ainda,quero saber se o auxilio doença foi negado,se tenhu q dar entrada de novo. como fazer, desde ja um muito obridado

  68. Isa disse:

    Quem tem lesão na hipófise e sofre te muitas sequências de enxaqueca ,consegue afastamento pelo INSS?

  69. carla chimaleski disse:

    Olá! Quero exclarecer uma duvida sempre trabalhei com carteira assina juntando o tempo de trabalho das empresas que trabalhei são 12 anos de trabalho.Em dezembrod e2012 pedi a deissão,e hoje com estou em casa disonivel para o mercado de trabalho aproveitei para fazer alguns exames,e segundo meu médcico preciso fazer uma cirurgia no joelho e depois fazer fisioterapia pelo fato de não estar trabalhando no momento mas sempre ter contribuido para previdencia, tenho direito algum beneficio.Grata Carla

    • Oi, Carla, tem sim. Se você mantém a qualidade de segurada, tem direito ao auxílio-doença enquanto estiver incapacitada para o trabalho, mesmo estando desempregada.
      Pardal

      • carla chimaleski disse:

        Obrigada pelo exclarecimento, o que quer dizer mantém a qualidade de segurada. O ultimo mes que contribui para a previdencia foi em dezembro,nesses tres meses que estou desempregada não tenho contribuido,mesmo asssim eu tenho direito algum beneficio.Grata Carla.

        • Oi, Carla, você tem direito aos benefícios do INSS no mínimo até janeiro do ano que vem, 2014. Durante este período a lei garante a sua qualidade de segurada mesmo sem estar contribuindo. Portanto, se estiver doente, sem capacidade para o trabalho, requeira o auxílio-doença.
          Pardal

  70. marcos disse:

    boa tarde, por gentileza me tire uma duvida, eu estava afastado da empresa a menos de 15 dias por atestado medico, sofri um acidente indo para o trabalho,depois do ultimo dia de atestado fui ate a empresa no dia 11 e fiz uma carta de punho pedindo demissao e fiquei sabendo hoje que vou ter que fazer uma cirurgia e isso me impossibilitara de trabalhar em um novo emprego, eu posso receber alguma coisa do inss ou auxilio doença?ainda nao deram baixa na carteira nem me pagaram nada,pedi demissao devido a trabalhar de moto e nao quero mais este ramo por conta do perigo no trajeto ao ttabalho e o mesmo em si pois e com a moto da empresa.obrigado desde ja.

    • Oi, Marcos, pelo menos até um ano depois que você parar de contribuir (desempregado) ainda tem direito a auxílio~doença enquanto estiver incapacitado para o trabalho. Você deve procurar o INSS.
      Pardal

      • marcos disse:

        obrigado,e so mais duas perguntas: o que eu posso vir a receber é com base no meu ultimo salario? sabe me dizer aproximadamente quanto posso receber ? Meu salario estava 1513,00 na carteira. Devo procurar o inss apos ou antes da cirurgia ?

  71. Deborah disse:

    Boa Tarde,

    Gostaria de saber se uma pessoa aposentada pelo estatuto do município poderá receber Auxílio Doença do INSS, tendo em vista o fato de que a mesma voltou (logo após a aposentadoria) a contribuir de forma facultativa para a autarquia.

    Obrigada,

    • Oi, Deborah, pode sim. A única dúvida é se, mantendo o vínculo com o regime próprio por receber a aposentadoria, a pessoa poderia ser segurado facultativo do INSS. Com uma atividade enquanto autônomo, sem dúvida, estando contribuindo tem direito a auxílio-doença enquanto estiver incapacitada para o trabalho. Para ter certeza, só requerendo o benefício.
      Pardal

  72. carlos disse:

    bom dia.sou autonomo 1007 parei de contribuir em 08/2011.desde 2003 venho enfrentando problemas cardiacos com implante de stent em 2003/2006/2009 agora em 2013.em 2010 tive rabdomiolise e trombose nas 2 pernas.nessa epoca fiquei afastado por 11meses e contribui tbem.fiz a pericia agora dia 15/03 e a perita alegou que perdi a condicao de segurado mas ia tentar me colocar como cardiopatia grave.entrei na receita federal pedindo a restituicao do inss pg indevidamente.o que acha?responde por email?obrigado

    • Oi, Carlos, restituição da contribuição previdenciária será muito difícil. O que você deveria provar através de um bom relatório do seu médico é que a sua incapacidade laboral é do tempo que você tinha a qualidade de segurado.
      Pardal

  73. Nonato disse:

    Boa noite, Dr. Sergio Pardal gostaria de saber se eu teria direito ao beneficio auxilio-doença, no momento eu mim encontro desempregado, minha última contribuição ao INSS foi em julho/2012 pela empresa em que trabalhava, descobri que sou acometido de tuberculose ativa a qual precisarei de 06 meses de tratamento e fui orientado pelo meu médico que neste periodo não poderei executar qualquer atividade fisica, já contribui com o INSS a mais de 10 anos e nunca precisei usa-lo para qualquer fins.
    No aguardo, agradeço a atenção.

    • Oi, Nonato, se a sua última contribuição foi em julho do ano passado, até agora você mantém a qualidade de segurado; ou seja, pode procurar o INSS com um bom relatório de seu médico e requerer auxílio-doença.
      Pardal

  74. Dr. Sérgio, meus cumprimentos. gostaria que fosse esclarecida minha duvida. Fui contribuinte do por mais de 15 anos do INSS, há ano e meio estou desempregado, trabalhando apenas como autônomo, e para complicar, foi diagnosticado uma cefaléia cronica provocada por problemas na coluna cervical. Sou hipertenso e não consigo fazer nenhum tipo de esforço físico. Diante do exposto, tenho alguma chance de pleitear um beneficio pela Previdência para o meu amparo?
    Por favor me oriente. Grande abraço.

  75. Alana disse:

    Ola Dr.
    gostaria de tirar uma divida. já tive carteira assinada há mais ou menos um ano e atualmente nao contribuo, mas possuo uma hernia e precisarei fazer uma cirurgia em breve, assim queria saber se poderia começar contribuir como autonomo e qual a carencia dessa contribuição? minha cirurgia deve sair daqui a dois ou tres meses pois minha ernia corre risco de estrangular e como nao posso ficar sem salario, gostaria de saber como posso proceder, já que atualmente sou representante comercial e nao assisnam minha carteira.

    • Oi, Alana, se você contribuiu por mais de um, manterá a qualidade de segurado por um ano, e então teria direito a benefício do INSS. Representante comercial costumeiramente é autônomo e portanto a responsabilidade de contribuir para o INSS é sua mesmo.
      Pardal

  76. Alarico disse:

    Ola Dr, Sou contribuinte facultativo(1406) a 1 ano pago 80% do teto maximo ,se sofrer algum acidente,pois não tenho emprego fixo quais são meus direitos no inss,e no caso de morte tenho 2 filhos pequenos eles receberão o valor integral ? Tenho 55 anos,seme aposentar com 69 receberei valor maior do que com 15 anos,e se apsentasse hoje pagando estes 80% do teo maximo receberia quanto.? Agradeço pois ja fui mais de 15 vezes ni inss e sempre fico com duvida,ultima pergunta pagando o valor que pago tenho que provar algo na hora de aposentar ja que náo tenho emprego fixo .?

    • Oi, Alarico, o contribuinte facultativo e responsável por sua contribuição e portanto deve manter os carnês para provar que pagou. O contribuinte facultativo tem direito a todos os benefícios que não tenham relação direta com o trabalho, inclusive auxílio-doença, aposentadoria por invalidez ou pensão por morte. A média é feita com os maiores salários que representem 80% de todos desde julho de 1994 até o início do benefício. Para os benefícios voluntários, aposentadoria por tempo de contribuição ou por idade, a divisor mínimo da média é 60% do mesmo período.
      Pardal

  77. sheila disse:

    boa tarde doutor peço sua atenção com carinho tenho na familia uma cunhada que se acidentou a dezesseis anos atraz ,foi um acidente de carro ,pt total,frturascominutiva em acetabulor posterior ,uma das linhas de fratura da porção acetabular mediana,se prolonga em direção oa ramo do isquio á esquerda .almento daspartes moles adjacentes(planos gordurosos e musculares),com discretos deslocamentos contra lateral deestruturas pélvicas(bexigas e reto.este emespondilodiscouncoartrose cervical determinando redução das dimensões dos foramens de conjugaçao em c2,c3-c4,protusões discais posteros-medianas em c4-c5,c5-c6,e c6-c7,associado a osteofitose incipiente,comprimido a face ventral do saco dural tudo isso emais trombose ,emais problemas que com o passar do tempo foram aparecendo ,deu entrada no auxilio e foi negado,agora naõ trabalhou mais por não ter saude ,o que posso fzer para ajuda-la ,se eu pagar o carne individual,posso de imediato marcar nova pericia,auxilio doença?obrigada

  78. isabel cristina vintecinco disse:

    boa noite DR:sergio:gostaria de alguns exclarecimento eu estava trabalhando numa empreza por contrato de trabalho experiencia de 90 dias fui despensada hoje faz um mes que estou desempregada fiz exame do utero medico me disse que preciso fazer uma cirurgia no meu caso estar desempregada eu tenho direito auxilio doença desde ja agradeço isabel

    • Oi, Isabel, o contrato de experiência também determina contribuição para o INSS, e até um ano sem contribuir o segurado mantém a qualidade. Portanto, procure o INSS com bom relatório do seu médico e solicite o auxílio-doença.
      Pardal

  79. maria gedir dos santos disse:

    dr sergio contribui 25 anos e nao consigui neum auxilio doença eu estou conçada de dar entra em auxilio doença e enegada e que eu devo fazer

    • Oi, Maria, para receber o auxílio-doença é preciso ter a qualidade de segurado, estar contribuindo, além de estar incapacitado para o trabalho. Se você está nestas condições, seria necessário um bom relatório do seu médico e procurar um advogado especialista e de sua confiança para ver se cabe o ajuizamento de alguma ação.
      Pardal

  80. Fernanda disse:

    Boa tarde,

    Gostaria de um esclarecimento.Em 2012 de março a dezembro estive afastada por auxilio doença (depressão profunda) e estava trabalhando, quando retornei minhas atividades em dezembro de 2012 fui mandada embora. contribui com INSS a 18 anos como empregada. Estou recebendo seguro desemprego a 03 meses e estou muito perturbada a base de remédio e acompanhamento psiquiátrico. Gostaria de saber se posso entrar com auxilio doença,ou solicito revisão do outro??? Tem três meses que não contribuo com INSS, isto teria algum problema??? posso começar a contribuir agora como autônoma?????
    Aguardo retorno

    Obrigadaa

    att

    Fernanda

  81. cinara disse:

    ola! Tenho um tio que é autonomo a 14 anos, porém no ano de 2010 ele não efetuou os pagamentos do inss e em março de 2011 ele ficou doente com cadiopatia severa, realizou pericia para auxilio doença mas foram negadas devido a ausencia das contribuições, entramos com processo contra o inss desde agosto/2012 mas ainda está em andamento. ja realizou pericia que atestou invadidez, gostaria de saber se mesmo com 28 anos de contribuição é possivel ser negada pelo juiz o auxilio doença ou aposentadoria por causa dos meses que não fotam pagos?

    • Oi, Cinara, se ele ficou muito tempo sem contribuir, perdendo a qualidade de segurado, não tem direito a qualquer benefício, exceto aposentadoria por idade aos 65 anos, se tiver no mínimo 15 de contribuição. Sobre o processo que moveram contra o INSS, apenas o seu advogado tem informações.
      Pardal

  82. Leonardo Jansen disse:

    Doutor, tô muito preocupado com a situação de uma grande amiga. Ela trabalha há 10 anos de cabeleireira na sua própria residência, coisa simples, além de sustentar dois filhos. Ela foi diagnosticada com tendinite no ombro e na mão. Ela não tem plano de saúde mas faz fisioterapia 2 vezes por semana com o dinheiro que tiro do meu bolso. O problema é que a tendinite aumenta cada vez mais pois ela não tem condições de parar o serviço dela. Ela também nunca contribuiu para o INSS, gostaria de saber como proceder, como fazer para ajudar a minha amiga, pois vejo a sua angústia e preciso saber como ajudá-la. Há alguma luz no fim do túnel? Grato Doutor.

    • Oi, Leonardo, existe um benefício da Lei Orgânica de Assistência Social no valor de um salário mínimo, para as pessoas ou maiores de 65 anos ou inválidas, mas obrigatoriamente em situação de miséria, sem qualquer rendimento.
      Pardal

  83. jose carlos fernandes da silva disse:

    por favor me ajude recebi o ultimo beneficio 28-08-12 e estou sem pagar desde desta data dei uma entrada numa pericia dia 13-02-13 o medico me concedeu o beneficio mas o inss falou que perdi a qualidade de segurado mesmo com a data do requerimento nao tenha completado os seis meses eu tenho direito

    • Oi, José Carlos, se você é contribuinte facultativo, realmente o período de graça é apenas de seis meses, mas me parece que você estaria dentro dele. Verifique corretamente no INSS e se precisar procure um advogado especialista e de sua confiança.
      Pardal

  84. Emiliane Oliveira Lima Bastos disse:

    Senhor Sergio, sofri uma acidente de moto no dia 26/12/2012, hoje completa 90 dias,sou diarista., Á um ano é onze meses sem contribuir para o inss,tenho + ou – três anos é meio de contribuição.Estou sem trabalhar a três meses é sem renda salarial, tenho direito a auxilio doença? Se tenho como que ficar esses três meses que já passou? deste já o meu muito obrigada pela atenção!

  85. rita disse:

    eu sou servidora efetiva da prefeitura de uma cidade (estatutária) e tambem pago INSS como autonoma. estou com atestado e tratamento de sindrome do panico e depressao, e consegui uma licença para tratamento medico na prefeitura )pela previdencia dos servidores publicos municipais) e como eu tb pago inss como autonomo, gostaria de saber se tambem tenho direito ao auxilio doença do inss ?

  86. cinara disse:

    Dr. Sergio meu tio ja havia infartado em 1992 o qual fez uso do auxilio doença nessa época e em 2010 infartou novamente porem estava sem contriuir a 14 meses mas não foi fornecido auxilio doença ai ele voltou a contribuir por 16 meses e em julho de 2012 a doença se agravou ele fez novamente uma perícia que atestou invalidez mas o inss alega que ele voltou a pagar depois da doença, gostaria de saber se isso é valido? Porque ele ja havia infartado anteriormente e conforme li sobre o auxilio doença a dele resultou num agravamento da patologia mesmo assim não tem direito?

  87. wander disse:

    Ola Dr. Sérgio, tudo bem?
    Tenho uma amiga que tem uma lojinha, e ela contribuia como autônoma, como empresária. Agora está afastada por motivo de doença no coração, e vai operar novamente. Agora complicou com hipertensão pulmonar, e mesmo assim não consegue aposentadoria por invalidez. Ela não pode mais manter a loja, mas o advogado dela, disse que ela tem que manter a firma aberta para poder continuar recebendo. Mas como manter a loja aberta se não tem saúde para isso e não tem como pagar alguém para cuidar? Ela é obrigada a manter a loja funcionando para receber o auxílio-doença? Ela tá pagando aluguel da loja sem vender, ou seja: Tudo que recebe do INSS é para pagar o aluguel da loja. Tá pagando para manter a loja aberta, trocando 6 por meia dúzia.
    Poderia me dar uma luz nesta questão, que pode ser a dúvida de outros também?
    Desde já agradeço:
    Wander

    • Oi, Wander, alguma coisa está errada na tal manutenção da loja. Pelo contrário, se ela está recebendo auxílio-doença é porque está incapacitada para o trabalho, mesmo que provisoriamente; assim, para “manter a loja” teria que ter alguém trabalhando por ela. Se ela estiver recebendo benefício, não pode trabalhar nem contribuir, se não estiver recebendo nada e quiser manter a qualidade de segurada, pode contribuir como segurada facultativa, sem manutenção de loja ou empresa. Para quem ela paga o aluguel?? Já devia ter fechado a loja…
      Pardal

  88. Márcia disse:

    OI eu era contribuinte do inss por alguns anos e agora passei pela Mei ás um ano e meio sou cabelereira posso me afastar pela Mei?

  89. mauricio disse:

    ola sergio gostaria de saber sou registrado nu ma fazenda e tenhoum comercio foi concedido auxilio doenca quai valor do meu beneficio fazenda 1 salario minino no comercio pago 2 salario minino al inss

    • Oi, Mauricio, a média que serve como base para qualquer benefício utiliza os maiores salários que representem 80% de todos de junho de 1994 até o início do benefício. O auxílio-doença paga 91% desta média, sendo o menor valor um salário mínimo.
      Pardal

  90. mauricio disse:

    pardal mais uma pergunta qual direito que eu tenho sao 3 salario minimo
    ou 1 salario ass mauricio

    • Oi, Mauricio, o auxílio-doença paga 91% da média dos maiores salários que representem 80% de todos desde julho de 1994 até a data do início do benefício. Portanto, o seu direito depende da sua contribuição.
      Pardal

  91. MARINALVA FERREIRA disse:

    DEI ENTRADA PARA O AUXILIO DOENÇA ESTOU AGUARDANDO A CARTA, PAGO CARNE INDIVIDUAL, MESMO EM AUXILIO DOENÇA DEVO CONTINUAR A PAGAR O CARNE DE GPS ?

    • Oi, Marinalva, enquanto você estiver recebendo o benefício não precisa contribuir, mas deve aguardar a resposta do INSS para ter certeza de que está em gozo do benefício. Este tempo, intercalado de contribuições, vale inclusive como tempo de contribuição.
      Pardal

  92. ana maria da silva souza disse:

    DR. SERGIO BOA NOITE PAGO O INSS BAIXA RENDA FIZ PERICIA E OMEDICO ME DEU ATE JULHO SO QUE DEU PEDENTE PORQUE NO SISTEMA NAO APARECER MINHAS CONTRIBUIÇOESESTOU COM POLBREMA SERIO NO MEU JOELHO ARTROSE DERAME CISTOS A DOR E INSUPORTAVEL FUI AO POSTO DO INSS FICO PRA LA E PARA CA E ATE O MOMENTO NADA O QUE FAZER ME AJUDE AGUARDO RESPOSTA OBRIGADO ANA MARIA

  93. carmem disse:

    Oi dr; sergio minha tia começou a pagar a previdencia agora sabemos que quando completar um ano ela ja tem direito,so que ela ja tem hernia de disco e reumatismo.ela e manicure por enquanto ta sem fazer pois teve uma auneurisma,queria saber do senhor se ela quando completar um ano pago ela pode se encostar pelo inss.pois ela ja tem esses problemas antes de começar a pagar.e os medicos dela e do convenio que ela tem.por favor me responda pois preciso tirar essa grande duvida agradeço desde ja.

  94. luci disse:

    DR PARDAL PESSO POR FAVAR UMA ORIENTAÇAO FIS O PEDIDO DE AUCILHO DOENÇA TENHO DEPREÇAO E ESTOU ME TRATANDO COM PICIQUIATRA MAS MEU PEDIDO VEIO NEGADO POIS TENHO 8 MESES DE CONTIBUIÇAO DE AUTONIMO E 11 MSES DE COTRIBUIÇAO COMO DONA DE CASA ELES SO CONTARAO OS 8 MESES QUE DEVO FASER PARA QUE SEJA CONTADO TBM OS 11 MESSES DE DONA DE CASA. ESPERO ANCIOSA POR SUA RESPOSTA .OBRIGADO DEUS ABENÇOE SEU TRABALHO.

  95. Magali disse:

    Olá Dr Pardal.
    Sou segurada do INSS por mais ou menos 20 anos.
    Tenho 59 anos, 13 de contribuíção com carteira assinada e 07 contribuinte facultativo, pagando 11% do salário mínimo.
    Gostaria de saber se tenho direito ao auxilio doença ( encontro-me com problemas sérios de coluna cervical), como também a aposentadoria por tempo de contribuição.
    Obrigada.

    • Oi, Magali, com a contribuição de 11% do salário mínimo o único benefício que você não tem direito e a aposentadoria por tempo de contribuição; tem direito ao auxílio-doença e à aposentadoria por idade.
      Pardal

  96. Magali disse:

    Olá Dr Pardal
    Corrigindo… sei que só tenho direito à aposentadoria por idade.
    Mas liguei no 135 da Previdência Social e obtive outra informação.
    Disseram-me que trabalhadores que contribuem com a Previdência como facultativo ( código 1473 ) para conseguir a aposentadoria ( por idade ) , deveriam recolher 20 % do salário mínimo e não 11 % como é meu caso. Será que perdi todos esses anos pagos ou a informação está errônea ??? Perco tbm o direito ao auxilio doença ???
    Obrigada.

    • Oi, Magali, quem falou isto no INSS está equivocado; o único benefício de toda a lista que não tem direito o contribuinte de 11% do salário mínimo é a aposentadoria por tempo de contribuição, todo o resto, inclusive o auxílio-doença e a aposentadoria por idade, você tem direito.
      Pardal

  97. FErnanda Leite disse:

    Bom Dia.

    Fiquei desempregada o ano passado em Agosto… Tenho depressão e síndrome do panico. PAssei pelo psiquiatra me receitou alguns remedios fortissimos, fuiencaminhada à psicologa , a mesma me encaminhou para uma especialidade de Cognitivo comportamental , pois não estou cnseguindo sair de casa, tenhoproblemas com conduçã. Ao pensar nas inhas contas fico pior ainda , as minhas crises aumentam, sintomuito medo.
    Gostaria de saber se existe a possibilidade de eu consguir o beneficio. Arrumei um trabalho informal perto de casa como secretária, porem conseguia ir alguns dias , outros chgava ate o port~çao e nao conseguia sair de casa. O que tenhoque fazer… quero me tratar em paz, para que eu possa ter uma vida normal… Obrigada

    • Oi, Fernanda, se você ficou desempregada em agosto do ano passado, ainda não passou um ano e portanto você ainda mantém a qualidade de segurada do INSS. Assim, se até agosto passado você estava contribuindo, deve procurar já o INSS, com um bom relatório do seu médico, e requerer o auxílio-doença.
      Pardal

  98. Cleo disse:

    Bom dia Dr. Sergio Pardal, gostaria de saber o seguinte, trabalhei durante nove anos em uma empresa, fui demitido no dia 01/03/2013 e sofri um acidente no transito no dia 10/04/2013, nesse caso, tenho direito au auxilio doença? Como proceder?
    Desde já orbigada.

    • Oi, Cléo, sem dúvida você tem direito ao auxílio-doença, pois está no período de garantia da qualidade de segurada sem contribuir (pelo menos um ano). Procure o INSS, com um bom relatório do seu médico, e solicite o benefício; será marcada uma perícia para definir a sua incapacidade para o trabalho e por quanto tempo.
      Pardal

  99. Eu sou Maria Eunice da silva,sou vendedora autônoma,porta a porta,estou com artrose no joelho,joelho fica inchando muito,fica sem força,estralando como se fosse se quebrar,fui ao ortopedista ele não queria me dar um laudo,mais afinal deu marquei uma perícia para 30/04,estou esperando que seja positiva,pois está com quase um mês que vou vender e começo a sentir dores fortes no joelho,o joelho dobra -se de repente,já aconteceu até de cair,o medicamento que passou não serviu de nada.O que é que o senhor acha,será que posso ter esperança de ser aprovado esse auxílio.Obrigada pela atenção,aguardo sua resposta…

  100. Renato Bastos disse:

    Dr. Sérgio Pardal, Gostaria de retirar umas dúvidas, no fim do ano passado comuniquei a empresa que iria me submeter a uma cirúgia plástica de abdomen reparadora pois fiz redução de estomago, em Janeiro fiz uma cirúgia pra retirar um cisto de massa e fiquei afastado por 15 dias de atestado, quando voltei após o carnaval no dia 19-03-13, pra trabalhar comuniquei a empresa que no dia 08-03-13 iria me submeter a cirúgia plastica, logo no dia 21-03-13 a empresa me demitiu e pagou o aviso prévio indenizado,me operei e tive uma complicação e peguei um atestado de 60 dias, logo não fiz a homologação no sindicato nem fiz exame demissional, a empesa já pagou a rescisão na minha conta bancaria, quando fui ver o que a empresa depositou na caixa e o dia de desligamento do extrato analítico tem como fosse demitido dia 23-01-13, qual o procedimento a ser tomado gostaria de sua ajuda,. Obrigado desde já. Renato

    • Oi, Renato, 60 dias de afastamento não vão mudar nada no seu despedimento. Mudaria unicamente a data, com bastante burocracia para atrapalhar. De qualquer forma, você pode consultar um advogado trabalhista se quiser outra opinião.
      Pardal

  101. Lauro disse:

    Gostaria de saber se taxisista com a devida licença tem direito a auxilio-doença caso esteja impossibilitado de realizar a profissão por acidente.

  102. DR,SERGIO VOLTO A LHE ESCREVER EU PAGO BAIXA RENDA FIZ PERICIA MAS MEU BENEFICIO DEU INDEFERIDO PORQUE NAO COSTAVA COMO PAGO NO SISTEMA DO INSS.MAS O PERITO VIU TODOS OS MEUS LAUDOS E ME CONSEDEU POR DOENÇA EU FUI A POSTO DO INSS HOJE PARA PEDI RECURSOS O FUNCIONARIO ME MANDOU ASSINAR UNS PAPEIS TIROU XEROS FICOU LA EME DISSE PARA AGUARDAR UM TELEFONEMA AINDA FALOU COM DEBOCHO COMIGO QUE ISSO N ERA POLBREMA DELE QUE EU PROCURASE A PRESIDENTA DILMA TEM UMA LEI QUE E CRIME DESACATAR ELES MAS NAO E CRIME O QUE ELE FALOU PARA MIM. AQUI DR. EUGOSTARIA DE SABER QUANTO TEMPO LEVAPARA ELES LIGAREM SERA QUE VAI VENCER EM JULHO E EU NAO VOU CONSEQUI? PRECISO MUITO DESTE AUXILIO PELA QUAL ESTOU IMPOSSIBILITADA DE TRABALHAR O QUE FAZER? peço resposta E LHE AGRADEÇO POR SUA ATENÇAO ABRAÇOS ANA

    • Oi, Ana Maria, você deve procurar imediatamente o superintendente do INSS na agência em que você foi atendida e exigir a imediata solução. Se você tem as provas de suas contribuições, cabe a concessão do seu benefício sem qualquer demorar. Você pode inclusive procurar os jornais e denunciar.
      Pardal

  103. Lidiane disse:

    Dr. Sergio Pardal,tenho 32 anos sempre trabalhei desde os 15 anos,meu ultimo emprego agora fiquei 4 anos fui mandada embora em nov.2012,pois não estava consigo trabalhar direito pois sentia muitas dores em todo o corpo e ficava muito inchada.Fiz vários exames até que o médico diagnosticou FIBROMIALGIA,será que tenho direito de receber auxílio doença? pois não consigo fazer nada sinto muitas dores.Tenho 14 anos de contribuição ao inss.

    • Oi, Lidiane, a manutenção da qualidade de segurada é, no mínimo, de um ano. Portanto, você ainda mantém a qualidade de segurada e deve requerer no INSS o auxílio-doença; na perícia, leve um bom relatório do seu médico.
      Pardal

  104. passei um ano sem pagar o gps, e voutei a pagar so paguei 2 meses. tenho direito ao auxilio doença ou nao

    • Oi, Waldemar, não terá direito ao auxílio-doença porque a carência, tempo mínimo de contribuição, é de 12 meses, e se você perdeu a qualidade de segurado, para recuperar precisaria pagar pelo menos 4 meses.
      Pardal

  105. Bom dia Dr. Sergio,
    Preciso urgentemente de uma orientação: Venho de auxulio doença desde 03/2004. O último benefício que requeri ganhei até 15/03/2012. Em 10/2012 estive internada por 9 dias mas por estar cansada de ir ao INSS e não ganhar benefício, não reuqeri este período em que estive internada. Venho em tratamento desde 2004 por vários problemas de saude, entre elas hérnias de disco cervical dorçal e lombar. dia 12/04/2013 internei novamente com a mesma patologia com a qual fui internada em 10/2012. Requeri o auxilio doença agora dia 12/03 o médico reconheceu minha incapacidade até então por estar internada e a perícia ter sido realizada no hospital, só que foi indeferido por perda da qualidade de segurado.Pergunto: Posso requerer o período em que estive internada em 10/2012 de ofício para readiquirir minha qualidade de segurado ou devo entrar com um recurso apresentando a declaração de internação juntamente com a papeleta com as informações diárias da minha internação naquele período(10/2012)e também com declaração do meu médico assistente informando que sempre estou em tratamento? Estava em crise desde 28/03/2013 mas meu médico assistente não se encontrava na cidade e por não confiar em outro médico, fiquei em casa tomando os remédios para ver se aliviava a dor mas em 12/04/2012 não houve outro jeito a não ser a internação.
    Por favor, me dê uma luz pois preciso muito resolver isto até sexta feira.
    Desde já agradeço sua atenção e aguardando uma resposta.

    • Oi, Debora, passando mais de um ano sem contribuir e sem receber o beneficio você teria perdido a qualidade de segurada e acho que não conseguirá receber este período porque ninguém paga o que não foi pedido. Acho que você deve entrar com recurso, contando a história e apresentando a documentação, lembre que se você tivesse requerido o benefício que tinha direito (ou se o INSS não tivesse dado alta em momento errado) estaria com a qualidade de segurada. Se o INSS insistir na negativa, cabe uma ação judicial.
      Pardal

  106. Perdão Dr. Sergio ,as esqueci de te informar que eu era artesã e contribuia como contribuinte individual, não retornando mais ao trabalho desde fevereiro de 2004 por não mais ter condições. Além das hérnias de discos ja comentadas acima, tenho também sindrome do túnel do carpo bilateral e artrose nos dois joelhos.
    abraço
    Débora

  107. Marli Ribeiro disse:

    Um empregador faz uma retirada da empresa no valor de R$ 6.220,00 (informada todo mês através da SEFIP) e o recolhimento do INSS é 11% sobre o teto, que atualmente é de R$ 4.159,00.
    Minha dúvida é: se ficar doente e der entrada no INSS, ele vai receber 91% sobre a média da retirada (R$ 6.220,00) ou do teto máximo (R$ 4.159,00).

  108. BOA TARDE DR.SERGIO PARDAL TENHO QUE LHE AGRADECER POR SUA ATENÇAO PARA COMIGO E TODAS AS PESSOAS QUE LHE ESCREVER EU SOU ANA MARIA A QUAL JA LHE ESCREVI POR DUAS VEZES QUE TIVE O BENEFICIO MAS NAO COSTAVA AS MINHAS CONTRIBUIÇOES NO SISTEMA DO INPS COMO EU HAVIA DITO QUE PAGO COMO BAIXA RENDA O SENHOR ME MANDOU PROCURAR A SUPERITENDENÇIA NAO RESOLVERAM NADA NAO SEI SE FIZ CERTO EU PROCUREI NA INTERNETE O TEL DE BRASILIA DA OUVIDORIA CONVERSEI TUDO O QUE ESTAVAM FAZENDO COMIGO UMA SENHORA MUITO EDUCADA ME ATENDEU ME PEDIUQUE EU LIGASE PARA OUVIDORIA DO RIO FIZESSE A RECLAMAÇAO ANOTARIA O N DO PROTOCOLO E VOLTASE A LIGA PARA ELA EU VOLTEI PASSEI TUDO QUE ME FALARAM E O NUMEROP ELA ME MANDOU EU LIGA NOVAMENTE AGORA NA PROXIMA SESTA PARA ELA ME DA UMA POSIÇAO EU PERGUNTO AO SENHOR SERA QUE AGORA ELES IRAM RESOLVER MEU POLBREMA? eu fiz certo emter ligado para brasilia? o que o senhor acha?mas uma

  109. luci disse:

    oi dr sergio pardal estou precisando muito de sua ajuda so Dayane filha da luci minha mae entro com recurso junto ao inss pela segunda ves e eles alegao que ela nao tem tempo de contribuiçao ela tem 8 messes pogou os 11 por cento como autonima ai nao pode pagar 8 messes e fas um ano que paga como dona de casa ela entro com o pedido de aucilho doença em fevereiro eles negarrao disendo que nao foi reconhecido o direito do beneficio por nao ter sido comprido o periodo de carencia axigida por lei . me ajude a esclarecer por favor nao sei como faser para comprar os remedios pra minha mae que ta cada ves + depreciva .Obrigado Deus abençoe o senhor.

  110. eduardo disse:

    contribui por 2 anos, estou a 3 anos como autônomo, cometi o ero de n pagar o inss, estou acidentado tem 4 meses. Tenho direito a auxilio doença ?

  111. daiane disse:

    oi dr sergio pardal estou precisando muito de sua ajuda so Dayane filha da luci minha mae entro com recurso junto ao inss pela segunda ves e eles alegao que ela nao tem tempo de contribuiçao ela tem 8 messes pogou os 11 por cento como autonima ai nao pode pagar 8 messes e fas um ano que paga como dona de casa ela entro com o pedido de aucilho doença em fevereiro eles negarrao disendo que nao foi reconhecido o direito do beneficio por nao ter sido comprido o periodo de carencia axigida por lei . me ajude a esclarecer por favor nao sei como faser para comprar os remedios pra minha mae que ta cada ves + depreciva .Obrigado Deus abençoe o senhor.

    • Oi, Daiane, infelizmente, como eu já disse, eu não tenho qualquer solução para você, em relação ao auxílio-doença. Talvez você possa conseguir o benefício mensal de um salário mínimo pela Lei Orgânica de Assistência Social, se comprovar a invalidez de sua mãe e sua condição de miséria, sem qualquer tipo de rendimento.
      Pardal

  112. daiane disse:

    ela pagou dia mes 11 de 2010 ate o mes 08 de 2011 ai ela começou a paga como dona de casa ai ela começou a paga no mes 04 de 2012 ate o hoje a duvida é esse os meses anterios contam tambem foi pedido o auxilio doença em mes de fevereiro isso q la no inss eles nao explicam se conta aqueles meses de antes ou nao

  113. BOA NOITE DR SERGIO MAS UMA VEZ VOLTO A LHE ESCREVER E AGRADEÇO POR SUA ATENÇAO PARA COM A MINHA PESSOA EU SOU A ANA AQUELA SENHORA DE 60 ANOS QUE PAGO COMO BAIXA RENDA FIZ PERICIA DIA 22 DE MARÇO GANHEI O BENEFICIOMAS NAO COSTAVA OS PAGAMENTOS NO SISTEMA DO INSS O SENHOR ME MANDOU IR PROCURA A SUPERITENDENÇIA MAS EU POR CONTA PROPRIA RESOLVI LIGAR PARA BRASILIA E EXPLICAR MINHA SITUAÇAO E TODO DESCASO QUE FIZERAM COMIGO UMA SENHORA ME ATENDEU ME PEDIU PARA MIM LIGA PARA OUVIDORIA FAZER RECLAMAÇAO E PEGA UM CODIGO COM OS NUMEROS E PASSAR PARA ELA EU TAMBEM NO DIA 22 FIZ O RECURSO EU LHE PERGUNTO VAI FAZER 2 MMESES QUE FIZ PERICIA SERA QUE NAO VOU RECEBER MEU BENEFICIO SERA QUE VAO ME ENROLAR E EU TEREI QUE FAZER OUTRA PERICIA DE NOVOEU JA NAO SUPORTO MAS ISSO TENHO DIFICULDADE DE ANDAR DEVIDO O MEU JOELHO NAO ESTOU PODENDO TRABALHAR MORA NA CASA DOS OUTROS SO DEUS SABE O QUE ESTOU PASSANDO SEM TER CONDIÇOES ATE DE COMPRAR MEUS REMEDIOS DE TUDO QUE LHE RELATEI O QUE DEVO FAZER SEM MAIS UM ABRAÇO MUITO OBRIGADO QUE JESUS LHE DE MUITA SAUDE E PAZ PARA O SENHOR E SUA FAMILIA ANA

  114. luci disse:

    oi dr sergio pardal para minha mae para ela conseguir o auxilio doença pela lei organica nenhum da familia pode ter salario? meu pai esta recebendo a pensao por essa lei e nao da pro remedios d minha mae ela naum conseguiria esse auxilio

    adriele obrigado

  115. Elcio Medici disse:

    Dr Sergio, Boa Noite
    Sou representante autonomo a 30 anos,estou com auxilio doença por ter operado a coluna cervical o meu medico neuro pediu o afastamento definitivo pela gravidade da operação. obs já enfartei duas vezes tenho safena ,mamaria stent,operei 3 vezes a hernia e estomogo. Eu tenho direito aponsentadoria por invalidez?

  116. Dr Sérgio,
    Meu marido sofreu um AVC no final do mês de março e está recebendo o auxílio-doença.Ele tinha dois empregos; Em um era motorista particular e contribuía como autônomo, no outro era assalariado e contribuía normalmente. Faltam 8 meses de contribuição para ele aposentar por tempo de contribuição integral. Ele pode continuar pagando o carnê de autônomo ou durante o auxílio-doença não pode haver contribuição?

    • Oi, Celice, enquanto estiver recebendo o auxílio-doença não poderá haver contribuição. Mas o tempo de afastamento conta como tempo de contribuição, basta que ele volte a contribuir pelo menos um mês quando receber alta. Inclusive no cálculo do auxílio-doença que ele recebe devem estar os dois salários. Infelizmente o que ocorre não é a soma das duas contribuições e muito menos o direito a dois benefícios; uma atividade será consiederada a principal, e a outra, a secundária, soma parcialmente a sua média. Confira estes cálculos para saber que benefício pode ser mais favorável, uma aposentadoria por invalidez ou a por tempo de contribuição, sendo esta última com a incidência do fator previdenciário, provavelmente reduzindo o resultado.
      Pardal

  117. Contribuo como autonoma ha mais de 20 anos com aliquota de 20%, mas devido a problemas na coluna consequencia de uma acidente sofrido há 16 anos vou ter que requerer o auxilio doença por não poder mais executar a minha atividade de artesa .Gostaria de saber se o tempo que ficar de licença será descontado do tempo necessário para a minha aposentadoria

    • Oi, Silvana, o tempo que você recebe o auxílio-doença vale como tempo de contribuição se intercalado por contribuições. Portanto, você estava contribuindo quando se afasta do trabalho recebendo auxílio-doença, e na ocorrência de alta, retorna ao trabalho e consequentemente a contribuir; tal tempo será somado para fins de aposentadoria.
      Pardal

  118. Olá.
    Meu marido trabalha sem registro á 1 ano e 3 meses em ima firma de cimentos….Agora meu esposo se encontra com enfisema pulmonar por conta da exposição á poeira e produtos quimicos.E ele tem pouco tempk de contribuição ao inss nos empregos anteriores, maior parte da vida trabalhou como autonomo ou sem registro.Gostaria de saber como ele pode requerer o auxilio doença para poder tratar a enfisema pumonar, já que ele o mesmo está ausente de suas atividades profissionais para evitar a exposição aos produtos quimicos q trabalha.
    Desde ja agradeço muito.

    • Oi, Cinthia, se ele não estiver contribuindo e não estiver nos períodos de manutenção da qualidade de segurado (um ano a partir de quando parou de contribuir) não terá direito ao auxílio-doença.
      Pardal

  119. Olá,dr.Sérgio.pago meu inss como facultativo,precisei entrar no auxilio doença e o medico perito me deu os meses de 12/2012 a03/2013 só que não consigo receber porque o inss diz que no meu cadastro do bolsa família diz que eu tenho uma renda de 200 reais,renda essa que é uma pensão alimentíca dos meus dois filhos,o que eu faço?
    Obrigado pela atenção.

    • Oi, Andreia, se você é contribuinte do INSS como facultativa, não existe nenhuma relação com qualquer cadastro e a concessão do auxílio-doença. Basta estar contribuindo e estar incapacitada para receber o auxílio-doença. Verifique melhor estas informações.
      Pardal

  120. kairo victor disse:

    dr. sergio ..infelizmente em função do trabalho altonomo lesionei o lca e menisco ,sou contribuinte do inss a nove meses gostaria de saber se no caso de cirurgia tenho direito de algum benefio por que a cirurgia leva a pessoa ficar em repouso de 2 a 3 meses?

    • Oi, Kairo, autônomo não tem acidente do trabalho, e assim, o auxílio-doença exige 12 meses de contribuição como período de carência. Se você tem alguma contribuição anterior, pode somar, se não, não haverá benefício.
      Pardal

  121. Boa tarde , estou pagando o inss de baixa renda a 1 ano e 5 meses,entrei com auxilio doença, e apericia medica me concedeu 2 meses, sendo que o inss indeferiu,como perda de qualidade do segurado. se os direitos sao os mesmos, porque nao posso ter acesso ao beneficio ganho, pois estou quase sem poder andar,por favor me ajude.

    • Oi, Ione, provavelmente aconteceu algum problema com a sua contribuição nos computadores do INSS. Você deve retornar ao INSS e apresentar as contribuições que você fez nos últimos 17 meses, mais do que o suficiente para ter a qualidade de segurada e direito ao auxílio-doença.
      Pardal

  122. BOA NOITE

    FUI DEMITIDA A 6 MESES,DIAGNOSTICADA COM SINDROME DO TUNEL DO CARPO,MESMO O MEDICO DA EMPRESA SABENDO,ASSINOU MEU ATESTADO DE DEMISSÃO,FIZ A CIRURGIA NO BRAÇO DIREITO NO ULTIMO DIA 09 DE MAIO DE 2013.MARQUEI A PERICIA NO INSS PARA O DIA 28 DE JUNHO 2013.MINHA DUVIDA É;TENHO DIREITO AO BENEFICIO,NÃO VOU PERDER TEMPO REQUERENDO,SE EU POR A EMPRESA NA JUSTIÇA CORRO O RISCO DE SER READÍMITIDA.OBRIGADO!

    • Oi, Marisa, você ainda tem a qualidade de segurada e portanto o direito ao benefício. De qualquer forma, deve procurar um advogado especialista e de sua confiança e ajuizar uma reclamação contra a empresa, e se o INSS negar benefício também cabe uma ação judicial.
      Pardal

  123. Isa lopes disse:

    Trabalho em uma empresa e tenho uma inscrição pelo MEI,pago INSS dos dois,tô requerendo auxílio doença,vou ter que dar baixar no MEI,ou somente deixarei de pagar o MEI?

    Isa

  124. Tenho lutado contra um câncer maligno de metastase, onde já passei por varias cirurgias. Fui dar entrada no auxilio doença e como só havia contribuído ate 2009 minha carência foi ate 2010 e o C.A descoberto no começo de 2011. Ano passado solicitei o auxilio e com os laudos médicos e foi negado pois já tinha passado a carência. Diante disso, eu tenho direito ou não? Se eu tiver terei como reaver meus retroativos? Me ajude, pois estou passando uma enorme dificuldade financeira. Se não, posso recomeçar a pagar e com quantas contribuições poderei solicitar novamente?
    Grata antecipadamente, Maísa Santana.

    • Oi, Maísa, eu sinto muito mas não existe possibilidade de receber auxílio-doença sem ter a qualidade de segurada. Sem contribuir, a qualidade dura um ano, e mais um ano se houver contribuído por mais de dez anos. Assim, provavelmente você não terá direito ao auxílio-doença, a não ser que o seu médico ateste que a sua incapacidade laboral ocorreu antes de detectar a doença, no tempo em que você ainda contribuía.
      Pardal

  125. Sou Maria Eunice da Silva,tenho artrose no joelho direito e já estou sentindo dores no esquerdo também,trabalho com vendas porta a porta não estou conseguindo trabalhar,passei por uma perícia que foi deferida mais só consegui um mês e dezenove dias,então marquei uma prorrogação,espero conseguir prorrogar,gostária de saber porquer esses péritos não dão logo alguns meses,séi que isso não melhora de um dia para outro,pois já faz meses que estou assim.Obrigado!!!

  126. Sou Maria Eunice,gostaria de lhe fazer uma pergunta,tenho artrose em um joelho e no outro já estou sentindo dores,como sou vendedora porta a porta não estou conseguindo fazer minhas vendas,fiz uma perícia e consegui só um mês e dezenove dias,estou tentando passar por outra,caso não consiga melhorar,me falaram que é crônica,tenho direito a me aposentar por invalidez,Deus permita que eu melhore,pois adoro trabalhar,mais não estou vendo melhora,e já faz bastante tempo,estou muito preocupada,pois infelizmente não tenho outro meio de sobreviver, aguardo sua resposta anciosa,mais uma vez lhe agradeço.

    • Oi, Maria Eunice, para se aposentar por invalidez, é necessário que a perícia médica do INSS entenda que você está incapacitada para o trabalho; portanto, é necessário solicitar auxíio-doença e passar pela perícia médica.
      Pardal

  127. Boa noite, meu nome é Fernando,à 3 anos e 3 meses tive um acidente de moto onde tive fratura de fermur e fíbula,onde tive síndrome compartimental,assim ficando com sequéla definitiva,sempre fui barbeiro autônomo,e sempre contribuinte, quero saber se teria dereiro ao auxílio acidente, pois não queria mudar de profissão.

    • Oi, Fernando, se você contribui para o INSS, deve ter recebido auxílio-doença durante o tempo que ficou incapacitado; no seu retorno ao trabalho, teria sim direito ao auxílio-acidente previdenciário, desde o dia que parou de receber o auxílio-doença previdenciário.
      Pardal

      • Boa noite,obrigado por me responder.Veja só eu ainda estou recebendo o auxilio-
        doença.Estão tentando me encaixar em outra função;mas eu quero continuar como barbeiro,quero adaptar um banquinho para que eu possa me apoiar e trabalhar.Sempre trabalhei como barbeiro,e acho q tenho direito ao auxilio acidente por ter contribuído todos esses anos .Segundo as informações q tenho vou receber até julho.Se eu me recusar a trabalhar em outra empresa pedir liberação, posso entrar com pedido do auxilio acidente?(obs: nunca trabelhei em empresas sou autônomo à 24 anos barbeiro)

        • Oi, Fernando, o auxílio-acidente não é pago para os contribuintes individuais, autônomos, que é o seu caso. Assim, você pode continuar como barbeiro com todos os acertos e banquinhos que você achar necessários, mas não terá direito ao benefício acidentário porque é autônomo. Infelizmente só existem duas saídas para você: ou recebe alta e volta a trabalhar para completar 35 anos de contribuição para ou 65 anos de idade para a aposentadoria, ou se aposenta por invalidez. Talvez o melhor seja consultar o seu médico e talvez requerer ainda um período de auxílio-doença. Quando receber alta, lembre de contribuir no mês imediato para que o tempo de afastamento também seja contado como tempo de contribuição.
          Pardal

  128. Oi Bom Tarde , gostaria de saber se eu tenho direito no auxilio doença ,em 2011 tive minha primeira dor na coluna fiquei 15 dias em casa fiz raio x ,tomografia e não deu nada mas as dores continuaram em 2012, continuaram tbm agora esse ano deu de novo mas deu mais forte não conseguia nen mexer de tanta dor dai fui consulta dai o medico me deu uma ressonancia pra fazer fiz e deu que estou com hernia de disco se eu não me cuidar vou ter que fazer cirrugia ele me deu fisioterapia pra mim fazer, minha carteira é assinada desde 2008 só que agora não estou trabalhando será que tenho direito ao auxilio doenças

    • Oi, Marceli, se você atualmente está contribuindo para o INSS, com carteira assinada, por exemplo, deve solicitar auxílio-doença e comparecer à perícia médica com um bom relatório de seu médico indicando a sua incapacidade. Se você estiver sem contribuir por mais de um ano, então terá perdido a qualidade de segurada e não receberá o benefício.
      Pardal

  129. Cesar disse:

    Sou corretor de seguros ( especializado no mercado de energia), um problema psiquiátrico me deixou afastado por 1 ano e 10 meses. Neste período, o mercado que é de alta complexidade, modificou muito e terei trocar de ramo. No meu caso contribuo a 17 anos para o INSS, continuo em tratamento, R$ 400,00 em medicamento mensal,15 seções ao médico por mês, 2 médicos ( um pelo SUS e outro particular )ambos não querem me dar alta. Existe período para reabilitação profissional para autônomo ou algum programa de re-inserção profissional ao mercado de trabalho?

    • Oi, Cesar, você poderia exigir do INSS um programa de reabilitação profissional, direito de todos os segurados, mas dificilmente haverá algum programa. Apresente as suas pretensões no INSS enquanto estiver recebendo o benefício auxílio-doença; portanto, deve insistir em continuar afastado exigindo a reabilitação.
      Pardal

  130. pago onze porcento de contribuição,gostaria de aumentar para vinte porcento,como devo fazer,já faz dois anos e oito meses que comecei,outra coisa estou recebendo auxílio doença até final do mês,estou tentando prorrogar,como devo fazer para contribuir um pouco a mais.Aguardo sua resposta.Obrigada!!!

  131. Dr. Sérgio,tenho uma irmã de 34 anos,há vários anos está com problemas psicológicos e psiquiátricos,inclusive já foi hospitalizada para tratamento intensivo. Ela tem uma propriedade rural pequena,porém não tem como trabalhar devido a condições débil de saúde.Gostaria de saber se ela tem direito de ser aposentada por invalidez ou direitos de auxilio doença? e como proceder para consegui-lo? Obrigado! aguardo suas orientações!

    • Oi, Helia, para ter direito a qualquer benefício do INSS tem que estar contribuindo. Apenas a propriedade rural, sem contribuições, não dá direito algum, porque desde 1988 os trabalhadores rurais, como empregados ou especiais, tem a obrigação de contribuir para o INSS.
      Pardal

  132. DR.Aproveito a oportunidade para também perguntar sobre um caso de uma amiga que aos 67 anos de idade não tem o benefício. Ela nunca contribuiu devido a problemas de saúde e porque também era do LAR, gostaria de saber como ela deve proceder já que nunca contribuiu,nunca trabalhou de carteira assinada. Ela tem direito pela idade já avançada? o que fazer neste caso? aguardo ansiosa suas orientações!! Obrigado!

    • Oi, Helia, sem contribuir não tem direito a qualquer benefício. Na assistência social (LOAS) existe um benefício para quem tiver 65 anos de idade, mas apenas se estiver em condições de miséria, sem qualquer possibilidade de sustento.
      Pardal

  133. mema da silva disse:

    bom dia,
    tenho 50 anos de idade e 25 anos de contribuiçoes, e a 6 anos foi reconhercida a minha incapacidade, e agora fui informado pelo tecnico do inss que meu auxilio doença so vai ate julho de 2013, não fui capacitado e nem reabilitado.
    sérgio o que fazer neste caso, sera que tenho direito ao auxilio acidente.
    o meu hismed e ordem 07 conclusão 4
    um abraço.

    • Oi, Mema, 15 dias antes de vencer o seu auxílio-doença, você deve ir ao INSS e requerer nova perícia médica para continuar recebendo o benefício ou até convertê-lo em aposentadoria por invalidez. Importante que você leve um bom relatório do seu médico, datilografado, com o histórico da doença e a definição de sua incapacidade, indicando inclusive a aposentadoria por invalidez se ele achar necessário.
      Pardal

  134. Concedido auxilio doença a pessoa desempregada, por estar dentro dos critérios para a concessão, que em razão da doença ficou invalido para o trabalho com amputação de uma perna e deficiência na outra, pode se inscrever como autônomo para completar tempo para aposentar-se por idade.

  135. Caro Dr. Sérgio.
    Qual o caminho indicado para o caso abaixo?

    Trabalhador que estava desempregado, conseguiu auxilio doença por estar dentro dos critérios como segurado e apos em razão da doença ficou invalido com amputação de parte de uma das pernas e deficiência na outra, estando em cadeira de rodas, tendo recebido referido auxilio por 4 anos e 11 meses, auxilio este que foi suspenso por alegação de constatação de irregularidade/erro administrativo, eis que no período de recebimento do auxilio doença o segurado passou a contribuir com o INSS como trabalhador autônomo para conseguir o tempo de contribuição de 15 (quinze) anos para a aposentadoria por idade de boa fé,não tendo havido qualquer insurgência ou mesmo advertência sobre o fato por parte da autarquia previdenciária até completar o tempo que faltava.

    No entanto 1(um) mês antes do pedido de aposentadoria por idade veio a suspensão do beneficio de auxilio doença.

    Assim o segurado entrou com o pedido de aposentadoria por idade por estar completo o tempo de minimo de contribuição e possuir idade.

    Todavia o INSS indeferiu o pedido alegando que o requerente esta recebendo beneficio no âmbito da seguridade social, sendo que já estava suspenso.

    Agora apresentaram um débito ao segurado de + ou – R$ 35.000,00 referente aos valores recebidos pelo auxilio doença.

    Com isto, não tendo o segurado condições de quitar o referido débito, informaram-no que será deferida a aposentadoria com a concordância de ser descontado dos valores da aposentadoria a ser mês a mês o valor de 30% do que recebe para pagar a divida apresentada.

    Portanto, pergunta-se qual o melhor caminho a seguir e se correto a devolução dos numerários, que injustamente aplicado.

    • Oi, Paulo Roberto, com tantos erros fica difícil um melhor caminho: tivesse o trabalhador se mantido no auxílio-doença, este seria convertido em aposentadoria por invalidez. Assim, se as contribuições incorretas foram sobre um salário mínimo, eu acho que a única alegação viável é a verdade. Estaria então abrindo mão das contribuições vertidas incorretamente e deveria voltar a receber auxílio-doença e talvez aposentadoria por invalidez. Qualquer outra saída negociada implicará em reconhecer que o trabalhador estava capacitado, trabalhando, e recebendo indevidamente o benefício por doença.
      Pardal

  136. Boa Noite Dr. Sérgio, preciso de uma orientação.
    Vamos lá:
    Tenho um irmão que em 2005 foi diagnosticado com Esclerose Multipla. Desde 1995 ele recolhe INSS como autônomo, sendo que em meados de 2008 ele abriu uma lan house, tendo alterado a sua forma de contribuição em meados de 2011 recolhendo na condição de empresário.
    Pois bem, a aproximadamente 8 meses, o seu quadro piorou, sendo certo que encontra-se com a sua capacidade de locomoção totalmente comprometida, com as suas atividades fisiológicas acometidas (incontinência), além de outros transtornos diários que possui, sentindo-se muito cansado para trabalhar, passando por constrangimentos diários pelo seu problema fisiológico e tentou junto ao INSS o auxílio doença, passando por 2 perícias, sendo negado o seu pedido. Pergunto: Ele tem direito ao benefício? O que devemos fazer? Qual a fundamentação legal? Será que recorremos administrativamente ou judicialmente? Desde já agradeço. Ana.

    • Oi, Ana Carolina, se o resultado da perícia aponta que não existe incapacidade para o trabalho, a saída, tanto na via administrativa quanto na judicial, é apresentar um bom relatório do médico que acompanha o segurado, datilografado e com todo o histórico, além da indicação sobre a incapacidade laboral, até mesmo recomendando a aposentadoria por invalidez. Importante que ele esteja contribuindo regularmente.
      Pardal

  137. Tenho uma dúvida. Há mais de um ano faço tratamento psiquiátrico, quando estava trabalhando já tinha pensado em requerer o auxílio, mas na época não pude requerer devido estar trabalhando e o mesmo problema na época não ser reconhecido como doença para requerer o benefício. Só que hoje estou desempregado, minha família está desamparada e pensei justamente nesta questão de estar fazendo este tratamento e requerer este benefício. No meu caso eu tenho direito? Só para terminar, no ano passado fui diagnosticado com Transtorno Bipolar, e desde Abril de 2012 faço tratamento psiquiátrico.

    • Oi, Paulo, se você está há muito tempo sem contribuir, tendo perdido a qualidade de segurado, não tem como conseguir benefício do INSS. Se você ainda conseguir provar (talvez com bom relatório médico) que estava incapacitado quando tinha a qualidade de segurado.
      Pardal

    • BOA NOITE DR SERGIO EU SOU A ANA MARIA ATE O MOMENTO NAO CONSEQUI RECEBER MEU AUXILIO FUI AO POSTO FALEI COM O RESPONSAVEL ME DISSE QUE NAO PODIA FAZER NADA PORQUE LA SO TEM DPS FUNCIONARIOS QUE FAZ ESSE PROCESSOEU DISSE QUE MEU AUXILIO TERMINARIA DIA TRINTA DE JULHO ELE DISSE QUE ERA PARA MIM MARCA OUTRA PERICIA MAS QUE EU AGUARDASE TALVES EM AGOSTO EU IRIA RECEBER TODO ATRASADO EU PERGUNTO AO SENHOR SERA VERDADE O QUE ELE ME DISSE? ATE O MOMENTO NAO COLOCARAM NO SISTEMA DELES AS MINHAS CONTRIBUIÇOES PAGA DO BAIXA RENDAEU JA RECLAMEI NA OUVIDORIA JA LIGUEI PARA BRASILIA DISSERAM QUE IAM RESOLVER E ATE AGORA NADA PERGUNTO AO SENHOR DEVO IR NA GERENÇIA GERAL OU AGUARDO ATE AGOSTO NAO POSSO TRABALHAR MINHAS DORES CONTINUA MEU JOELHO CADA DIA PIOR OU O SENHOR ACHA QUE DEVO ENTRAR COM UMA AÇAO JUDICIAL CONTRA O INSS AGUARDO SUA RESPOSTA MUITO OBRIGADO POR SUA ATENÇAO ANA MARIA

  138. Marcio Santos disse:

    DR. Sérgio gostaria que me tirasse uma dúvida: Estou encostado pelo INSS pela empresa, sendo que sou também micro empreendedor. Pago mais de dois anos o MEI. Já fiz duas círúgias no joelho direito e vou operar o esquerdo. Quero saber se posso requerer auxilio doença do MEI sendo que já recebo pelo INSS auxilio doença. Obrigado Marcio

    • Oi, Marcio, o seu regime de previdência é um só, ou seja, só tem direito a um benefício e não deveria nem estar contribuindo como MEI enquanto está incapacitado para o trabalho. Inclusive a sua contribuição teria alguma influência no valor do auxílio-doença, mas muito pouca.
      Pardal

  139. Lilian disse:

    Dr Sérgio boa noite. Gostaria de agradecer pelo site, vejo que é bastante movimentado e de grande utilidade. Bom, minha pergunta é a seguinte: Estava desempregada ha 6meses quando quebrei meu pé. Após 17 dias fui chamada a lecionar para crianças e não pude aceitar pelo fato de estar com pé quebrado (em uma tala). Frustrada e com muitas dificuldades financeiras pesquisei e me dei conta de que ainda mantinha a qualidade de segurada(por 12 meses). Fui ao SUS,me consultei e fui diagnosticada com o cid referente e engessada(antes havia apenas tala, pois só havia passado no Pronto Socorro). O atestado que recebi refere-se a dois meses de afastamento, mas a partir da data da consulta, ou seja 17 dias após o acidente que ocasinou a quebra. Marquei, portanto a perícia medica que seria para um mês após a solicitação. Ha alguma possibilidade de ser negado o beneficio, ou de ser recebido parcialmente? Ha possibilidade de receber o valor retroativo ou ambos os meses de uma só vez?
    Desde já agradeço.

  140. Lilian disse:

    Ah, e terei de passar por duas perícias, para receber cada mês (dos dois do atestado)?

  141. DR. Sérgio gostaria que me tirasse uma dúvida. Meu namorado nunca trabalhou e quando completou 18 anos foi servir ao batalhão e ficou lá por um ano. Quando saiu de lá começou a trabalhar em uma empresa e quando completou oito meses de contribuição teve que se afastar pois estava com bursite. No dia da perícia o INSS não concedeu o beneficio porque ele não havia contribuido o tempo mínimo de 12 meses, só que ele não pôde voltar a trabalhar porque o médico dele deu mais 60 dias de atestado. Nesse caso ele pode pagar os 4 meses faltantes para o INSS como facultativo (código 1473 – 11%) e depois tentar fazer uma nova péricia?
    Desde já agradeço, Gesiele

    • Oi, Gesiele, nem pagando os 4 meses que faltariam para o período de carência do auxílio-doença, ele conseguirá o benefício para este tempo. Ele teria estar com o tempo completo quando apresentou a incapacidade para o trabalho.
      Pardal

  142. Olá DR. Sérgio, meu marido conseguiu o auxilio doença, como ele contribuía sobre teto máximo à mais ou menos 15 anos, deveria receber referente a 91%, só que o veio descontando uns 25%. Será que foi erro de cálculo do INSS? como ele deve proceder? Ele pode pedir que seja convertido em aposentadoria por invalidez, já que quando ele entrou com o processo foi justamente por aposentadoria por invalidez, o pedido feito.
    Me explique o que devo fazer, por favor.
    Obrigado pela atenção, Marta.
    Se possível quando responder coloque apenas,Marta D.D.V.

    • Oi, Marta, a base de cálculo é a média dos maiores salários que correspondam a 80% de todos de julho de 1994 até o início do benefício, e no momento nenhuma média alcança o teto atual. A aposentadoria por invalidez virá da conversão do auxílio-doença que ele está recebendo,quando o perito do INSS entender que ele não voltará ao trabalho.
      Pardal

  143. Carolina Maia disse:

    Oi, Dr Sérgio, boa noite!
    Há dois anos recebi o auxílio doença durante seis meses por causa de um tratamento quimioterápico. Agora receberei novamente por causa do mesmo problema, provavelmente por um período maior. A minha dúvida é se eu, como autônoma, devo continuar com as contribuições ao INSS nesse período? Caso não, manterei a qualidade de segurada?
    Desde já agradeço!

    • Oi, Carolina, durante o tempo de recebimento do auxílio-doença você não deve contribuir e mantém sim a qualidade de segurada. Se você contribuir antes e depois do período de afastamento, este tempo conta inclusive para aposentadoria por tempo de contribuição.
      Pardal

  144. Bom dia Dr. Trabalhei muitos anos de carteira assinada, mas o último emprego foi em 1991. Comecei a recolher como autônomo, e recebi o auxilio doença contando para os cálculos, somente esse período de autônomo, isso é correto?

    Obrigado!

    • Oi, Adalberto, a média que se usa é dos maiores salários que representem 80% de todos de julho de 1994 ao início do benefício, mas é uma média, você não perde em razão de serem poucos os meses de contribuição. A dificuldade seria contabilizar os salários do tempo anterior (existe ações com esta intenção) porque eram em outras moedas (cruzeiro, cruzado, etc.).
      Pardal

  145. Bom dia…
    Estou com um problema que está me tirando o sono. Coloquei o INSS na justiça, após ter recebido alta, que considerei indevida. Após mais de 2 anos de idas e vindas, a juíza decidiu que eu deveria voltar. Imediatamente, minha advogada recorreu da decisão. Ao me apresentar ao médico do trabalho da minha empresa, o mesmo me considerou inapta. Tentei pedir reconsideração ao INSS, mas o mesmo exige o documento da empresa, na qual consta o último dia trabalhado, pois havia passado o período para pedir reconsideração e passou a ser uma nova perícia. No entanto, não possuo esse documento pois como não retornei efetivamente ao trabalho, então não recebi o dito documento. Possuo apenas o Atestado de Saúde Ocupacional, no qual consta que estou inapta.
    Agora, o INSS se recusa a fazer uma nova perícia sem que eu apresente o tal documento com o último dia trabalhado. Minha empresa por sua vez, exige o pedido de nova perícia.
    O recurso apresentado judicialmente, por minha advogada, pode substituir a nova perícia do INSS? Afinal, preciso apresentar algum documento para minha empresa(BB).
    Muitíssimo obrigada pela atenção… já não sei o que fazer.

    • Oi, Patrícia, você deve conversar com a sua advogada para poder resolver o problema, mesmo solicitando que ela faça contato com a empresa. Sempre é bom lembrar aos empregadores que o TST entendeu que se o INSS não pagar o benefício, a responsabilidade fica com a empresa, ou seja, se você não receber o benefício do INSS, mesmo a empresa entendendo que você não pode trabalhar, ela terá que pagar o seu salário. Esta é uma alegação que fará a empresa se esforçar mais para resolver o seu problema junto ao INSS.
      Pardal

  146. Evelyn disse:

    tenho dúvidas sobre o valor do auxílio doença, meu marido é autônomo e pagava o valor de 125 para o INSS, porque ele recebe apenas um salário mínimo de auxilio doença? E qual o valor da aposentadoria se ele aposentar por invalidez? Obrigada

    • Oi, Evelyn, a contribuição do autônomo é de 20% de seu salário-de-benefício, e assim, provavelmente seu marido contribui sobre um salário mínimo, e qualquer benefício que ele vá receber será no valor de um salário mínimo.
      Pardal

  147. ODILA ZANATA disse:

    GOSTARIA DE SABER SE POSSO REQUERER, APOSENTADORIA POR INVALIDEZ POIS SOU PORTADORA DE DISCOPATIA DEGENERATIVA, ARTROSE NA COLUNA, VÉRTEBRA DE TRANSIÇÃO, FIBROMIALGIA, ESPONDILITE, TENDINITE EM AMBO OS BRAÇOS, VALE LEMBRAR QUE SOU PROFESSORA HÁ 30 ANOS E A DOR É INTENSA ME OBRIGANDO VIVER DE ATESTADOS PREJUDICANDO ASSIM A ESCOLA E MEUS ALUNOS.

    • Oi, Odila, é preciso solicita o auxílio-doença no INSS, passando pela perícia médica, e depois convertendo para aposentadoria por invalidez. De qualquer forma, com 30 anos de contribuição você pode se aposentar.
      Pardal

  148. olá bom dia, gostaria de saber qual o valor que eu receberia de auxilio doença pagando o valor minimo de 74,58 de contribuiçao.

  149. ANGELA LEMOS disse:

    OLÁ!SERÁ QUE PODERIA ME AJUDAR COM UMA INFORMAÇAO? TENHO 46 ANOS E CONTRIBUI 2 ANOS COMO MOTORISTA AUTONOMA,HA 6 MESES FIZ O MEI,MS NAO INTERROMPI OS PAGAMENTOS.HÁ UNS 5 MESES COMECEI A SENTIR DORES NAS COSTAS,FUI HA UM ORTOPEDISTA E ELE DIAGNOSTICOU BICO DE PAPAGAIO E MANDOU QUE PROCURASSE UM NEURO,FIZ UMA RESSONANCIA E FOI DIAGNOSTICADO VARIAS HERNIAS DE DISCO,INCLUSIVE ALGUMAS EM ESTADO DEGENERATIVO E TAMBM UM HEMANGIOMA…SERÁ QUE TENHO DIREITO AO AUXILIO?

    • Oi, Angela, se você está contribuindo e tem mais de um ano de contribuições, mesmo que não em período contínuo, terá direito ao auxílio-doença se estiver incapacitada para o trabalho. Solicite o benefício no INSS e leve todas as informações quando passar pela perícia médica.
      Pardal

  150. Sou optante pelo MEI e contribuo há um ano e meio. fiz uma cirurgia para retirada de um nodulo de mama, ficarei parada de 15 a 20 dias. Posso requerer o auxilio doença já que só tenho essa renda? e como faço se tiver esse direito.

    • Oi, Marcia, o auxílio-doença é devido ao segurado que ficar mais do que 15 dias incapacitado para o trabalho. Você deve solicitar no INSS e passar pela perícia médica com todas as informações, laudos e exames médicos.
      Pardal

  151. clarice disse:

    Boa tarde! meu irmão é e sempre foi técnico em eletrônica, foi acometido por problemas de visão, em um olho sempre teve acuidade visual 20/200, contudo, devido a sua profissão e ao grande esforço atribuido a apenas um olho passou a ter dificuldades de visão também no olho bom. Em vista disso não consegue mais exercer seu trabalho. Em março de 2012 deu baixa em sua empresa prestadora de serviços, em maio agendou perícia para receber auxílio doença. O INSS negou o auxílio. Em meados de 2013, com a piora da visão procurou um especialista que detectou um problema crônico que ocasiona descolamento de retina no olho bom, inclusive o olho já possui diversas cicatrizes devido a inúmeros eventos de descolamento. Desde a baixa da empresa não conseguiu mais trabalhar e contudo não pagar INSS. É possível ainda requerer o auxilio ou aposentadoria judicialmente?

    • Oi, Clarice, ele deve requerer o auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez com base na incapacidade que se apresentou quando ele estava contribuindo, e para solicitar judicialmente é bom procurar um advogado especialista e de sua confiança.
      Pardal

      • clarice disse:

        pois é Dr, ocorre que não foi reconhecida pelo perito a incapacidade no período em que contribuia, também não havia laudo médico indicando a doença, havia apenas queixas de falta de visão, a doença já existia mas foi diagnosticada oficialmente mais tarde, contudo, na esperança de conseguir voltar ao trabalho e continuar pagando o INSS deixou expirar o prazo da carencia, no entanto não conseguiu mais retomar o trabalho e consequentemente pagar INSS. Pode-se requerer a aposentadoria levando em consideração o dia da negativa do INSS. Obrigada

  152. simone disse:

    boa tarde pago o carnê do INSS a 4 meses e a 2 meses comecei com dores fortíssimas na coluna foi constatado ESPONDILOARTROSE LOBO SACRA!tenho direito ao auxílio?e quando posso agendar uma perícia tem carência?

    • Oi, Simone, o auxílio-doença exige 12 meses de contribuição como carência. Pode valer tempo anterior, tendo pelo menos 4 meses de contribuição na atualidade. Continuar contribuindo nem sempre resolve porque o INSS pode alegar doença pré-existente.
      Pardal

  153. rosane disse:

    fas 4anos que parei de contribuir com o inss comecei agora em janeiro de 2013 a comtribuir como facultativa sou dona de casa a 2 semana fis exame e deu patologia no joelho meu medico me deu laudo para o auxilio doenca quero saber se tenho esse direito ao auxilio doenca muito obrigado

    • boa noite dr. sergio, estou a tres anos de benificio, devidos as minhas artroses em todo os meus membros,só q a empreza aqual eu trabalhava falio,caso o meu benificio seja cortado, quais as providencias q devo tomar, fico agradecido desde ja.

      • Oi, Paulo Jorge, se você tiver alta e seu benefício for cortado, você deveria procurar a empresa, ou o que sobrou dela, pelo menos para receber verbas rescisórias. Infelizmente talvez não possa fazer nada.
        Pardal

  154. Lu Ferrari disse:

    Dr. Sergio,

    Apenas esclarecimentos, não localizei informação em lugar algum.
    Foi concedido meu beneficio de 18/03 a 12/06, hoje quando fui conferir extrato constava apenas o período e 01/06 a 12/06. Saberia me dizer como será feito o pagamento dos meses anteriores?

  155. Oi, você já readquiriu a qualidade de segurada, solicite o benefício e a perícia do INSS é que vai dizer se você terá direito. É bom lembrar que você só pode estar incapacitada para o trabalho agora, depois de ter retornado a contribuir por algum tempo.
    Pardal

    • Olá Sergio, meu pai somente contribui para o INSS, há muito tempo atras quando trabalhava para empresa,ocorre que seus últimos 15 anos de trabalho foi como autônomo, e não contribuía para com o INSS, ocorre que o mesmo foi surpreendido pelo câncer e ficou impossibilitado de trabalhar,ia facultativamente ,com o laudo medico,datada em 06/09/2010.

      pois bem, ele resistiu bem ao primeiros anos da doença,entretanto câncer se alastrou e meu pai, já não ia nem, mais as vezes trabalhar,começamos a pagar o INSS a partir de 06/2011 e pagamos ate 12/2011. O pedido do auxilio doença foi requerido em 01/09/2011.

      o Beneficio foi indeferido por falta de qualidade de segurado. Mas constatou a perecia medica a incapacidade p/ o trabalho, fixando a data de inicio da incapacidade em 06/09/2009, (quando se deu o primeiro laudo medico)e a doença isenta do período de carência.

      O que diz na carta do INSS :” verificamos que apos o encerramento do vinculo empregatício junto a empresa agassete, (único trabalho com carteira assinada)em 31/12/1986 ocorreu a perda da qualidade do segurado e somente reintegrando no regime previdenciário em 06/2011, posterior a data de inicio da incapacidade fixada pela pericia medica do INSS.

      ” o segurado não faz jus ao beneficio pleitado uma vez que na data de inicio da incapicidade, nao atendeu aos artigos 13, 14,20 e 71 do decreto 3.048/99.

      fizemos um simples recurso narrando por mim mesma e ele foi indeferido com o que foi justficado pelo INSS, pois bem meu pai faleceu em 13/01/2012,a carta a respeito do recurso chegou em 30/08/2012. Sei que a precrição para recorrer é de 5 anos. ENFIM MINHA PERGUNTA : DR. CABE AJUIZAR UMA AÇÃO NESSE CASO ??? minha mae que receberia no caso o auxilio ou a indenização correto???

      • Oi, Tamires, o benefício para o segurado não seria concedido porque a incapacidade seria anterior ao retorno das contribuições, porém, com as contribuições de junho de 2011 até dezembro de 2011 e ele falecendo menos de um mês e meio depois de parar de contribuir, o INSS deve pagar pensão por morte. Sua mãe deveria ter requerido a pensão imediatamente após o falecimento, em todo caso, deve requerer já.
        Pardal

  156. ola Sergio Pardal Freudenthal boa noite eu tentei suicídio e teve que abrir minha barriga e ai comecei tratamento com psicologia psiquiatra e dei entrada no beneficio do inss e fiquei encostada a 1ano e 10 meses agora me tiraro meu auxilio doença e tenho laudo dos meus dois medcos e sou bipolar e tenho muita depressão se eu ficar sem meus remedio e me aborrecer posso matar ate um te ja pensei em suicido novamente sempre entro em crise o que faso bgd fica com deus

  157. Olá Dr. Sergio sou tec. em Telecomunicaçoes trabalhava na instalação de antenas (sistema de telefonia Celular) meu serviço exige esforço, tenho que puxar antenas, ferragens e cabos para o topo das torres, fico as vezes horas de pé lá em cima, já operei varizes a primeira em 2000 para tirar safena da perna direita e ramificaçoes, em 2012 fui demitido por não ter condiçoes de trabalho, operei novamente as varizes, desda vez operei as duas pernas e tirei a safena da perna esquerda e ramificaçoes, de 2006 pra cá tive 13 fribrilação atrial e fltter, tres delas agudas com internação para reversão, tomo remedios continuos para o coração, e para dores nas varizes cronicas segundo meu laudo medico, e diz que tenho incapacidade por tempo indeterminado ao meu trabalho na minha area que sempre trabalhei, não passo pelo exame admissional das empresas que é de esforço para tal função, tive 9 meses de beneficio e me negaram após na pericia agora dia 12/06/2013, o que entendo é que não dão mais que meses.
    Pergunta :
    1-Entro entro com o pedido de tutela antecipada após ser negado a per. de prorrogação?
    2- Entro já via judicial para requerer minha aposentadoria?

    sem mais aguardo e obrigado!

  158. ROSANE disse:

    OI DR FAS 4 ANOS QUE PAREI DE CONTRIBUIR COM INSS COM CARTEIRA ASSINADA AGORA EM JANEIRO DE 2013 COMECEI A COMTRIBUIR DE NOVO ISSO FAS 6 MESES COMO FACULTATIVA A 3 SEMANA FIS EXAME DO JOELHO E DEU PATOLOGIA EO MEDICO DEU LAUDO PARA MIM RECEBER O AUXILIO DOENCA SERA QUE TENHO ESSE DIREITO SO TRABALHO 2 DIAS NA SEMAN MAS SEM CARTEIRA ASSINADA MAS COMTRIBUO COM INSS COM FACULTATIVA ME RESPONDE POR FAVOR

  159. Olá , meu pai está internado na UTI já á 40 dias.Gostaria de saber se é necessário que a gente pague o carnê do Inss neste período. Já que ele está internado, como faço para pedir o auxílio-doença?Ele está sedado, acredito que não temos como pedir á ele para que assine uma proucuração.

  160. Dr:Pardal,Eu tenho Cirurgia Cardíaca,com o diagnóstico (VALVA MITRAL COM DUPLA LESÃO:ESTENOSE MODERADA E INSUFICIÊNCIA DISCRETA,INSUFICIÊNCIA AÓRTICA DISCRETA,INSUFICIÊNCIA TRICÚSPIDE DISCRETA,HIPERTENSÃO PULMONAR DISCRETA E DILATAÇÃO BIOTRIAL).E de 7 anos para cá,eu tive uma forte crise de ARRITIMIA CARDÍACA que me levou para uma UTI por 5 dias,no momento preciso tomar os seguintes remédios:(AMIODARONA E FUROSEMIDA)Esses medicamentos me deixa muito mal,e o pior que tenho que tomar pelo resto da vida.Sinto muita fraqueza,mal estar,dores no estômago,tremedeira e varias sensações terrivel.E agora para complicar as coisas,depois da Morte do meu Avô e da minha Tia,eu desenvolvi uma Depressão muito terrivél,não vou disser que seja muito forte,mais o suficiente para me prender em casa e me privar de todas as minhas atividades,não consigo nem ir atrás de um Psiquiatra.Eu trabalho de Pescador Artesanal a 4 anos,estou em dia com o INSS e não consigo mais fazer meu trabalho.Tenho direito ao Auxilio doença ou até mesmo Aposentadoria?,Esse dinheiro não mudará minha vida,mais irá ajudar bastante nesses momentos de sofrimento,apesar de ser um direito meu,eu preferia estar trabalhando e feliz da vida,SÓ QUE NÃO CONSIGO.OBS:(“Posso dar a entrada,como Depressivo,ou Cardíaco,ou com os dois? E o que eu preciso apresentar para a pericia na questão psiquiátrica,além do Laudo médico?”).

    • Oi, Héber, você deve solicitar auxílio-doença e comparecer à perícia médica do INSS com toda a documentação sobre a sua saúde. De acordo com a perícia você poder inclusive ser aposentado por invalidez.
      Pardal

  161. Dr Pardal, preciso de uma orientação, tive meu filho a 1 ano e 7 meses e aos 3 meses foi diagnosticado Depressão pós parto. Sou autonoma (corretora de seguros) depois da minha licença voltei a trabalhar mas não consegui fui encaminhada pela minha psiquiatra para o auxilio doença CID F32.2 mas o perito da minha cidade disse que não era caso de auxilio doença e que não iria receber o benefício mesmo assim recebi 30 dias, mas agora ainda não consegui me recuperar pois no meu trabalho onde exerço a terceirização sou muito humilhada , tenho fibromialgia por causa da depressão e muitas vezes não consigo sair da cama de tanta dor, e agora está refletindo no meu filho pois ele também está apresentando problemas estou fazendo acompanhamento psicológico para ele.e em nova consulta fui orientada a fazer pericia novamente pois meu trabalho está contribuindo para a minha não melhora, mas estou com medo pois 30 dias a medicação começa a fazer efeito precisaria de mais tempo. por que foi dado tão pouco tempo pode ter sido o parecer do medico , e no meu caso cabe um auxilio de mais tempo.

    • Oi, Adriana, para ter direito ao auxílio-doença, além de estar contribuindo deve estar incapacitada para o trabalho. Tente levar na perícia um bom relatório do seu médico e se não conseguir administrativamente procure um advogado especialista e de sua confiança para analisar a possibilidade de ajuizar uma ação.
      Pardal

      • Obrigada Dr Pardal pela resposta, mas eu tenho o laudo da minha psiquiatra atestando que estou incapacitada para o trabalho, por isso lhe pedi orientação se sou contribuinte estou incapacitada tenho o laudo da medico por qual motivo não tive direito a outra vez, e como vou fazer pois não consigo trabalhar e sem trabalhar fico sem renda, como vou continuar meu tratamento? é isso que não entendo, com todas as provas ainda foi negado o benefício.

  162. Jurema Mello disse:

    Boa tarde Dro,em Junho de 2012 eu tive uma forte dor na coluna que me incapacitou para o trabalho na época eu era empregada doméstica com carteira assinada(de fevereiro á junho),e a Dra diagnosticou em laudo a incapacidade,porem como eu ainda não tinha 12 contribuições não tive direito ao beneficio,por não conseguir mais trabalhar fui forçada a pedir demissão,desde setembro de 2012 contribuo como dona de casa pois sou beneficiaria do BF,desde a semana passada eu estou em tratamento ,e apóis exames descobri que eu estou com disfunção da coluna cervical que causa,dores de cabeça,vertigem,zumbido no ouvido etc.gostaria de saber se posso entrar com pedido de auxilio doença no INSS.se o tempo de carencia começa a contar de Fevereiro quando assinei a carteira ou apartir de setembro de 2012,quando passei a pagar como dona de casa?.

    • Oi, Jurema, o tempo de carência é todo o tempo de contribuição, sendo sem a perda da qualidade de segurado pelo menos 1/3, no caso do auxílio-doença são 4 meses. Porém, é preciso observar que se a doença, a incapacidade para o trabalho, surgiu antes destes 4 meses não vai valer, o INSS alegará “doença preexistente”.
      Pardal

  163. 06/26/2013 ás 21:55
    Sofro com depressão há 09 anos. Contribui 15 anos de INSS trabalhando em empresas onde começou minha depressão. Fiquei muita lenta no trabalho e em uma redução de quadro de funcionários, fui demitida. Comecei contribuir como autônoma há 05 anos portanto tenho 20 anos de contribuíção de INSS, hoje não consigo dar conta dos afazeres da casa, devido aos antidepressivos que preciso tomar. Até meu casamento está abalado. Tenho um filho com 09 anos e outro com 18 que ainda estuda.
    Tenho direito a auxílio doença ou aposentadoria?

    • Oi, Zenaide, você deve solicitar o auxílio-doença no INSS e comparecer a perícia com um bom relatório do seu médico. Para se aposentar por tempo de contribuição é necessário ter 30 anos completos e a aposentadoria por idade é aos 60 anos para a mulher, com o mínimo de 15 anos de contribuição.
      Pardal

  164. robson xavier disse:

    ola meu pai descobriu um cancer no estomago e contribue a mais de 3 anos com inss como autonomo como faço pra ele receber o aucilio doença ..e se ele tem direito a isso

  165. boa noite tenho muitas duvidas como contribuinte autonoma tenho 31 anos nunca tive registro em clt porem pago o valor de 135,60 a um ano pois tenho uma pequena venda sou mãe tenho tres filhos menores gostaria de saber se por ventura ficar doente eu tenho direito de receber o auxilio doença é se vier a morrer meus filhos tem direito de receber pensão por morte até maior idade quanto tempo tenho que ter de contribuição para poder ter direito ao beneficio desde já obrigada

    • Oi, Fernanda, para o auxílio-doença o mínimo de contribuições é 12 meses e para a pensão por morte não existe carência, basta estar contribuindo. Com mais de 30 anos de contribuição você pode se aposentar quando quiser; no site do INSS você pode fazer uma simulação do valor de benefício. Os filho, na ocorrência do falecimento, têm direito à pensão até os 21 anos, e se você já estiver aposentada, o benefício é convertido.
      Pardal

  166. VANDERLEIA disse:

    OLA
    JA FAZ + OU – 3 ANOS QUE CONTRIBUO COMO AUTONOMA,PAGO 135,00 MENSAIS, SOU MANICURE E PEDICURE, UTIMAMENTE ANDO SENTINDO FORTES DORES NO OMBRO ESQUERDO, QUE TOMO MEDICAMENTO E NAO MELHORA, ME DEIXANDO IMPOSSIBILITADA DE ATENDER MINHAS CLIENTES.
    COMO DEVO FAZER PARA ENTRAR NO AUXILIO DOENÇA?
    PRECISO DE ALGUM DOCUMENTO PARA IR ATE O INSS?
    POR FAVOR ESCLAREÇA MINHAS DUVIDAS.

  167. Dr. Pardal por favor me ajuda, fiz novamente minha pericia e novamente foi negado , como comentei na outra vez sou corretora autonoma e estou com depressão a mais de 1 ano no inicio pedi auxilio doença e não consegui agora novamente foi negado tenho laudo da psiquiatra e psicologa atestando que não tenho condições para trabalhar o que eu faço, se entrar com o advogado isso não demora muito tempo? como vou trabalhar enquanto isso. me responda por favor

    • Oi, Adriana, infelizmente eu não tenho as respostas que você quer. O seu advogado com certeza vai solicitar antecipação de tutela, para que o juiz determine o pagamento provisório por parte do INSS, mas isto, se acontecer, também demora algum tempo.
      Pardal

  168. Cléo Ribeiro disse:

    Olá boa tarde, eu faço contribuição a quase 10 anos já um pouco como autônoma, um pouco registrada e agora como facultativa, vou fazer uma cirurgia de redução de mamas, não é relacionada a doença, é estética mesmo, mas me incomoda. Eu tenho direito a receber o benefício? Tem como fazer pela internet? Como eu devo proceder? Obrigada.

  169. Boa noite Dr.Sergio,tenho artrose,sou autônoma,dei entrada no auxílio doença,fiquei mais ou menos um mês e vinte e seis dias,não obtive melhora,então tentei uma prorrogação que foi negado,marquei o pedido de reconsideração,voltei ao especialista que me deu um outro laudo,que consta que tenho artrose um e dois e estou em tratamento fisioterapeutico,e estou impossibilitada para o trabalho.Pois no outro ele colocou que tinha apenas artrose inicial.O que o senhor acha será que tenho mais chance,ele falou que também é périto.Aguardo sua resposta anciosa,mais uma vez te agradeço.

    • Oi, Maria Eunice, é impossível prever o que achará o perito. Se você receber nova negativa, talvez seja o caso de procurar um advogado especialista e de sua confiança para avaliar o ajuizamento de uma ação.
      Pardal

  170. Olá Dr Sérgio, estou em auxilio doença, e acabei de fazer todos os meus exames e estou com osteocitos na coçuna lombo-sacra e na região dorsal, e tenho uma ressonância para fazer, pois também a suspeita de hérnia de disco na cervical e região lombar, sinto muito dor na coluna cervical e lombar com dormência e não estou conseguindo trabalhar, pois sou professora de musculação,tenho direito a me encostar pelo inss? Desde de já agradeço.

  171. MOISES disse:

    Prezado,

    Dr. sergio, por favor me de uma orientação, em 11/03/2013 sofri uma acidente de trabalho onde perdir parte do dedo, fiquei os 15 dias em casa, porém não dei entrada no auxilio doença, e fiquei trabalhando até hoje. hoje estou recuperado, porém ficou sequela e não desenvolvou mais o meu serviço como anteriormente, li que eu teria direito ao auxilio acidente , desde de que eu estivisse entrado em auxilio doença e através de uma pericia transformado neste auxlio indenizatorio.

    MINHA PERGUTA:
    posso ainda conseguir este auxilio, já que eu estou recuperado? porém com sequelas e redução de capacidade?
    posso estar agendando nova pericia, no inss disseram que´não será possivel conseguir pois estou trabalhando e recolhendo o inss, e também por eu ter faltado, agravou meu pedido indenizatorio(auxilio acidente ), será que será só via judicial ? tem algum fundamento para que eu possa estar ingressando alguma ação?

    obs> eu tinha macado 02 pericias onde faltei por motivos pessoais, e não pude comparecer.

    • Oi, Moises, sem ter ficado afastado por mais do que 15 dias e sem o Comunicado de Acidente do Trabalho do seu empregador, será bastante difícil conseguir o auxílio-acidente. Sempre cabe ação judicial, mesmo com poucas chances.
      Pardal

  172. Trabalho com representante comercial autonomo 11 anos,cada mes descontam um valor conforme meu ganho.Estou com problemas na coluna.Contatoupela tomografia lombalgia cronica,epondilodiscouncoartrose de coluna lombo sacra caracterizada por osteofitose difusa e hipertrofia das zigoapofisarias e dos ligamentos amarelos com estenose foraminal bilateralmente.Discopatia degenerativa em L4L5 e L5S1 com estenose dos recessos laterais emL4L5.Na ressonancia deu alteracoes degenerativas coluna lombar,protusao discal nivel L4L5,que imprime face ventral saco dural,projecao discal intraforaminal a direita L4L5,discreta estenose canal vertebral L4L5.Entrei com auxilio doenca e gostaria de saber como sera calculado o meu valor do beneficio,sendo que nestes anos tenho de 380,00 reais a 150,00 reais pagos de inss por mes.Nunca utilizei inss,o perito mandou eu entregar minha carteira motorista no detran para depois ver se aprovarao meu laudo.Minhas dores sao tantas que amanha irei no DETRAN entregar esta carteira e entregar o SIMA no INSS.Depois disto como fica minha situacao.No aguardo de um retorno,desde ja agradeco vossa atencao

    • Oi, Wellinton, se o perito do INSS entendeu que você está incapacitado para o trabalho (inclusive determinando a entrega da carteira de habilitação) deverá conceder o auxílio-doença, que é pago em 91% da média dos maiores salários que representem 80% de todos de julho de 1994 até o início do benefício.
      Pardal

  173. Tenho vitiligo,na maioria das vezes q faço o tratamento fico com bolas pq é um pulvoterapia feita com um acido, q me impede de mexer com as mãos por 3 ou mais dias,o rosto fica deformado…
    Posso me encostar ?

  174. Olá Sergio, faz muitos anos que eu não contribuo com o INSS, comecei a trabalhar em uma empresa registrado no dia 01/04/2013 e sofri um acidente no dia 18/04/2013 em casa, após o acidente foi constatado que eu tenho Dissociação escafo-semilunar e tenho uma cirurgia marcada para o dia 23/07/2013.
    Sendo assim que queria saber se eu tenho direito ao auxilio doença por não ter sido um acidente de trabalho, por eu já ter feito uma cirurgia no mesmo local a 23 anos atrás.

    • Oi, Rubines, o auxílio-doença para qualquer acidente não tem período de carência, mínimo de contribuições, ou seja, não precisa ser acidente do trabalho. Só haverá alguma dificuldade se entenderem que a doença causaria incapacidade mesmo sem o acidente, então poderão alegar “doença pré-existente”.
      Pardal

  175. Bom dia,pago meu INSS pelo MEI e estou impossibilitada de trabalhar por causa de hernia de disco,sendo que quem trabalha pra mim é meu esposo,mesmo assim tenho direito de salário doença?Obrigado

  176. Alves disse:

    Nossa, tive lendo os comentários desse povo sofrido. Tá difícil mesmo acho que precisa urgentemente de uma reforma na saúde pública brasileira. Só pensam em arrecadar, quando o segurado procura o auxílio, eles acham mil problemas, não há uma regra definida pra nada. Isso tá uma vergonha…..

  177. Dr.Pardal eu trabalho como pescador profissional a 4 anos,estou sem trabalhar a 3 mês correndo atrás de exames e consultas para dar a entrada no auxílio doença,e ontem finalmente eu consegui marcar essa maldita pericia,e foi marcada para dia 20/Agosto,também aconteceu uma coisa que me deixou meio perdido e sem saber,é o seguinte ontem quando eu fui na agência marcar a pericia,o atendente me disse que eu teria que voltar lá terça-feira que vem,para marcar uma entrevista eu perguntei a ela do que se tratava ela não me respondeu,então a minha duvida são as seguintes,Que Diabos é essa entrevista,que ninguém nem sabe informar como é.e o porque dessa entrevista,porque que é só com o pescador? e a segunda pergunta é se eu vou receber esse tempo de afastamento do trabalho,ou vai contar só esse mês do período que vou ter que esperar para a pericia?.Desde já muito obrigado por nos ajudar e tirar todas as nossas dúvidas.

    • Oi, Héber, o mais importante é que o auxílio-doença é devido desde o 16º dia da incapacidade para os empregados e desde o primeiro dia para os outros, mesmo que a perícia demore para acontecer (só é preciso ter requerido). Sobre a tal entrevista, não tenho a mínima ideia do que possa ser. De qualquer forma, não pode ser nada de importante; o benefício será devido se a perícia médica entender que você está incapacitado para o trabalho. Se o funcionário agiu de uma forma que você entende desrespeitosa, sem explicar o que é a tal entrevista, você pode procurar o superintendente do INSS e reclamar.
      Pardal

      • Dr.Pardal o senhor poderia passar saber o que são essas entrevistas para os pescadores profissionais antes das pericias marcadas,se é uma nova lei…sei lá algo que o governo tenha inventado somente para essa classe.Essa resposta para mim será de suma importância,já que nem no 135 do INSS nem uma das atendentes me souberam responder esse mistério,e será até bom para que eu possa estar preparado para essa entrevista e até na pericia.

        • Oi, Héber, vou procurar saber, mas talvez fosse importante você procurar o sindicato da categoria e ver mais informações.
          Pardal

          • Já procurei na colônia dos pescadores e eles não souberam me informar,a única coisa que a colônia me forneceu,foi um encaminhamento com todas as informações de pesca,como peixes,quantidades de pescado,local da pesca,espécies de peixes e muitas outras coisas referente a minha profissão.Por isso gostaria de saber sobre essa entrevista antes da data da pericia.Passe saber e me informe,por favor!.

          • Oi, Héber, não sei se conseguirei rapidamente. Até no INSS não encontrei quem sabe sobre a tal entrevista de pescador.
            Pardal

  178. Bom dia Dr. Sérgio,

    Sou contribuinte autonomo, exercendo a atividade de psicologo. Recentemente fui internado e sbmetido a uma cirurgia de visicula; o médico emitiu afastamento do trabalho por 15 dias (que termina em 01/08/13). Em contato com INSS pelo fone 135 ficou agendada a pericia para 08/08, ou seja uma semana após o fim do periodo de afastamento das atividades. Lendo os comentarios anteriores, inclusive com a participação de um perito do INSS, entendi que corro o risco de ser desprezado pela pericia o afastamento do trabalho e não receber o auxilio doença? Mesmo tendo sido operado e estando de posse de toda documentação médica?
    Agradeço sua atenção…

    • Oi, Wladimir, o auxílio-doença só é devido a qualquer segurado quando a sua incapacidade laboral é por tempo maior do que 15 dias. Ou seja, se o tempo de afastamento é só este, nem adianta solicitar.
      Pardal

  179. Bom dia Dr. Sérgio,

    não sei se o tema te muito haver mas.se puder ajudar.
    Meu pai era autônomo e faleceu no dia 17/07/2013 em um acidente no trabalho, sendo que trabalhou alguns anos de carteira assinada e após pagou autonomia até 2007. A duvida é se minha mãe tem algum direito a pensão, ou a resgatar algo em relação as contribuições passadas?

    obrigado!

    • Oi, Wanderson, sua mãe teria direito à pensão por morte do INSS se o seu pai estivesse contribuindo quando faleceu. Se ele estava trabalhando em uma empresa, mesmo que disfarçado como autônomo, pode caber uma ação contra a empresa.
      Pardal

  180. elias silva disse:

    Oi Pardal, fiquei desempregado em outubro e sofri um acidente quebrando o calcaneo em fevereiro de 2013, entrei com auxilio doença e no término em junho paguei como autonomo.falta 4 meses para me aposentar o tempo que fiquei de auxilio doenço conta como tempo para aposentar.obrigado

  181. Prezado Sergio
    28/07/2013

    Sou autônomo paguei mais de 20 anos de INSS faz um tempo que não pago todo mês pagando esporadicamente,tive um AVC em 02/10/12 e até agora o medico diz que não tenho condições de trabalhar.
    Pergunto tenho direito ao Auxilio doença?

    Grato,

    Wanderley Neto de Siqueira

  182. rita freitas disse:

    Sergio,boa noite!mande -me uma resposta se for possível por favor.Para continuar recebendo o auxílio doença depende mesmo de como a pessoa se encontra na saúde ou a previdencia dá o tempo certo para o perito dá alta para o segurado?Obrigado.

  183. rita freitas disse:

    Obrigado por sua resposta ,creio q vc tem ajudado muitas pessoas e isso é muito importante,Deus te abençoe por sua disponibilidade.RITA

  184. rita freitas disse:

    olá dr Sérgio!vou fazer -lhe mas uma pergunta;se a pessoa já está afastado do trabalho por 2 anos ,porque o perito ñ encaminha para um encostamento definitivo ou pelo menos alguns anos que fica,afasta 4 meses depois mais 6 e assim por diante?
    Como por exemplo no meu caso que é um problema neurológico pelo que os médicos já me falaram é permanente,então toda vez q vou a uma perícia é laudos ,receitas,exames…acho q pelas ressonancias apresentadas e eletroencefalogramas mostra o q tenho então ñ seria o caso de um encosto definitivo?Obrigado.

  185. Dr. Sérgio, gostaria do seu auxilio.
    Meu pai contribuiu por mais de 20 anos como trabalhador, ficou cerca de 10 anos sem contribuir, no ano passado contribuiu os 4 primeiros meses de 2012 como contribuinte individual. Este mês foi ao medico que o encaminhou para o inss, pois esta com problema grave da coluna.
    Gostaria de saber se e possível conseguir o auxilio doença para ele.

  186. bom dia fiquei segurada de 2009 ate abril de 2011 (fiz cirurgia de hernia de disco)apos ter alta voltei a trabalhar e fui demitida,apos não trabalhei mais de carteira,estou novamente com hernia na coluna com problemas de locomoção posso contribuir como autonoma para mais adiante pedir auxilio doença?

    • Oi, Ana Paula, você já perdeu a qualidade de segurada porque já passou mais de um ano sem contribuir. Voltar a contribuir para requerer o auxílio-doença terá a dificuldade do INSS alegar que a doença é pré-existente.
      Pardal

  187. Dr. Sergio, sou autônomo e contribuo como tal a mais de três anos consecutivos, estando para fazer uma cirurgia de coluna com previsão de ficar afastado do trabalho um certo tempo. Quando devo pedir perícia para concessão de auxílio-doença, antes ou após a cirurgia ?

  188. Só passando pra agradecer por disponibilizar seu tempo pra tentar responder a dúvida de todos. Isso mostra que vc é um ótimo profissional e dedicado no que faz.

  189. Dr.Sergio,sou autônoma contribuinte a 12 anos só me afastei neste período pra ter minhas filhas,licença maternidade, e agora estou muito decepcionada com os peritas do INSS,estou passando por um tratamento psiquiátrico deste de outubro de 2012,nas primeiras pericias foi liberado o beneficio,fiquei ate 25/03/2013 afastada,tentei voltar ao trabalho mais infelizmente sem sucesso, sou corretora de seguros tenho que estar sempre em ativa bem disposta mais com os remédios que tomo e impossível ate de levantar da cama, já e o terceiro medicamento que tomo,Daforin,Zoloft 100,Pristiq 100, e agora Paxil rs25 e meu beneficio vem então sendo toda vez indeferido, não sei o que fazer pois sou comissionada, ja 4 meses sem receber,mesmo assim contribuinte ativa do inss….o que posso fazer?

  190. Oi meu marido trabalha a 3 anos sem registro,o ultimo INSS pago foi em 2010. Agora ele está tendo problema psicologicos e trabalha sem registro em carteira atualmente. Será que ele tem algum direito de auxilio do inss??

  191. Boa noite Dr. Sérgio! Gostaria de tirar uma dúvida: O autôno tem direito de receber o auxílio doença desde que comprovada a incapacidade pelo INSS, certo? Comprovada a incapacidade ele receberá desde o primeiro dia que se afastou do trabalho ou só a partir do deferimento da perícia?
    Por exemplo: se ele se afastou dia 01/01/2013
    logo após fez o requerimento, a perícia reconheceu a incapacidade em fevereiro de 2013, ele receberá desde o dia 01 de janeiro que é o dia que se afastou, ou receberá somente a partir de fevereiro que é quando saiu o deferimento da perícia?
    Obrigada!

  192. Jaqueline disse:

    Bom dia Dr. Sérgio, meu esposo é pintor autônomo, mas não contribui mensalmente, contribui com a retenção de 11% sobre NF municipal a serviços prestados à pessoas jurídicas a aproximadamente 3 anos. As retenções começaram a ser feitas no ano de 2012 por uma empresa que presta serviços rotineiramente. Em 29/05 nos acidentamos de moto, em atendimento hospitalar não foi constatado membro (pé) quebrado, mas desde lá ele tem prestado serviço com muita dificuldade, estamos tentando médicos especialistas para verificar o problema, enquanto isso, teria a possibilidade de passar pela perícia a fim de ter rendimento durante o período de tratamento com esse tipo de contribuição? Agradeço seu auxílio!

    • Oi, Jaqueline, você deve procurar o INSS, se as contribuições foram feitas seu esposo teria a qualidade de segurado, e se ficar incapacitado por mais do que 15 dias, teria direito ao auxílio-doença.
      Pardal

  193. Dr Sérgio, bom dia!
    Estou sem saber o que fazer pois meu filho se acidentou no serviço e já esta em casa mais de 15 dias. Mas o problema todo é que ele trabalha sem carteira assinada, pois é uma firma que está começando agora e não assina a carteia. E ele nunca pagou o INSS, pois ele começou a trabalhar agora, em firma.Antes ele só fazia bico.Espero que o Senhor me dê uma solução, pois sinceramente eu não sei a quem recorrer nesta situação.
    Atenciosamente
    Scheila Sampaio de Souza

    • Oi, Scheila, infelizmente não existe solução para este problema, sem qualquer contribuição para o INSS não é segurado, e portanto não tem direito a qualquer benefício. A única saída é processar a empresa empregadora que não registrou o contrato na carteira de trabalho.
      Pardal

  194. Bom dia!Dr.Sergio Sou contribuinte autonomo,e sou garipeiro no momento me encontro incapacitado para meu trabalho,posso requerer o auxilio doença?

  195. Boa tarde Dr Sérgio gostaria de saber como proceder no caso de minha esposa ela só trabalhou com carteira registrada num pequeno período de 1997 a partir deste tempo ela não trabalhou mais registrada porque não consegue passar nos exames médicos pois ela tem poblemas de pressão, coração e diabetes. Pergunto se ela contribuir com a previdência como autonomo ela tem direito auxilio doença e tem período de carência?

  196. Bom dia DR.Pardal gostaria de saber se tenho direito ao auxilio-doença sendo outonomo e meu trabalho e como garinpeiro

  197. Vanessa Lima disse:

    Dr. Sérgio,
    Estou muito indecisa, pois nem a empresa que vai me contratar, nem o INSS conseguiram me passaram informações precisas e seguras com relação a seguinte dúvida:
    Sou segurada facultativa do INSS (contribuo em dia desde que fiquei desempregada) e serei registrada em carteira (CLT) em 14/08/2013. O fato do registro ocorrer 1 dia antes do vencimento da GPS (todo dia 15 de cada mês), a empresa é que paga agora em agosto referente a competência de julho? Ou eu é que devo fazer este último pagamento?
    Agradeço sua atenção.
    Vanessa.

  198. BOM DIA !ESTOU COM PROBLEMAS E NÃO SEI COMO RESOLVER!TRABALHAVA COMO FAXINEIRA E A UM ANO ATRAS QUEBREI O TORNOZELO COLOQUEI PLACA E PARAFUSOS E DESDE DE ENTÃO NÃO SOU MAIS A MESMA, NÃO CONSIGO FICAR MUITO EM PE,E TAMBÉM FOI CONSTATADA SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO GRAU MÉDIO E PRA AJUDAR TAMBÉM NÃO SINTO MAIS AS MÃOS , PAGUEI O INSS APENAS 2 OU 3 MESES EM 2004 , JÁ NÃO SEI MAIS O QUE FAZER POR QUE NÃO POSSO FICAR DEPENDENDO DOS OUTRO POR MAIS TEMPO ME AJUDE O QUE DEVO FAZER ?

  199. Rafael Paz disse:

    Boa noite Dr. Sergio Pardal, gostaria que se possível o senhor me tirar uma pequena duvida, eu sou autonomo, operei o ombro e tenho q ficar 4 meses sem fazer nenhum tipo de esforço e por isso sem trabalhar, fiz a pericia tudo como foi mandado, eles disseram que em 15 dias chegaria a carta, mas passaram-se 20 e até agora nada,eu não informei conta de banco ou algo assim, será por isso que não chegou a carta? ou eles pegam meus dados e escolhem uma conta? obrigado desde já por sua atenção.

  200. bom dia dr.Sergio,minha mae sempre trabalhou de carteira assinada,em 2oo9 ela começou a pagar autonomia,ela ficou doente e entrou com o pedido de auxilio doença,conseguiu o auxilio mais no entanto ela continuou pagando a autonomia mesmo estando de auxilio,fomos no inss e informaram que tem como reaver esses 18 meses que ela pagou mesmo estando de auxilio,mais não informaram como,o senhor poderia me tirar essa duvida,obrigada

  201. Larissa Costa disse:

    Olá Dr. Sérgio. Estou com uma dúvida: Uma pessoa conseguiu auxílio doença da prefeitura onde trabalha (regime próprio) e também deu entrada para obter o auxilio pelo INSS como autônoma, no entanto, fez a solicitação 2 meses depois. Há possibilidade de entrar com um pedido no INSS para receber o pagamento retroativo desses 2 meses que ela já estava de atestado? Obrigada.

  202. Wagner disse:

    Recebi auxilio doença ate dia 02/05/13, Gostaria de saber até quando vai minha qualidade de segurado

  203. Boa noite Dr. Sergio,

    Depois de um ano de idas e voltas no INSS, meu recurso solicitando o auxilio doença ( desde agosto de 2012) foi considerado tempestivo e aceito por unanimidade e sem ressalvas, e já foi para cálculo.

    Receberei os atrasados de um ano para cá?

    Abraços e uma excelente semana.

  204. Olá Dr Sergio, gostaria de saber se tenho direito de pedir aposentadoria. Tenho 42, a nove meses estou em auxilio doença, pois estou com depressão, artrose grau 1 e discopatia na lombar e agora foi diagnosticado fibromialgia. Sou professora de musculação e a nove meses não consigo voltar ao trabalho. Desde já agradeço. Abraços!

  205. Wlly Almeida disse:

    Boa noite, contribuo a quase 3 anos como empreendedora individual e estou com tendinite, tenho direito ao auxilio doença? Grata!

    • Oi, Wlly, se você está contribuindo há mais de um ano e está incapacitada para o trabalho por mais do que 15 dias, tem direito sim ao auxílio-doença. É preciso requerer no INSS e passar pela perícia médica.
      Pardal

  206. Boa noite Dr Sergio estou trabalhando á 3 meses com carteira assinada nas tenho outras contribuições anteriores a ultima foi em 2003 sendo que trabalhei apenas 3 meses e descobri que estou com um tumor na cabeça da fibula e o médico quer marcar a cirurgia para a 1º semana de Outubro eu desconhecia esse tumor pois eu só descobri devido a um tombo que bati o joelho eu tenho condromalácia patelar e sei desse problema desde 2005 mas o mesmo numca me impediu de trabalhar da o tumor eu desconhecia o que faço pois tenho sentido muita dor e trabalho o dia todo em pé por favor de ajude se eu operar e me afastar do trabalho fico sem receber do meu empregador e do INSS

    • Oi, Eliane, existem algumas doenças que dispensa o período de carência para o auxílio-doença; assim, solicite o benefício e se houver negativa pode ser interessante procurar um advogado especialista e de sua confiança. Se efetivamente você não tiver a qualidade de segurada realmente é um grande problema porque o seu patrão só será obrigado a pagar os primeiros 15 dias de afastamento.
      Pardal

  207. sabrina braga disse:

    Olá.

    Prezado Sérgio, gostaria que me esclarecesse uma coisa. Meu pai tem 64 anos, há 6 anos faz tratamento de cirrose, porém sempre trabalhou de forma autônoma sem nenhum registro, ultimamente ele vive internado no hospital e requer acompanhamento. Como devo proceder para que meu pai receba algum benefício? Se apenas com a primeira contribuição ao inss ele pode ser aposentado por invalidez/doença?? Me informe a melhor forma.

  208. Uma duvida, o trabalhador que paga como autônomo só pode dar entrada no auxilio doença após os 15 dias?

    • Oi, Antonio Carlos, ele só terá direito ao auxílio-doença se estiver incapacitado por mais do que 15 dias, mas isto ele saberá quando o médico lhe der um atestado, e deve procurar o INSS de imediato para marcar a perícia médica.
      Pardal

  209. Dr.Pardal eu sou Pescador Profissional artesanal,dia 20/08 terça feira foi a minha pericia,por problemas de saúde o médico me deu o auxilio até a data do dia 31/12/2013.A minha pergunta é a seguinte,nos meses de Novembro,Dezembro,Janeiro e Fevereiro é o período da piracema,[Seguro desemprego],então eu queria saber se eu tenho o direito de dar a entrada normalmente no meu seguro desemprego,mesmo estando encostado com o auxilio.
    Obs:SE EU NÃO TIVER DIREITO,É MUITO COMPLICADO,JÁ QUE EU PERCO 2 MESES DE SEGURO APÓS MINHA ALTA DO AUXILIO DOENÇA,E SABE LÁ SE O MÉDICO NÃO ME DA LIBERE PARA AO TRABALHO,E FICAR 2 MESES PARADO SEM MEU SEGURO.
    Obrigado desde já meu amigo
    Aguardo a resposta…

    • Oi, Héber, você não poderá receber os dois benefícios ao mesmo tempo. Ou seja, você deveria dar entrada no seu seguro-desemprego avisando que até tal data estará recebendo auxílio-doença, requerendo o seguro-desemprego a partir de então.
      Pardal

      • Dr.Pardal tudo bem não posso receber o seguro desemprego agora,mais o meu encostamento termina na data de 31/12/2013,e o meu período de seguro termina em Fevereiro de 2014 já que sou Pescador Profissional,então quando estiver faltando os 15 dias para o termino do encostamento,e se por ventura o médico da pericia me der alto nessa nova pericia que irei marcar,eu ainda poderei e tenho o direito de dar a entrada no meu seguro desemprego de pescador e receber os atrasados de Novembro e Dezembro,e continuar recebendo os de Janeiro e Fevereiro?.A outra pergunta é a seguinte,eu dei entrada nos papeis para agendar minha pericia dia 16/07/2013 e a pericia foi marcada para o dia 20/08/2013 já realizada e inclusive fui encostado 4 meses como eu já descrevi anteriormente,Então esse primeiro pagamento vai vir acumulado a partir da data do agendamento ou da pericia realizada? porque já estou 3 meses sem poder trabalhar, fora esse 1 mês e 4 dias,do agendamento até a data da pericia,Me explique como funciona isso Dr.Pardal porque eu entrei aqui no site da previdência e já esta disponível só 735.00 reais para receber dia 04/09/2013.

  210. Neuza disse:

    Prof.Pardal, boa-noite!!!
    Tenho uma amiga com 61 anos de idade e mais de 15 anos que contribui p a Previdência p a aposentadoria por idade. Durante este período ela conseguiu um auxílio-doença por 07 meses,agora ao completar as 180 contribuições, foi pedir a sua aposentadoria e falaram pra ela que terá de contribuir com os 07 meses que ela obteve com o auxílio-doença,pois só completam os 15 anos com este período do auxilio. Me oriente por favor se está correta esta informação…

    • Oi, Neuza, realmente o INSS não aceita o tempo de auxílio-doença com tempo de carência porque afirma que não houve contribuição. Até dá para brigar na Justiça, mas levaria muito mais do que 7 meses. Ou seja, o melhor é contribuir os 7 meses que faltam.
      Pardal

  211. Dr. Pardal sofri um acidente de transito em setembro do ano passado e tive q amputar uma perna, desde la estou encostado pelo inss e ganhei o beneficio tdo certo. Mas agora vo cancelar esse beneficio pq arranjei um emprego e preciso asinar a carteira d trabalho! E eu queria trabalhar e tentar ganhar o auxilio doença para m ajudar ja q tenho umas limitaçoes como comprar um carro adaptado para ir ate o serviço, essas coisas. Mas eu era autonomo quando sofri o acidente, vo sair da empresa agora ja q ñ consigo mais trabalhar la. Mas mesmo saindo agora m falaram q eu ñ ia ganhar o auxilio pq quando sofri o acidente eu era autonomo, isso e verdade? Teria algum outro benifisio pro meu caso? Agradeço desde ja. Obrigado!

  212. Gustavo disse:

    Boa noite Sergio. gostaria que me tirasse uma duvida.. Sou autonomo e presto serviço para camara de vereadores e prefeitura…de cada uma delas recebo 650,00 no qual me descontam 11% de inss sobre este valor…Contanto, “não” contribuo com o inss, somente com estes desconto sobre os 650,00 de cada uma delas. Guardo todos os comprovantes de que eles me descontam os 11% de cada uma das notas que emito.. Gostaria então de saber..em caso de doença..caso eu fique impossibilitado de trabalhar..eu tenho algum direito a algum beneficio..tipo este auxilio doença?

  213. Gustavo disse:

    E completando a pergunta acima.. meu cadastro é pelo numero do nit e não do pis.. isso não interfere em nada né?

  214. Dr.Pardal tudo bem não posso receber o seguro desemprego agora,mais o meu encostamento termina na data de 31/12/2013,e o meu período de seguro termina em Fevereiro de 2014 já que sou Pescador Profissional,então quando estiver faltando os 15 dias para o termino do encostamento,e se por ventura o médico da pericia me der alto nessa nova pericia que irei marcar,eu ainda poderei e tenho o direito de dar a entrada no meu seguro desemprego de pescador e receber os atrasados de Novembro e Dezembro,e continuar recebendo os de Janeiro e Fevereiro?.A outra pergunta é a seguinte,eu dei entrada nos papeis para agendar minha pericia dia 16/07/2013 e a pericia foi marcada para o dia 20/08/2013 já realizada e inclusive fui encostado 4 meses como eu já descrevi anteriormente,Então esse primeiro pagamento vai vir acumulado a partir da data do agendamento ou da pericia realizada? porque já estou 3 meses sem poder trabalhar, fora esse 1 mês e 4 dias,do agendamento até a data da pericia,Me explique como funciona isso Dr.Pardal porque eu entrei aqui no site da previdência e já esta disponível só 735.00 reais para receber dia 04/09/2013.

    • Oi, Héber, você pode receber o seguro-desemprego nos meses que não receber auxílio-doença, os dois juntos não pode; quanto ao pagamento, o INSS pagará desde o 16º dia do seu afastamento, talvez só esteja disponível o primeiro pagamento, mas você pode procurar o INSS e cobrar.
      Pardal

  215. Olá como vai gostaria de tirar uma dúvida eu tenho artrite reumatoide que é uma doença crônica eu passei hoje na perícia e o médico falou que eu não tenho direito de receber o auxílio doença pois eu já estava doente antes de entrar na empresa o que é uma verdade e também falou que eu vou ser demitida por justa causa da empresa.
    Gostaria de saber se eu sair da empresa e contribuir como autônoma durante 1 ano se eu tenho como receber o auxílio doença mesmo tendo artrite reumatoide deste 2009 ou o médico pode negar pois eu já tinha esta doença entes de começar a contribuir como autônoma

    • Oi, Maria Aparecida, o INSS não vai pagar auxílio-doença no seu caso nem pagando como autônoma. Existindo a doença e a incapacidade anteriormente não é possível conseguir o auxílio-doença. Por outro lado, não é nenhuma razão para ser despedida por justa causa.
      Pardal

  216. ELAINE CAMPOS disse:

    Boa tarde Dr. Pardal, preciso esclarecer algumas dúvidas: meu irmão trabalhou registrado e contribuiu por uns 04 anos pela empresa, mas agora é autonomo e não contribui já faz algum tempo. E no momento foi diagnosticado com câncer linfoma não hodgkin em estagio avançado. A médica solicitou que ele não trabalhasse por ser um tratamento forte.
    Neste caso Dr. ele tem direito ao auxílio doença?

  217. OI doutor eu tenho adis eu estou perdedo a visão eu já foi encostado pelo INSS mais foi cancelado o meu benefício será que eu tenho direito ao beneficio obrigado pela atenção

    • Oi, Devanir, depende de quando o benefício foi cancelado. Se não fizer mais de um ano, você ainda mantém a qualidade de segurado e pode requerer benefício novo ou ajuizar ação para recuperar o que foi cancelado.
      Pardal

  218. ana maria disse:

    parabens pelo blog, mas fiquei c uma duvida minha tia esta afastada por auxilio doença 4 mses com proxima pericia em 30/08 . Só que nesses meses que estava recebendo do inss, pagou normal seu inss como micro empreendedora, entao nao era preciso? isso ocorre algum problema a ela? obrigada

  219. eltor seidel disse:

    ola
    trabalhei como empregado durante 28 anos, depois contribuí como autônomo durante 4 anos, agora esta fazendo 1 ano que contribuo com holerite ou seja como empregador
    Totalizou 33 anos de contribuição.
    estou com problema grave de saudê posso me encostar ou aposentar.
    esse 1 ano contribuindo como empregador não vai atrapalhar?
    atenciosamente
    eltor seidel

    • Oi, Eltor, se você contribuiu, seja em qualquer qualidade de segurado, o tempo vale, e você tem direito ao auxílio-doença se estiver incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias. Se for concedido o benefício, passando pela perícia médica do INSS, este tempo em gozo do benefício vale como tempo de contribuição se houver contribuição imediatamente antes e depois do afastamento.
      Pardal

  220. Boa Tarde Dr Pardal, gostaria de um esclarecimento, meu sogro é autonomo e sofreu um acidente no trabalho (teve fraturas na coluna e lombaR, foi marcado medico da pericia para ele dia
    hoje dia 29/08/13, porem foi negado, foi alegado que ele estava com algumas parcelas do carne em atraso por isso não possui o direto, e os anos anteriores que ele contribuiu não lhe dão direito ao beneficio????

    • Oi, Saionara, para ele ter negado o benefício, é porque ficou mais de um ano sem contribuir, e assim perdeu a qualidade de segurado. Infelizmente, para utilizar o tempo passado ele teria que estar contribuindo atualmente, pelo menos há 4 meses.
      Pardal

  221. BOA TARDE DR COSTARIA DE TIRA UMA DUVIDA TRABALHEI DURANTE 15 ANOS REGISTRADA SAIR E PAGUEI DURANTE 5 MESES O INSS AGORA TEM 7 MESES Q NÃO PAGO VOU FAZER UMA CIRUGIA TENHO DIREITO AO AUXILIO DOENÇA?DERDE JÁ OBRIGADA.

  222. Rosy Sacardo disse:

    Olá, sou casada a 20 anos e meu esposo quase nunca me deixou trabalhar, hoje ele trabalha autônomo já faz uns 5 anos mais ou menos, mas teve mais de 15 anos de contribuição, gostaria de saber se ele falecer eu terei direito a uma pensão por morte?
    Desde já obrigada.

  223. Roberto disse:

    Ola´Dr. sou representante comercial autônomo e sempre trabalhei em empresas que recolhiam o INSS, só que na empresa atual tive o desprazer de saber que eu é que deveria recolher o INSS, confesso que errei e não li o contrato; para piorar a situação sofri um acidente e quebrei o joelho no mês 07/2013 e fui solicitar ao INSS que me amparasse, decepção !recebi uma carta que me desqualificava da condição de segurado, pois o histórico do INSS só mostrava contibuição até mês 05/2012 e eu teria direito até 06/2013, estou descoberto e desamparado. Bem, eu até 2006 quando era amparado pelo INSS por um acidente de trabalho e fui liberado mesmo sentido as sequelas do ocorrido, fiz petição de reconsideração e petição a junta de recursos ( que já tem 8 anos e não me deram resposta )e também pedi transformação de código 31/auxílio doençã para auxílio-acidente e foi indeferido. Sempre vou ao meu médico reclamar sobre a situação do meu braço que após esforços fica dolorido e sem reações, já sofri dois acidentes de trabalho e um perdi o controle da moto, justamente no braço direito o do acidente, agora que estou com o joelho quebrado e sem poder andar direito serei obrigado a motar de novo em uma moto e me arriscar pelo trânsito de muletas nas costas para ganhar o pão de cada dia, pois infelizmente não posso ser amparado pelo INSS. Só gostaria de uma orientação pois não me resta outra alternativa a não ser trabalhar nestas condições. Vale lembrar que tenho mais de 10 anos de contribuição, mas claro não seguidos pois é difícil se manter sempre empregado.

    • Oi, Roberto, só posso orientá-lo a contribuir para o INSS, inclusive para poder se aposentar por idade, aos 65 anos, com o mínimo de 15 anos de contribuição.
      Pardal

      • BOA NOITE DR . SERGIO EU SOU A ANA MARIA QUE PAGO BAIXA RENDA FIZ PERICIA O PERITO ME DEU QUATRO MESES E O INSS INDEFERIU DIZENDO QUE PERDI A QUALIDADE DE SEGURADA MAS O SEQUINTE AS MINHAS CONTRIBUIÇOES N APARE NO SISTEMA DELES SENDO ASSIM CANSEI DE TANTA HUMILHAÇAO ESCUTEI SEU CONSELHO EU MESMA DEI ENTRADA NA JUSTIÇA FEDERAL HA DOIS MESES E FIZ PERICIA HOJE ESTOU NA ESPERANÇA DE RESOLVER TUDO O PERITO ME MANDOU AGUARDAR UM TELEGRAMA EM CASA EU PERGUNTO AO SENHOR SERA QUE IREI GANHAR ESSA CAUSA PELA FEDERAL POIS TENHO LESAO ARTROSE DERRAME E CISTO E CARTILAGEM GASTA NO MEU JOELHO? HA POSSIBILIDADE DE UMA APOSENTADOEIA POR INVALIDEZ
        SEM MAIS OBRIGADO ANA

        • Oi, Ana Maria, o meu conselho é que você procurasse um advogado especialista e de sua confiança para ajuizar a ação. Nem sempre os resultados de ações sem advogados representam o que deveriam. Agora é só esperar.
          Pardal

  224. manoel disse:

    dr, sergio pardal sou contribuinte autônomo desde 1989,estou em auxilio doença a 6 anos, sendo 3 anos em auxilio doença e 3 anos em programa de reabilitação profissional, agora o inss quer transformar o auxilio doença em auxilio acidente. tem como evitar, ou devo aceitar. um abraço

    • Oi, Manoel, depende da sua condição física e profissional. Se você estiver em condições de trabalhar, com readequação profissional, poderá voltar a trabalhar recebendo o auxílio-acidente. Porém, o contribuinte individual, autônomo, não tem direito a este benefício, auxílio-acidente de 50%. Assim, verifique bem a proposta do INSS.
      Pardal

  225. Danizio Ramos disse:

    Olá Dr. Sérgio
    Gostaria de saber se um trabalhador autônomo, que não contribui junto ao INSS têm direito a solicitar auxílio doença?

    • Oi, Danizio, quem não contribui para o INSS não tem direito a qualquer benefício, e a responsabilidade de contribuir é do autônomo.
      Pardal

      • Boa noite. eu pago o inss 5 anos trabalho como autonomo so que eu fiquei gravida e tive uma filha que tem problemas de coraçao,e tem simdrome do willans e outros problemas de saude,agora eu so fico em casa com ela nao posso mais trabalhar mas continuo pagando inss neste caso sera que tenho direito a auxilho doença por ter que ficar so cuidando dela

        • Oi, Andreza,
          O auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS.
          Pardal

  226. dr.sergio pardal,bom dia.eu pago meu carne do inss como autonoma a 16 meses, trabalho em loja como vendedora mas sem nenhum vinculo empregadicio por meio período todos os dias de segunda a sexta, tenho passado muito mal todos os dias pois tenho enxaqueca que chego a vomitar e ficar cega e com o braço direito debilitado nas crises, e estou com um quadro de depressao, entao tudo isso me impossibilkita de trabakhar pois com as dores e a variaçao de humor nao consigo as vezes nem ir pro trabalho e minha rotina diaria nao é mais normal é sempre de cama… entao sr,sergio eu consigo recorrer algum beneficio no inss, apresentado meus laudos neurológicos e psiquiatricos? desde já agradeço.

  227. jiu lara disse:

    BOM DIA DR SERGIO!!! TRABALHO ATUALMENTE EM UMA LOJA DE AUTOPEÇAS DE MICRO EMPREEDEDOR, HA 7 MESES, MAS O DONO NAO QUER ASSINAR MINHA CARTEIRA POIS ALEGA ESTÁ INDIVIDADO E TERIA MAIS GASTOS, TRABALHO PARA ELEDE SEGUNDA A SEXTA DE 08;00 AS 12;30 DE SEG A SEX, SENDO ENTAO MEIO PERÍODO,, GOSTARIA DE SABER SE POSSO ENTAO FAZER ALGUM ACORDO COM ELE PARA DO TIPO ELE ME PAGA MEU MEIO SALÁRIO FIXO,{POIS SE É FERIADO NAO TRABALHO E NAO RECEBO}E QUE ELE PAGUE PARA MIM POR FORA O VALOR DO INSS COMO AUTONOMA!! EU GOSTARIA DE SABER DR.SE SERIA ESSE O MELHOR ACORDO QUE EU PODERIA FAZER COM ELE JÁ QUE PRECISO DESSE TRABALHO DE MEIO PERIODO,,OU SE O SR TEM ALGUMA SUJESTAO..E QUAIS SAO OS MEUS DIREITOS DE TRABALHADOR AUTONOMO SE CASO EU ENGRAVIDAR OU FICAR DOENTE!!! DESDE JA AGRADEÇO

  228. ola dr.sergio sou contribuinte como autonomo a 4meses, nao tinha nenhuma preexistencia antes de contribuir com inss e tive deslocamento de retina e fiquei deficiente do olho esquerdo,tenho o cid.quero saber o que o inss pode fazer por mim,ja que na minha funçao preciso muito da visao e esta sobrecarregando o outro olho.obrigado

  229. Liliane disse:

    Bom dia! Fui demitida em 11/2012 fico amparada pelo INSS ate 11/2013? tenho HÉRNIA NA LOMBAR fiz a pericia mais foi negada duas vezes se eu começa a pagar com facultativa consigo ter o direito ao auxilio doença ou vai ser negado?

    • Oi, Liliane, se você tem mais do que 12 meses de contribuição, pelo menos até novembro de 2013 você manterá a sua qualidade de segurada, e assim, se estiver incapacitada para o trabalho terá direito ao auxílio-doença. Começar a pagar não pode garantir afastamento por doença passada, mas se até dezembro você não tiver conseguido o benefício, vale começar a pagar como facultativa para conservar a qualidade de segurada.
      Pardal

  230. Olá Dr. sou Técnico em Telecomunicaçoes tenho 55 anos de idade, minha função é instalação de antenas de rádio, trabalhava direto em altura onde permanecia por longos periodos, puxando equipamentos e antenas para cima dessas torres, como trabalho nisso desde 1988, tive varizes já operei duas vezes onde tirei uma safena de cada perna e ramificaçoes, tenho laudos que tenho varizes crônicas, me demitiram porque não consegui mais realizar minha atividade de esforço, em 2012 me operei, fiquei no auxilio doença 10 meses e depois disso indeferiram meu pedido de auxilio mesmo levando laudo tambem do cardilogista onde comprovava 3 fibrilaçoes e arritimias, tomo remédios contínuos para evitar isto, depois de 1 ano pra cá cai em depressão onde faço terapia e tomo remédios antidepressivos e ancioliticos diários, aDra. Psiquiatra, me forneçeu um laudo, daqui a 2 meses tenho uma “perícia judicial” para fazer, o senhor acha que com esse ultimo Laudo, contribuirá bastante para obter meu auxilio doença, e talvez me sugiram Reabilitação Profissional, porque não tenho mais condiçoes de realizar minha atividade. Desde já lhe agradeço com seu parecer. Abraço!!!

  231. tenho um laudo medico onde aponta que estou com sindrome do tunel do carpo bilateral,formigamento,paratesia de ambas as maos ,perda d força,tendinopatia supra espinhal,artrose acromio clavicular a esq.,burcite,quadro alegico inteso que nao responde ao tratamento clinico,fisioterapico.fui trabalhadora rural hoje sou apenas dona de casa mas pago o meu inss a 1 ano e 3 meses ,entao gostaria de saber se tenho direito a aposentadoria por invalidez?

  232. MARLEIDE disse:

    Boa Tarde, minha irmã é autonoma e paga o DAS, à quinze dias sofreu um AVC, ela tem direito ao auxilio doença?

  233. Jonny mello disse:

    Ola´Dr. sou Comercial e sempre trabalhei como cabeleireiro na minha empresas, que eu não recolhiam o INSS, passei a recolher 01/2012, confesso que errei, deveria ter me preocupado com o meu recolhimento desde 07/2001 data de inicio de minha empresa, pago os 11% em cima de uma retirada de R$ 1.000,00 e ha 3 meses tive dores muito fortes em meu quadril dificultando e as vezes impossibilitando o meu trabalho como cabeleireiro, meu medico me orientou que eu elevasse minha contribuição e se for necessário ano que vem ele me afaste do trabalho para um melhor tratamento tratamento todos os exames e avaliação clinica suspeita de espondilite anquilosante, posso ser amparado pelo INSS, depois de quanto tempo passa a valer o valor atual de contribuição que hoje estou a pagar o teto máximo. Só gostaria de uma orientação pois não me resta outra alternativa a não ser trabalhar nestas condições. Vale lembrar que tenho mais de 12 anos de empresa mas de contribuição 1 ano e 8 meses.

    • Oi, Jonny, o auxílio-doença exige o mínimo de 12 meses de contribuição, e assim, se você recolhe mês a mês desde janeiro de 2012, já completou o tempo necessário. Pode requerer o benefício, mas lembre que a incapacidade para o trabalho não pode ser anterior ao início das contribuições.
      Pardal

  234. aline disse:

    boa noite!! trabalhei durante um ano e dez meses e estou desempregada a 5 meses mas depois q sai do meu servico comecei a trabalhar autônoma vendendo produtos a um mes tirei meus dois tornozelos fora do lugar ao mesmo tempo fiz raio x eles estao inchados e doloridos. quero saber se eu posso me afastar pelo inss.

    • Oi, Aline, se você contribuiu por mais do que 12 meses e não faz ainda um ano que parou de contribuir, tem sim a sua qualidade de segurada e assim tem o direito ao auxílio-doença se ficar por mais do que 15 dias incapacitada para o trabalho.
      Pardal

  235. fabio disse:

    Pago 74.58 por mê ao INSS, acabei de me cadastrar no MEI. Amanhã é dia de pagamento do INSS dia 15, posso para de pagar o do INSS e pagar a partir de amanhã mesmo o do MEI ?

    POR FAVOR ALGUÉM ME AJUDE !!!

  236. Iasmin disse:

    Olá Dr meu marido é cabeleireiro e é contribuinte a cinco anos,ele fez uma cirurgia de remoção de pedra nos rins e o medico deu uma liçença de apenas dez dias,e ele esta com uma cateter nos rins e não esta conseguindo trabalhar,pos ele fica em pé o dia todo.Ele tem direito ao auxilio doença?

    • Oi, Iasmin, o auxílio-doença é devido ao segurado que fica incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias. Ele deve solicitar o benefício, preferivelmente com um bom relatório médico para levar à perícia do INSS.
      Pardal

  237. Ola.
    Meu pai é contribuinte autônomo no código 1163 em outubro de 2013 vai começar a receber o beneficio auxilio doença.Gostaria de saber se devemos continuar o pagamento do carnê normalmente?Caso não haja a continuação das cotribuições esse período de afastamento sem contribuir vai contar para aposentadoria ou não?
    Desde já agradeço.
    Márcia

    • Oi, Márcia, enquanto ele estiver recebendo auxílio-doença não pode contribuir; o tempo de afastamento conta como tempo de contribuição desde que tenha contribuições antes e depois do afastamento.
      Pardal

  238. Marcia Rosa disse:

    Boa Tarde, gostaria de saber se uma senhora de 68 anos de idade que contribuiu apenas por 06 anos para o inss e a última contribuição foi em maio de 2011, que tem um grau elevado de osteoporose, a qual já era portadora enquanto descontava,pode receber auxílio-doença se voltar a contribuir por 04 meses?

    • Oi, Marcia, voltar a contribuir por 4 meses não resolve nada. Se ela estava incapacitada quando contribuía teria direito, mas voltando a contribuir por 4 meses só terá direito por uma incapacidade futura.
      Pardal

  239. Denise disse:

    Olá eu tenho 30 anos, e trabalhei como estagiária, tive 3 anos de contrato, pois fazia faculdade, agora acabou meu contrato, e descobri que estou com cancer, gostaria de saber se tenho direito á algum auxilio.

    grata

    • Oi, Denise, se você estava contribuindo para o INSS por estes 3 anos e ainda não faz 1 anos que parou de contribuir, ainda tem a qualidade de segurada, e portanto, se estiver incapacitada para o trabalho, tem direito ao auxílio-doença.
      Pardal

  240. Ana kátia disse:

    Olá!
    Gostaria muito que me tirasse algumas dúvidas. Contribuí alguns anos como autônoma no inss, no momento comecei a trabalhar em duas escolas de carteira assinada, uma no mês de março e outra no mês de abril deste ano de 2013. Estou precisando me afastar para fazer uma cirurgia muito delicada que vou precisar de afastamento do trabalho por mais de 20 dias. Minha dúvida é: tenho direito ao auxílio doença? recebo pelos dois empregos? pois nos dois empregos são descontados meu INSS.
    Agradeço desde já e aguardo resposta.

    • Oi, Ana Kátia, se as suas contribuições anteriores completam 12 meses, terá sim direito ao auxílio-doença, a não ser que a incapacidade para o trabalho seja anterior ao reinício de contribuições, o que não parece o caso. O auxílio-doença será pelos dois empregos.
      Pardal

  241. Dr. Sergio Pardal.

    Fiquei desempregada em 2007 e só recomecei a pagar em março de 2011 como autonoma. Pago o equivalente a 20% do salário mínimo. Acontece que em 04 de junho de 2013 fiz uma ciurgia de cancer de mama que se diagnosticou in situ. Em 10/09/2013 fiz uma nova cirurgia para retirada de linfonodos e mais material na mama. Minha pergunta é a seguinte: dei entrada no seguro saude e marcaram para o dia 18/10/2013. Como meu médico falou que tenho que fazer 30 dias de radioterapia e depois vou ficar 05 anos tomando remedios todos os dias, posso me aposentar? Tenho 56 anos, 25 anos e 9 meses de contribuição.

    muito grata

    Aneci

    • Oi, Aneci, o seu auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez dependem da perícia do INSS. Você deve solicitar os benefícios e comparecer à perícia com o máximo de informações possível, inclusive um bom relatório do seu médico.
      Pardal

  242. Obrigada,Pardal o blog é D+++++.

    Abraços e muito sucesso.
    Márcia

  243. olá dr Sergio Pardal.
    Gostaria de saber a partir de quanto tempo de contribuição como autonoma,posso entrar com o requerimento de auxilio doença.
    grata.
    Naiara Reis

  244. ADRIANA disse:

    Bom Dia, Sergio Pardal Freudenthal

    Excelente blog…
    Sou MEI e fiz uma cirurgia retirada de tumor tenho direito ao auxilio de imediato como as outras empresas ou é preciso carencia?

    Grata.

  245. Allan John disse:

    Olá Dr. Sergio,queria tirar uma enorme duvida com o sr, pois meu pai trabalhou toda sua vida altonomo,sem nunca pagar a previdencian agora ele esta com uma doença grave no estomago, esta com câncer e tera que fazer quimelterapia e não podera trabalhar, e eu e meu irmãos vamos a qualquer formna ajudar ele quanto minha mãe, mais queria saber do senhor se meu pai poderia receber este auxilio- doença?

    • Oi, Allan, infelizmente ele não pode, pois o auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, se for o caso, existe o benefício de prestação continuada definido pela Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS) que é devido para a pessoa com idade igual ou superior a 65 anos, com renda mensal bruta familiar, dividida pelo número de seus integrantes inferior a um quarto do salário mínimo vigente e que não receba nenhum benefício assistencial.
      Pardal

  246. Ana Paula disse:

    Bom dia, Sérgio, minha mãe tem 63 anos e trabalhou desde os 17 anos de empregada doméstica, mas contribuiu uns 2 anos com o INSS através de registro em carteira, depois saiu da casa onde trabalhava, agora contribui há um ano como autônoma. E agora está com muitas dores nos pés, joelhos e braço, o braço ela quase não consegue levantar de tanta dor. Será que ela pode pleitear o auxílio doença ou aposentadoria? E para tanto ela necessitará de um laudo médico para apresentar no INSS?

    • Oi, Ana,

      a Aposentadoria por idade exige 65 anos para o homem e 60 para a mulher, com o mínimo de 15 anos de contribuição em qualquer tempo. e o Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS. o ideal é que ela tenha sim, laudos do médico que lhe assiste e faça o requerimento do auxílio-doença.
      Pardal

  247. narciso disse:

    Caro doutor o INSS e um seguro e não um direito?
    Eu contribui como autônomo quando adoeci em então fiquei um ano e dois meses encostado
    e o INSS faz de tudo para atrapalhar as pessoas! Eis que então certo dia me mandaram para uma junta de avaliação medica com três peritos,
    e terminada avaliação deram parecer de que realmente estava doente; Logo depois quando estava no INSS e os médicos aviam feito o pedido de aposentadoria eles alegaram que a doença era anterior a contribuição eis que uma coisa tão pequena se tornou tão grande arrumei uma advogada muito fraca que conseguiu perder as duas etapas agora me mandando fazer desistência e receber loas sendo que contribui loas de salário mínimo quando meu beneficio era de 3000 reais por que primeiramente eles recebem todo dinheiro da contribuição depois negam e ainda querem o dinheiro de volta então seguro ou direito

  248. PHILIP JOSEF disse:

    OLA AMIGO .
    tenho uma duvida nunca contribui inss nada.
    tenho 26 anos ..
    queria contribuir
    mas tenho duvida no caso ..
    bom eu sofro do problema de asma,as veses eu tenho crises que duram cerca de quinze dias.
    exemplo se eu tiver contribuindo ,eu tiver uma crise por exemplo eu terei o auxilio doença?

    outra duvida trabalho de motoboy,
    Deus me livre,mas se sofrer acidente , oseguro cobre ,pois ficarei sem trabalhar …
    bom essas sao minhas duvidas des de ja muito gratoo =)

    • Oi, Philip,

      O Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS.
      Pardal

  249. Cristiana disse:

    Tenho síndrome do túnel do carpo há 4 anos, estou afastada do serviço e estou recebendo pelo INSS há seis meses ,e verdade que tenho direito a aposentadoria por invalidez ? A minha espécie é a 31

    • Oi, Cristiana,

      A Aposentadoria por invalidez é devida quando o segurado fica incapacitado para qualquer trabalho que lhe garanta a subsistência. Quando o INSS atestar isso lhe concederá a aposentadoria por invalidez.
      Pardal

  250. Bom dia,
    Tenho uma colega que contribui como autônomo. No gozo do recebimento do auxílio doença, ela continuou contribuindo (ela alega que não sabia que não poderia e o marido recolhia o valor). Agora recebeu uma notificação para devolução dos valores recebidos a título de auxílio doença. Como ela deve proceder??
    Obrigada

  251. boa noite Dr. Sergio, em 2002 não podendo desenvolver minha atividade como professor de violão autônomo, entrei com pedido de auxílio-doença no inss, foi concedido vários até 2003.
    depois o inss negou outros pedidos, entrei na justiça federal, fiz pericia em 2004 e o perito constatou (ler). em 2005 fiz uma pericia no inss e o perito também constatou como tendinite e no mesmo dia ele me encaminhou para a reabilitação profissional, fiquei aguardando eles me chamarem para a reabilitação, em 2013 recebi uma carta para comparecer no inss na unidade de reabilitação profissional. fizeram um exames e me deram alta, isso pode? agradeço sua atenção.

    • Oi, Elcio, depende de como foi o resultado de sua ação no juizado especial. Se você estiver com um advogado (e sempre é melhor), pergunte a ele o que está acontecendo, se estiver sozinho, vá ao cartório e verifique.
      Pardal

  252. boa tarde, estou afastado pelo motivo de CONSTATAÇÃO DE INCAPACIDADE LABORATIVA, especie 91 e já estou recebendo o auxilio doença do inss. sou motorista de caminhão e foi considerado acidente de trabalho, o diagnostico foi FRATURA DE CLAVICULA E FRATURA DO 5 METACARPO DIREITO. meu tempo de contribuição e 16 anos e 9 meses, gostaria de saber do Sr. por eu ser motorista de caminhao interestadual qual seria a possibilidade, desde de que eu não me recupere para a minha função, de entrar com pedido de aposentadoria por invalidez. minha mão esta com osteosintese metalica e a clavicula direita com sintese metalica (platina e dez pinos). obrigado.

    • Oi, Walter, quando a perícia do INSS entender que você não poderá voltar a trabalhar, converterá o auxílio-doença em aposentadoria por invalidez. Porém, é importante observar que, se você for reabilitado para outra função, mesmo voltando ao trabalho terá direito ao auxílio-acidente, no valor da metade do que seria a aposentadoria por invalidez.
      Pardal

  253. Boa noite me chamo camila e gostaria de tira um duvida, meu tio é pedreiro altonomo e num acidente de servisso perdeo o dedo quando estava trabalhando.ele não esta pagando o INSS no momento mas já trabalho de carteira assinada algum tempo atrais. na mesma mão ele já tinha um problema nós dedo agora ficou pior pois o servisso dele requer muito esforsso o que ele deve fazer? ficarei grata se por responder logo pois se ou ver algum jeito ela vai atrás logo. se o senhor poder responder no meu email ficarei grata obrigada.

    • Oi, Camila,

      Falando assim, é difícil uma solução, é aconselhável procurar, em sua cidade ou região, um advogado especialista e de sua confiança, porque se ele não tinha qualidade de segurado quando do acidente, realmente não terá direito a nenhum benefício, contudo, para avaliar se ele tinha ou não qualidade de segurado deve procurar um advogado.
      Pardal

  254. Camila disse:

    Tenho um irmão que possui paralisia cerebral e tem 31 anos e nunca trabalhou devido sua deficiência, meu pai paga INSS autônomo faz uns 10 anos pra ele. Gostaria de saber se após contribuir com 15 anos ele pode pedir aposentadoria por invalidez.

    • Oi, Camila, no caso do seu irmão não será possível uma aposentadoria por invalidez, mas apenas por idade aos 65 anos. Na verdade, contribuir para ele é um erro; como filho inválido ele tem direito a pensão por morte do pai ou da mãe quando lhe faltarem. Assim, se o seu pai contribui para o INSS ou já está aposentado, é importante manter sempre um relatório médico do filho inválido para garantir a pensão.
      Pardal

  255. Sintia disse:

    Bom dia Dr. Sergio, por gentileza, gostaria de sua ajuda, meu esposo sofreu um acidente de trabalho, teve que tirar o dedo indicador do lado esquerdo inteiro, ele é contribuinte como microempreendedor individual, gostaria de saber se ele tem direito ao auxilio acidente ? Qual o beneficio permanente que ele tem direito a receber ? No aguardo. Muito obrigada.

    • Oi, Sintia, infelizmente o auxílio-acidente só é devido para os empregados e para os trabalhadores avulsos. O único benefício que poderia receber seria o auxílio-doença enquanto estivesse incapacitado; permanente, nenhum.
      Pardal

    • boa noite dr. sergio me chamo ana maria tenho um polbrema sserio no meu joelho ha dois anos parte degenerativa cisto lesao pago baixa renda ha dois anos no momento so consequi um auxilio em 22 de fevereiro de 2013 so recebi em dezembro depois de muito trabalho me pagaram retroativo agora ja fiz duas pericia so da indeferido eu estou sofrendo muito do meu joelho mas eu ja tenho 61 anos de idade mandei fazer meus tempos de contribuiçoes da carteira de trabalho com o carne que pago como baixa renda e tenho pago dez anos e noves meses pago minha pergunta e essa se eu paga o restante que falta para completar cento e oitenta contribuiçoes eu posso da entrada na minha aposentadoria por idade ja que a mulher pode se aposentar com 60 anos? uma boa noite aguardo resposta muito obrigado ana maria

  256. bom dia!sou domestica e em fevereiro de 2013 fui demitida,dai para cá naõ contribui mas com o inss pois estou desempregada,agora preciso fazer uma cirúgia, gostaria de saber se tenho direito auxilio-doença,caso não tenho, qual e o tempo máximo de contribuição para receber

    • Oi, Vanessa,
      Há situações em que os segurados ficam um período sem contribuir e, mesmo assim, têm direito aos benefícios previdenciários. É o chamado “período de graça” ou período de manutenção da qualidade de segurado. O prazo de manutenção da qualidade de segurado depende, principalmente, do tempo de contribuição antes da interrupção dos recolhimentos.
      Para quem contribuiu por menos de dez anos, a perda da qualidade de segurado ocorre 12 meses após a interrupção da contribuição. Já o “período de graça” para os trabalhadores que contribuíram por mais de dez anos é de 24 meses. Em ambos os casos, se a pessoa estiver recebendo seguro-desemprego, esses prazos são acrescidos de 12 meses.
      Pardal

  257. nrma regina disse:

    OLA , tenho 47 anos 28 de contribuição e estou desempregada desde março de 1013 ,tenho tendinite nos dois braços e cotovelos , estou pagando como autonomo , passei por uma cirurgia em dezembro e o perito me deu 70 dias e corto , entrei novamente com recurso e deu indeferido agora no final de março 2014 ,continuo com muitas dores e fazendo fisioterapia , mesmo operado so um braço os dois estão muito inframados e me limita em muitos movimentos . O perito examinou bem superficial , pois nenhum dos toques que ele fez eu tive dor , então fui cortada . Vou voltar a pagar como autonomo , mas não sei o que fazer agora , pois continuo doente . estou dentro do prazo ainda para solicitar novamente o recurso , mas eles negam denovo e o que é correto eu fazer . obs tenho panico de passar por pericia medica , eu tremo so de falar . Me ajude .Eu tenho direito de aposentadoria por invalides?

  258. Suares Inacio disse:

    Boa noite, Dr. Sergio. Fico-lhe grato se puder me esclarecer no seguinte. Sou engenheiro de formação mas nunca exerci, e tenho trabalhado sem vínculo empregatício em diversas atividades por conta própria no mercado informal. Sou contribuinte individual há uns 9 anos. Infelizmente, há alguns anos adoeci de arritmia (FA permanente) e me resulta difícil realizar atividade física (mesmo moderada), o que me levou a parar de trabalhar há um par de anos. Cabe-me requerer auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez? Acha que a perícia deferiria o requerimento? Muito obrigado!

    • Oi, Suares, se você está contribuindo e ficou incapacitado para o trabalho, pode procurar o INSS e requerer auxílio-doença e até aposentadoria por invalidez. É importante que a sua incapacidade não tenha ocorrido antes de você começar a contribuir. Na perícia sempre é bom levar um relatório completo e datilografado do seu médico.
      Pardal

    • Suares Inacio disse:

      Obrigado pela resposta, Dr. Sergio. Se o benefício de auxílio-doença for concedido, deve-se continuar contribuindo como contribuinte individual? Conta como contribuição e soma a carencia para aposentadoria por idade?

      • Oi, Suares, quem está afastado, recebendo auxílio-doença, não está trabalhando, e assim não pode contribuir. Havendo contribuições antes e depois do período de gozo do benefício, o tempo conta como contribuição.
        Pardal

  259. BOA NOITE, CONTRIBUO COMO INDIVIDUAL DESDE 1992, E NOS ÚLTIMOS MESES OU SEJA NOV,DEZ/13,JAN,FEV,MAR,ABR/14, MINHA CONTRIBUIÇÃO CAIU MUITO,DEVIDO AOS PROBLEMAS DE SAÚDE, MAS NÃO DEIXEI DE RECOLHER, POIS JÁ VEM DESCONTADO NOS FRETES QUE FAÇO, TRABALHO COM MEU CAMINHÃO, VOU FAZER UMA CIRURGIA E NÃO VOU PODER TRABALHAR POR UM PERÍODO, COMO É FEITO O CALCULO DO AUXILIO DOENÇA QUE DEVO RECEBER SE FOR DEFERIDO O PEDIDO, OBRIGADO, NO AGUARDO

  260. Dr. Sergio, gostaria de saber se quando o beneficiario autonomo está de licença médica é obrigado a recolher o INSS mensal nos periodos que estiver licenciado.

    • Oi, Julio, não deve recolher contribuição durante o afastamento. O tempo de recebimento de auxílio-doença, se houver contribuições antes e depois, vale como tempo de contribuição. Não pode mesmo contribuir durante o afastamento porque representaria estar trabalhando enquanto recebia o benefício.
      Pardal

  261. João Vitor disse:

    Sou Microempreendedor Individual a dois meses fiquei doente e gostaria de saber se eu posso pedir um auxilio doença

  262. gisele disse:

    Boa tarde, dr
    Eu sou trabalhadora autonoma e fiz uma cirurgia em fevereiro. Meu medico me deu atestado para 40 dias, no fim do atestado liguei no INSS e agendei perícia. Chegou a cartinha da previdencia, dizendo que só receberia a partir da data do requerimento, e não a quantidade total de dias que tive que ficar sem trabalhar. Há algo que eu possa fazer, para recuperar esses dias, afinal, foram dois meses que precisei ficar parada (com aluguel, agua, luz telefone e todas as contas para pagar…)e não tive renda nesses 2 meses.
    Ha algo que eu possa justificar? Um recurso, oq devo dizer? Ou não tenho direito por ter demorado para ir atras?

  263. BOA TARDE , SOU CONTRIBUINTE Á 03 ANOS COMO AUTÔNOMA (COSTUREIRA) MAS Á 05 MESES QUE LUTO COM UMA DOR NA COLUNA CERVICAL E LOMBAR DE ACORDO COM TOMOGRAFIA O RESULTADO É DE VÉRTEBRA DE TRANSIÇÃO E VÉRTEBRA DESIDRATADA ESTOU FAZENDO FISIOTERAPIA MAS NÃO VEJO RESULTADO FORA UMA SÉRIE DE MEDICAMENTOS E INJEÇÕES QUE JÁ TOMEI E ME SINTO CADA VEZ PIOR ,SINTO MUITAS DORES PRINCIPALMENTE NA LOMBAR ALEM DE UM QUADRO DE BURSITE NO OMBRO , TENHO 34 ANOS E CONFORME FALEI A FUNÇÃO QUE EXERÇO CASTIGA MUITO A COLUNA EU TENHO DIREITO Á AUXILIO DOENÇA ? DE QUE FORMA SERIA NECESSÁRIA UM LAUDO PARA Á MESMA?

    • Oi, Alda,
      O Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS. No seu caso, para requerer o benefício, você deve ligar para o 135 e fazer o agendamento, vale ressaltar que na data da perícia, o ideal é que você tenha um laudo digitado pelo seu médico, explicando a sua condição física com o CID da doença, e a consequente incapacidade para o trabalho.
      Pardal

  264. Dr. Sergio, muito obrigado pela sua especial atenção. Deus o abençoe.

  265. Ricardo Costa disse:

    Olá Dr. Sergio, gostaria de saber se quando recebendo auxílio por incapacidade laborativa tenho que continuar contribuindo neste período.
    Grato!

    • Oi, Ricardo, durante o tempo em que recebe auxílio-doença não deve contribuir, porque não estaria trabalhando. Havendo contribuições antes do benefício e logo a partir do seu término, o tempo de afastamento também conta como tempo de contribuição.
      Pardal

  266. Boa tarde!

    Gostaria de um esclarecimento.

    Trabalhador autônomo, que recebe benefício do INSS mais ou menos 5(cinco) meses, em razão de problemas de saúde e após perícia médica, tem carteira de pesca profissional na categoria “Pesca artesanal” com data do 1º registro de 28/9/2012, tendo recebido dita carteira somente agora.
    A colônia de pescadores local solicitou que o mesmo faça inscrição junto ao INSS NIT na categoria de segurado especial.
    Dúvida: Ele poderá fazer dita inscrição e exercer a função de pescador artesanal eventualmente (quando possível em razão de sua saúde)sem que perca a condição de segurado e os benefícios em razão de sua filiação junto a colônia de pescadores, tais como, médico, dentista, advogado…).

    • Oi, Marluce, ele só não poderá contribuir de forma alguma se ainda estiver recebendo o benefício auxílio-doença. Se o benefício já acabou, pode se inscrever como segurado especial e será mera continuidade.
      Pardal

  267. josefa duarte disse:

    Meu esposo paga 7 anos o INSS, autônomo, ele quebrou a perna, em um acidente, ele tem dirito ao direito ao assilho doença.

  268. bom dia dr.,eu pago inss a 3 anos como dna de casa e tenho uns 3 quando trabalhei com carteira ass.
    tenho 52 anos e sofro de dores nos ombros ,fiz exames e deu que tenho varios problemas e estao infamados por isso doi tanto .
    faço fisio ,melhora mas volta .
    fui no inss mas as duas vezes que fui,nao consegui auxilio doença ,mesmo com exames.
    o medico disse que pra dna de casa o beneficio nao é aceito…porque?se ficamos doentes e precisamos tambem afastar dos serviços domesticos por um tempo.obrigado

    • Oi, Silvia,
      O Auxílio-doença é devido para o segurado, inclusive o empregado doméstico, que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS. Não será devido o benefício ao segurado que se filiar ao Regime Geral da Previdência Social já portador da doença ou da lesão invocada como causa para ao benefício, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão, situação que costuma gerar demandas judiciais em razão da negativa do INSS em conceder o benefício.
      Pardal

  269. Alex Pacheco disse:

    Boa tarde, poderia por favor me esclarecer uma dúvida?
    Minha mãe recebeu o primeiro mês de auxilio doença, em decorrência de um câncer. Porém, estou na dúvida se devo continuar pagando o INSS durante esse período? Ela é contribuinte autônoma. Pode me esclarecer por favor, andei pesquisando e não deu para ter certeza, já que as informações são divergentes.
    Obrigado

    • Oi, Alex, enquanto ela estiver recebendo o auxílio-doença, não deve contribuir. Quando receber alta, deve contribuir no primeiro mês que trabalhar (o tempo de recebimento do auxílio-doença, sem contribuir, conta como tempo de contribuição).
      Pardal

  270. boa tarde sergio,estou afastado por auxilio doença há 03meses tenho um caminhão agregado em uma empresa e coloquei um motorista para trabalhar mas o cadastro é feito no meu nome e o caminhão tambem para receber o frete faço recibo RPA e a empresa acaba recolhendo o inss no meu nome o que devo fazer.tenho que avisar o inss porque o que recebo de auxilio doença não cobre as dividas,então tenho que colocar motorista finalizando continuo contribuindo mesmo afastado.

    • Oi, Marcos, não vai dar certo. Você terá que fazer algum contrato com o seu motorista e contribuir para o INSS no nome dele. O INSS não vai dar alguma saída para você (pode tentar) e vão cortar o seu benefício e cobrar de volta o que pagaram.
      Pardal

  271. BOA NOITE DR,EU GOSTARIA DE SABER SE TENHO DIREITO A AUXILIO-ACIDENTE PAGANDO COMO CONTRIBUINTE INDIVIDUAL A 23 MESSES?ESTOU NO AUXILIO DOENÇA, PORÉM SEMPRE TRABALHEI COM CARTEIRA ASSINADA,MAS DEVIDO AOS 23 MESSES DE CONTRIBUINTE INDIVIDUAL NÃO ME DERAM DIREITO?

  272. Bom dia, sou autônoma a 7 anos, agora meu filho vai ter que passar por uma cirurgia, ele tem 1 anos e 4 meses, irei acompanha sua recuperação, será tenho direito ao auxilio pois ficarei afastada das minha atividade elaborativa.

  273. oi boa noite,gostaria que me esclarece-se algumas duvidas?meu pai faz 65 anos em dezembro ele ta trabalhando registrado ,ele vai da r entrada na aposentadoria esse ano só que primeiro ele vai dar baixa na carteira gostaria de saber se aposentadoria dele vai a mesma da carteira ou salario minimo?

    • Oi, Fabiana,
      Aposentadoria por idade exige 65 anos para o homem e 60 para a mulher, com o mínimo de 15 anos de contribuição em qualquer tempo. E a média se faz pelos maiores salários que representem 80% de todos desde julho de 1994 até o início do benefício, para saber o valor da aposentadoria, você deve fazer a simulação no site do INSS.
      Pardal

  274. Boa tarde Dr Sergio, estava acompanhando os comentários, e suas respostas realmente são bem claras. Gostaria de tirar uma dúvida com você, minha mãe tem 60 anos de idade e trabalhou somente 3 anos com carteira assinada e também a três anos ela passou a contribuir individual, pagando o carnê, porém, ela está com rompimento de tendão no braço,o médico dela deu um laudo para que ela entre com pedido de auxilio doença, uma vez que ela trabalha em casa como vendedora e cuidando de um bebe no período da manhã, ela agendou com o inss uma pericia médica no dia 22/05, a atendente do inss, disse a ela que como a pericia dela esta em processo, ela não precisa mais pagar o carnê, fiquei com uma duvida muito grande com relação a essa informação, lembrando que ela ainda nem passou por pericia, pois um dia estava sem sistema e outro dia o médico passou mal, reagendaram para o dia 21/07/2014. Ela precisa continuar pagando o carnê até ter uma resposta do médico da pericia? at. Grata

    • Oi, Camila, ela pode aguardar a perícia sem contribuir, e se for negado o auxílio-doença, pagaria o atrasado. Se o benefício for concedido, o tempo de recebimento vale como tempo de contribuição, intercalado de contribuições.
      Pardal

  275. Boa noite. Gostaria de saber se tenho direito de receber algum do INSS auxilio. Sou contribuinte ja ha varios anos. Estou ha mais de um mes com um filho de 09 anos que sofreu um acidente. Ele sofreu TCE e lesao muito grande no braco esquerdo. Ele esta fazendo tratamento co medicos especializados, cirurgioes plasticos e etc… Ele sera transferido em breve para o hospital Joao XXIII em BH pra fazer enxerto no braco. Nao sei por quanto tempo ainda ele ficara hospitalizado.

  276. João disse:

    Sou autônomo, mas pago meu inss certinho porém precisei fazer uma cirurgia e o médico me deu 15 dias de atestado. Caso eu volte a trabalhar no décimo sexto dia eu tenho direito de receber esses 15 dias parados? Como devo proceder?

    • Oi, João, o auxílio-doença só é devido quando o segurado ficar incapacitado por mais de 15 dias; 16 dias afastado, por exemplo, o autônomo receberá todos, mas apenas com 15 dias de afastamento, não recebe nenhum.
      Pardal

  277. Estou encostada pelo inss, tenho que continuar contribuindo?

  278. Boa noite, Sergio, minha mãe é segurada facultativa e passou por processo cirúrgico, ganhando atestado do dia 23/06 a 23/07, porém ela pagou a mensalidade referente a junho, como vi em outros comentários ela não precisaria pagar, existe forma de compensar este pagamento, deixar de pagar no mês de julho?

  279. Bom dia, minha esposa é contribuinte facultativo e contribui pelo teto. Ela entrou em auxilio doença e o benefício ficou bem abaixo do teto pois é feito pela media de 80% dos maiores salarios. A informação do INSS é de que neste periodo de 6 meses que ela receberá o auxilio doença não é necessario contribuir como ela faz todo mes. Como o beneficio será de R$ 2.166,39 só será descontado 9% de inss o que corresponde a R$ 194,88. Atualmente ela paga todo mês R$ 878,04(teto) e a dúvida é como ficará o cálculo posterior da aposentadoria se ela não contribuir pelo teto. A nossa idéia é de contribuir com o valor da diferença R$ 683,16 (878,04-194,88)com a intenção de não reduzir a aposentadoria no futuro. Isto pode ser feito? estamos corretos?

    • Oi, Tito, não é possível contribuir por fora, como você pretende. De qualquer forma, lembre que a média é feita pelos maiores salários que representem 80% de todos de julho de 1994 até o início do benefício (como foi feito também para o auxílio-doença), e assim, os 6 meses poderão não representar nada na média final. Lembre que durante o afastamento ela não deve contribuir.
      Pardal

  280. MEU MARIDO FALECEU EM 08/12/2013, A ULTIMA CONTRIBUIÇÃO DELE PRA O INNS FOI EM OUTUMBRO 2012,JANEIRO EU DEI ENTRADA NO INSS E NÃO FOI CONCEDIDO O BENEFICIO, AGORA EU ESTOU SABENDO QUE ELE ESTAVA SEGURADO ATÉ DIA 16/12/2013 REFERENTE A LEI 8,213/91.. O QUE EU DEVO FAZER DA UMA NOVA ENTRADA OU ENTRA COM RECURSO JÁ QUE PASSOU DE 30 DIAS QUE EU DE ENTRADA…

  281. TATHYANA disse:

    Boa Noite!

    O sr. pode me informar qual o fundamento legal para o caso do trabalhador urbano que perde qualidade de segurado, e se voltar a pagar 4 parcelas do INSS, volta a referida qualide e pode requerer um auxílio-doença???

    Certa de sua atenção,

    No aguardo de uma resposta,
    Obrigada”

    • Oi, Tathyana, a lei 8.213/91, em seu artigo 24, parágrafo único, determina que com o pagamento de 1/3 do tempo de carência do benefício desejado, o segurado readquire a qualidade de segurado. Porém, é bom observar que se a incapacidade laboral do trabalhador for anterior ao retorno das contribuições, não terá direito ao auxílio-doença. É como colocar no seguro o carro que já está batido…
      Pardal

  282. jonathan disse:

    Gostaria de saber se eu afastado pelo INSS do serviço ,o meu patrão continua pagando o me INSS?? Ou não ??

  283. Bom dia Dr. E no caso de doença degenerativa pré-existente, tais como hepatopatia grave, aguda e cirrose. O contribuinte autônomo tem direito? Se tem direito, como é calculado quando ele recolhe 20% do salário mínimo por mês? Como deve-se agir para obter esse benefício? E se ele aumentar o recolhimento, será maior o benefícios, haja vista os gastos com medicamentos? Obrigado.

    • Oi, Marco Antonio, a média se faz pelos maiores salários que representem 80% de todos de julho de 1994 até o início do benefício, ou seja, será muito difícil aumentar a média. Por outro lado, nunca será menor que um salário mínimo qualquer benefício substitutivo da remuneração. Para ter direito ao benefício, é preciso que o agravamento da doença, incapacitando o segurado, tenha ocorrido depois do início da contribuição.
      Pardal

  284. Andressa disse:

    Boa Tarde Dr Sérgio, pago INSS a 6 meses como autônoma e preciso passar por uma cirurgia. Gostaria de saber se já tenho o direito de afastamento com esses meus meses de contribuição. Muito obrigada por ler meu comentário.

    • Oi, Andressa,

      O Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS. Não será devido o benefício ao segurado que se filiar ao Regime Geral da Previdência Social já portador da doença ou da lesão invocada como causa para ao benefício, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão, situação que costuma gerar demandas judiciais em razão da negativa do INSS em conceder o benefício.
      Para ter direito à percepção do auxílio-doença o segurado deverá ter cumprido a carência equivalente a doze contribuições mensais. contudo, há situações em que os segurados ficam um período sem contribuir e, mesmo assim, têm direito aos benefícios previdenciários. É o chamado “período de graça” ou período de manutenção da qualidade de segurado. O prazo de manutenção da qualidade de segurado depende, principalmente, do tempo de contribuição antes da interrupção dos recolhimentos.
      Para quem contribuiu por menos de dez anos, a perda da qualidade de segurado ocorre 12 meses após a interrupção da contribuição. Já o “período de graça” para os trabalhadores que contribuíram por mais de dez anos é de 24 meses. Em ambos os casos, se a pessoa estiver recebendo seguro-desemprego, esses prazos são acrescidos de 12 meses.
      Para voltar a ter direito aos benefícios, o trabalhador que perdeu a qualidade de segurado terá de contribuir para a Previdência por, pelo menos, um terço do tempo mínimo exigido – a chamada carência – para cada tipo de benefício. No caso do auxílio-doença, por exemplo, a carência exigida é de 12 meses. Mas, para alguém que perdeu a qualidade de segurado, as contribuições anteriores só serão consideradas para a concessão do auxílio-doença se, depois de voltar a contribuir, houver, pelo menos, quatro novas contribuições.
      Pardal

  285. Bom dia, Dr!

    Meu pai está a fazer uma cirurgia que o impossibilitará de trabalhar por pelo menos 40 dias. Ele trabalha como segurança noturno de obra e recolhe INSS como facultativo (20% sobre o salário mínimo).
    Ele pode solicitar que o INSS pague pelos dias em que ele ficará sem trabalhar? Seria o auxílio doença? Ele deve solicitar este antes da cirurgia?

    Obrigada!

    • Oi, Caroline,

      O Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS, ele deve ligar no 135 e pegar as informações necessárias para efetuar o requerimento administrativo.
      Pardal

  286. Olá , boa tarde, gostaria de saber se depois da pericia médica for aprovada e eu pedir demissão , ainda tenho direito de receber ao auxilio mesmo eu pedindo demissão?

    • Oi, Rennan,

      O Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS. Assim, mesmo desempregado, se você possuir qualidade de segurado terá direito ao auxílio-doença, de qualquer forma, é aconselhável procurar em sua cidade ou região, um advogado especialista e de sua confiança para analisar o caso concreto e avaliar o que pode ser feito.
      Pardal

  287. Filipe disse:

    Minha sogra paga o INSS como autônoma a 2 anos e 2 meses infelizmente ela vai ter que fazer uma cirurgia. paga o INSS sobre 1 salario.
    Ela entrou de beneficio (PASSOU PELA PERICIA) dia 088\14 a duvida é o seguinte:
    Valor do beneficio?
    Enquanto ela tiver de beneficio ela continua pagando o carne do INSS?
    Agradeço desde ja.

    • Oi, Filipe,

      A média se faz pelos maiores salários que representem 80% de todos desde julho de 1994 até o início do benefício, o valor do benefício será 91% dessa média, para saber o valor do benefício você pode fazer a simulação no site do INSS.
      Pardal

  288. Se o segurado facultativo, que contribui com 11% sobre o salário mínimo, recebe auxílio doença, será de 91% ou, como o beneficio não pode ser menor que o salário mínimo, será de R$ 724,00?

  289. olá Dr!olha só,meu pai ja trabalhou com carteira assinada por varios anos mas ficou mto tempo sem registro pois trabalha como pedreiro (por conta própria),faz 2 anos q ele paga o INSS como contribuinte individual (11%),e ele acabou de descobrir que está com hanseníase :( as dores estão cada vez piores e ele já não consegue mais trabalhar e sustentar a si próprio e a família.Ele tem direito ao auxílio doença?se puder me orientar fico muito grata!

    • Oi, Denise,

      O Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS, se está nesta situação deve requerer o benefício ligando para o 135.
      Pardal

  290. Graziele Dias disse:

    Bom dia dr.Sergio gostaria de uma informação, sou autônoma e não contribui com INSS e descobri q preciso passar por uma cirurgia se eu começar a pagar agora quanto tempo preciso pagar para ter direito ao auxilio doença?

    • Oi, Graziele,
      O Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS. Não será devido o benefício ao segurado que se filiar ao Regime Geral da Previdência Social já portador da doença ou da lesão invocada como causa para ao benefício, salvo quando a incapacidade sobrevier por motivo de progressão ou agravamento dessa doença ou lesão, situação que costuma gerar demandas judiciais em razão da negativa do INSS em conceder o benefício.
      Para ter direito à percepção do auxílio-doença o segurado deverá ter cumprido a carência equivalente a doze contribuições mensais.
      Há situações em que os segurados ficam um período sem contribuir e, mesmo assim, têm direito aos benefícios previdenciários. É o chamado “período de graça” ou período de manutenção da qualidade de segurado. O prazo de manutenção da qualidade de segurado depende, principalmente, do tempo de contribuição antes da interrupção dos recolhimentos.
      Para quem contribuiu por menos de dez anos, a perda da qualidade de segurado ocorre 12 meses após a interrupção da contribuição. Já o “período de graça” para os trabalhadores que contribuíram por mais de dez anos é de 24 meses. Em ambos os casos, se a pessoa estiver recebendo seguro-desemprego, esses prazos são acrescidos de 12 meses.
      Para voltar a ter direito aos benefícios, o trabalhador que perdeu a qualidade de segurado terá de contribuir para a Previdência por, pelo menos, um terço do tempo mínimo exigido – a chamada carência – para cada tipo de benefício. No caso do auxílio-doença, por exemplo, a carência exigida é de 12 meses. Mas, para alguém que perdeu a qualidade de segurado, as contribuições anteriores só serão consideradas para a concessão do auxílio-doença se, depois de voltar a contribuir, houver, pelo menos, quatro novas contribuições.
      Pardal

  291. Boa Noite Dr. Sérgio,
    Completei 60 anos em fevereiro/2014, tenho até o momento 14 anos e 9 meses de contribuição, atualmente estou contribuindo como autônoma,sou Designer Gráfico e Web. No início de junho/2014 fui acometida por uma enfermidade que me levou a 13 dias de internação e através de exames, foi diagnosticado insuficiência cardíaca, pelo fato do coração estar crescido e com duas válvulas funcionando mal.Conforme diagnóstico dos médicos do hospital este mal é irreversível,porem me dando alta e me encaminhando para tratamento com medicamentos e acompanhamento da médica do Posto de Saúde do bairro. Em consulta com a médica ( Clinico Geral) do posto, esta olhou e analisou meu ecocardiograma e deixou bem claro que meu estado de saúde é delicado, passou alguns medicamentos, proibiu qualquer e esforço físico, agitações, e resolver quaisquer problemas. Escreveu um relatório sobre meu estado de saúde, e dizendo também que eu me encontro em acompanhamento por ela naquele posto de saúde, e solicitou junto ao SUS uma consulta com o Cardiologista para melhor tratamento. A médica do Posto ( CLINICO GERAL)me informou que com o relatório do cardiologista eu poderia pedir junto ao INSS a aposentadoria por doença. Porem estou esperando esta consulta do cardiologista há 2 meses e até o momento não foi marcada pelo SUS, levei os papéis que tinha em meu poder (Ecocardiograma, que foi feito no hospital na época da internação, mais o atestado dos dias em fiquei internada, e solicitei uma pericia junto ao INSS, e me concederam o auxilio somente aos dias em que fiquei internada. O que devo fazer?
    Sem estar em condições para qualquer trabalho e sem ter a avaliação do cardiologista, pois não chega a consulta.
    Obrigada
    Suzana Jimenes

    • Oi, Suzana,

      Teria que verificar se cabe o pedido de reconsideração junto ao INSS, se é melhor ajuizar uma ação judicial, vale lembrar que o Auxílio-doença é devido para o segurado que fique incapacitado para o trabalho por mais do que 15 dias, independentemente da doença que o acometa, passando obrigatoriamente pela perícia médica do INSS. Assim, é aconselhável procurar em sua cidade ou região, um advogado especialista e de sua confiança para analisar o caso concreto e avaliar o que pode ser feito.
      Pardal

  292. Maricléa disse:

    Olá DR. Sergio Pardal! Tenho 54 anos e tenho varias doencas sendo algumas como: Depressão, diabetes, hipertensão, fibromialgia, ostoporose entre outros.. Nunca contribui com inss, nunca trabalhei, sempre fui do lar e na epoca que me divorciei (2007)entrei em forte depressão e não conegui trabalhar, fui enganada pelo meu ex conjugue que alegou não ter condicões de me dar pensão então assinei em abri mão e fiquei sendo sustentada pelo meu pai que recebe aposentadoria de 1 salário minimo, mas hoje esse valor não é sufuciente. Gostaria de saber, se tenho algum direito de requerer auxilio doenca, pensaõ ou aposentar?
    Aguardo. Maricléa

  293. gisele disse:

    olá Sergio Pardal. pago inss facultativo ou autonomo nao sei a diferença, vou fazer uma pequena cirurgia 12/09/14 tenho direito ao auxilio doença?

    • Oi, Gisele,

      Contribuintes individuais são aqueles que têm renda pelo trabalho, sem estar na qualidade de empregado, tais como os profissionais autônomos, sócios e titulares de empresas, entre outros. Estes são contribuintes obrigatórios da Previdência Social;
      Contribuintes facultativos são aqueles que não têm renda pelo trabalho, tais como, a dona de casa, o estudante, o desempregado, etc, no entanto, querem contribuir para a Previdência Social, garantindo com isso os benefícios previdenciários tais como auxílio doença, aposentadoria, salário-maternidade, pensão para seus dependentes, entre outros. Como viram, estes não são contribuintes obrigatórios, recolhem facultativamente;
      Pardal

  294. Boa tarde Dr, tenho uma dúvida a respeito de valor de aposentadoria por invalidez ou auxilio doença para contribuinte autônomo ou facultativo quando não foi cumprido o período de carência. Por exemplo: se houve apenas uma contribuição antes do acidente, como será feito o cálculo, pelo valor da única contribuição?
    Obrigada

  295. Boa noite Sergio!Vou descrever uma carta que recebi.Em atenção ao seu pedido de auxilio-doença,apresentado em 25/008/14,informamos que,apos anaálise da ducumentaçao apresentada,foi comprovada a incapacidade para o trabalho pela pericia médica,porem nao foi reconhecida o direito ao beneficio.tendo em vista das contribuições deu-se em 01/03/14 data está posterior ao inicio da incapacidade fixada em 14/01/14 pela pericia médica.Desta decisao podera ser interposto recurso a junta de recurso da previdencia social.dentro do prazo de 30 dias contado da data do recebimento da presente comunicado. A pergunta que eu faço é o seguinte o que quer dizer este comunicado e o que devo fazer?

    • Oi, Vânia, o comunicado quer dizer que quando você ficou doente não estava contribuindo; voltou a contribuir quando já estava incapacitada para o trabalho. Você teria que provar que estava apta quando estava contribuindo e ficou incapacitada depois.
      Pardal

  296. Cristiane disse:

    Boa Noite
    Doutor gostaria q o sr se possivel me ajudasse tirando algumas duvidas.
    Tenho carteira assinada com o total de 2 anos como contribuinte mas em varias empresas, meu ultimo registro foi 2006, liguei no INSS a representante me falou q preciso pagar apenas 4 meses do carne, pois estou em tratamento psiquiatrico pois tenho Disturbio mental, TOC, Transtorno bipolar, depressao e sindrome do panico, tenho eame feito da cabeça o eletrocefalograma com mapeamento cerebral q comprova q tenho disturbio mental e tomo medicaçoes q daria um total de 5 comprimidos por dia. Oq acontece estava trabalhando sem registro em carteira quando descobri os problemas, nao consegui trabalhar direito e nao tinha vontade nem de sair de casa e dai minha patroa me mandou embora por nao consegui trabalhar. Agora estou tentando trabalhar como manicure ou seja como autonoma, mas esta dificil tb, oq devo fazer vou começar a pagar o carne do Inss os 4 meses q faltam essa semana, para eu conseguir o auxulio doença seria mais facil pagar com o cod. de autonoma ou do lar, eu consigo comprovar q estou tentando trabalhar como manicure com os cupons fiscais das compras dos produtos q eu compro para trabalhar. Por favor me ajude a esclarecer essas duvidas. Obrigada

    • Oi, Cristiane, começar a contribuir quando já está incapacitada para o trabalho não vai lhe garantir o benefício do INSS. Ou seja, a saída seria retornar a contribuir por um bom tempo, e não apenas os 4 meses para readquirir a qualidade de segurada, e comprovar que a incapacidade surgiu depois.
      Pardal

  297. zeneide maier disse:

    Oi,doutor sou diarista e estou gravida já estou com 3 meses e me sinto muito cansada e com dor na virilha,pago o INSS como autônoma a 8 meses e (tenho carteira registrada a uns 9 anos)tenho direitos a auxilio doença, já estou muito cansada. Muito obrigada