Massas

Tasca do Porto lança novo menu

A deferência à tradição é um dos motivos do sucesso da Tasca do Porto, uma espécie de consulado dos comes e bebes honestos da terrinha. Aberta há cinco anos, não podia estar em local mais adequado: a histórica Rua XV, que guarda em seus prédios a herança portuguesa.
O próprio imóvel onde se estabeleceu a Tasca exala história desde a imponente porta de ferro até as paredes de pedra aparente e enfeitadas com flâmulas e outros adereços lusitanos. A lousa ao fundo já anuncia as especialidades, que vão dos tradicionais petiscos como alheira (R$ 42) ou pica pau (filé-mignon ao molho da casa/R$ 52) ao item mais pedido: o arroz de bichos– suculento arroz com frutos do mar (R$ 173, inteira e R$ 104, meia).
A partir do dia 8, novos pratos entram para o cardápio. Em Portugal diz-se que há uma receita de bacalhau para cada dia do ano. Mesmo que a Tasca do Porto já tenha uma enorme lista de preparos com o peixe, nunca é demais colocar mais um.
O chef Daniel Rabelo já fazia com sucesso nas concorridas Noites de Fado, o Bacalhau Confitado (veja receita abaixo), que agora entra para o menu fixo. Um alto lombo é cozido lentamente no azeite, depois é gratinado com bechamel e disposto sobre saborosas batatas ao murro. Um confit de alcaparras destaca ainda mais os sabores (R$ 190/R$114).
Para os amantes de carne, o clássico filé à Daniel, com o verdadeiro molho ao vinho Madeira e batatas-palha cortadas à mão (R$ 130/ R$ 80) promete agradar.
Mesmo com os dois andares, que formam a ampla casa, a sensação é de estar em uma típica tasquinha do Porto ou Lisboa, na qual os pratos são bem servidos, com fartura também nos temperos que têm como base azeite extravirgem, alho e ervas. Para os amantes da piri piri (a pimenta lusitana), a Tasca oferece o molho da casa e também a Piri Piri portuguesa.
Vem também do outro lado do Atlântico, o Licor de Merda (R$ 20), bebida criada em 1974, em ‘homenagem’ aos políticos locais. Feita com leite e aguardente, encerra a refeição. Porém, não sem antes o cliente se deleitar com a famosa doçaria conventual portuguesa, aquela na qual os doces com gema e açúcar prevalecem. Dizem ter nascido da necessidade de se usar os ovos inteiros, já que as freiras utilizava as claras para engomar. Pastéis de Santa Clara, Gracinha de Cascais, Travesseiro de Periquita ou Toucinho do Céu (R$ 9)). seja qual for a escolha, a cada mordida, estarás mais perto do céu.

Aproveita e anota a receita do Bacalhau Confitado do Tasca:

Bacalhau confitado com batatas ao murro, Tasca do Porto
Ingredientes: 1 lombo de bacalhau (cerca de 350g); farinha de trigo o quanto baste para empanar o lombo; óleo suficiente para fritar. Para o molho de alcaparras: 15g de alcaparras picadinhas; salsinha a gosto; 1/2 cebola picadinha; 2 dentes de alho picados; 150 ml de azeite e 80g de bechamel para gratinar. Batatas: 2 batatas, azeite e sal.
Bechamel: 150 ml de leite; 1/2 colher (sopa) de manteiga; 1 colher (sopa rasa) de farinha de trigo; sal o quanto baste, pimenta branca moída e noz moscada ralada a gosto.
Preparo bechamel: derreta a manteiga e misture a farinha formando uma pasta. Adicione o leite de uma vez e mexa bem para não empelotar. Em fogo baixo, vá mexendo até engrossar como um mingau mais ralo. Tempere com sal, noz moscada e pimenta branca moída a gosto.
Bacalhau: em água fervente, cozinhe o lombo de bacalhau por 5 minutos. Escorra bem. Passe por farinha de trigo para empanar e frite-o em azeite. Escorra bem. Cozinhe as batatas inteiras com casca. Quando elas estiverem cozidas, aperte elas de forma que elas “estourem”. Tempere-as com sal e azeite.
Montagem: em um prato coloque duas batatas aos murros, regue com o molho de alcaparras. Por cima, posicione a posta de bacalhau, cubra com um pouco de molho bechamel e leve ao forno para gratinar.