Resenha – Mark of The Necrogram – Necrophobic

Com 30 anos de estrada, os suecos do Necrophobic sempre praticaram uma mórbida mistura de death com black metal, bem como manda a tradição escandinava do estilo. Mesmo sem ter atingido a mesma popularidade que alguns de seus conterrâneos, a banda segue firme sua jornada com Mark of The Necrogram, seu oitavo álbum de estúdio.

Não espere por muitas mudanças na filosofia da banda. O quarteto continua destruindo com o mesmo death/black metal dos idos do clássico debute The Noctural Silence (1993).

No entanto, a produção está muito melhor hoje em dia, o que nos permite ouvir cada detalhe sombrio de Mark of The Necrogram. Os vocais remetem ao Dark Funeral. Os riffs são uma mistura de Entombed, Unleashed e Bathory (antigo) com a pegada tradicional do Necrophobic.

Liquidificador em tudo isso e temos faixas para deathbanger nenhum botar defeito. São os casos de Pesta (que riff), Odium Caecum, Crown of Horns e a faixa-título. Todas dotadas de insanidade musical e um onipresente clima soturno, num álbum que periga ser o melhor da carreira dos suecos.

E os brasileiros poderão conferir tudo de perto, pois o Necrophobic está escalado para a próxima edição do festival Setembro Negro, em São Paulo. Ouça Mark of The Necrogram e prepare-se para essa porrada.

Mark of The Necrogram
Ano de lançamento
: 2018
Gravadora: Century Media Records

Faixas:
1-Mark of The Necrogram
2-Odium Caecum
3-Tsar Bomba
4-Lamashtu
5-Sacrosanct
6-Pesta
7-Requiem For a Dying Sun
8-Crown of Horns
9-From The Great Above to The Great Below
10-Undergangen

Comentários

Comentários