Entrevista | Preta Jô – “É a força do empoderamento racial e feminino”

Capa do EP Empretecer da rapper Preta Jô. (Arte da capa: Prod The Vita)

A rapper Preta Jô, 23 anos, de Santos, está soltando as faixas do seu primeiro EP Empretecer. A produção transmite a força do empoderamento racial e feminino. A artista está lançando as músicas do EP aos poucos. Na próxima quinta-feira (25), lançará o clipe da música Empretecer.

Os vocais, as letras, a potência nas faixas já lançadas são de arrepiar. A Preta Jô contou mais detalhes sobre o seu primeiro EP ao Blog n’ Roll:

Como o EP Empretecer foi composto? Suas experiências de vida contribuiriam para a composição?

O EP Empretecer é meu primeiro EP. É a realização de um sonho e apenas o começo de tudo. Nele, eu deixo toda minha essência: tudo o que eu sou, minhas vivências reais e sentimentos profundos. A primeira faixa Filme de Terror é um desabafo diante da atual situação política e social não só do País, como do mundo.

Você cita a Nanne Bonny, o Caoz, que estão na cena da Baixada Santista. Como elas inspiram você?

A faixa seguinte Abundância retrata um desejo de riqueza para todas as mulheres que compõe a cena local, inclusive eu. É nessa faixa que eu cito a Dj e produtora cultural Nanne Bonny. Ela foi a primeira, que com o Movimento E.L.A, além de me acolher e abrir espaço, valorizou minha arte de forma profissional.

Cito também @s menines do Caoz, +band da Baixada, que sempre me fortaleceram e inspiraram com seu rap e levante. Além de mulheres, muitas são pretas/mães solo como eu. A gente sempre se fortalece no quesito maternidade e trabalho. Somos merecedoras de toda abundância que há.

Lançamento da faixa Empretecer

A terceira e principal música, Empretecer, é o fundamento desse EP: triunfo, amor e poder ao povo preto- será lançada na próxima quinta-feira (25).

Cena do clipe Empretecer; Preta Jô cercada de pessoas pretas. (Foto e clipe: Michael Xavier)

A quarta faixa fala sobre a superação de um relacionamento abusivo. Já a quinta e última música é sobre minha personalidade e dedicada a todas que estão fora do padrão. O último lançamento sairá até o final de julho.

Quais são as mensagens que você quis passar com esse trabalho?

O EP, assim como minha carreira num todo, transmite a força do empoderamento racial e feminino, e reforça a nossa resistência.

Quem produziu o EP?

As letras e melodias são minhas. Os beats são do Prod The Vita e do Allure. A captação, masterização e mixagem foram feitas pelo Estúdio Bom Bando.

Quando você conheceu e há quanto tempo faz rap?

Eu sempre compus e poetizei tudo. Mas há cinco anos o rap me fez enxergar que isso seria mais do que um hobbie. Seria também meu porta voz, minha salvação como mulher, preta e mãe solo, minha paixão e meu trabalho.

Ouça as faixas do EP nas plataformas digitais:

Filme de Terror e Abundância
Instagram
Facebook
Contato: jordanapoetisa@gmail.com

Comentários

Comentários