Creeper mantém alto nível em Sex, Love & The Infinite Void, seu segundo disco

O Creeper está de volta com inéditas nesta sexta-feira (31). A banda inglesa finalmente soltou nas plataformas digitais o disco Sex, Love & The Infinite Void. Ademais, o lançamento marca o segundo lançamento em estúdio do grupo.

Com ‘apenas’ 6 anos de estrada, o conjunto formado na cidade de Southampton vem ganhando cada vez mais os holofotes. Anteriormente, o debute do grupo, Eternity, In Your Arms (2017), já havia sido bem elogiado pela crítica.

Agora, três anos após a estreia do primeiro disco completo, o Creeper trouxe mais um trabalho, que originalmente deveria ter saído em maio, mas teve de ser adiado por conta da pandemia do novo coronavírus.

Sex, Love & The Infinite Void

Quase três meses após a data inicial para ser divulgado, o álbum Sex, Love & The Infinite Void finalmente chegou. Comandado pelos singles Cyanide, Annabelle e Born Cold, o trabalho atendeu as expectativas e manteve o alto nível apresentado pelo conjunto.

Falando sobre os singles, todos ficam na primeira metade do projeto que ao todo possui 16 faixas. Em síntese, é inegável a força desta sequência inicial, que ainda conta com a ótima Be My End.

Da 9ª até More Careful With Your Heart, responsável pelo encerramento da obra, o disco perde um pouco do seu ímpeto, mas nada que ofusque o conjunto geral.

Referências do Creeper

É complicado associar o som meio punk, meio emo do Creeper com outros artistas. Contudo, o vocalista Will Gould contou em entrevista que bandas como Alkaline Trio, AFI e My Chemical Romance moldaram a sonografia desde o início dos trabalhos do grupo.

Críticas

Em resumo, o trabalho foi muito bem aceito por críticos especializados. A Kerrang!, uma das revistas britânicas mais conceituadas no cenário musical, deu nota máxima para o trabalho.

“A banda mira alto, quando tantas outras parecem satisfeitas em jogar apenas no seguro. O disco é uma montanha-russa maravilhosa. O Creeper mostra seu amor pela música e pela arte com orgulho e merece muito reconhecimento”.

Kerrang!

Comentários

Comentários