Crítica | Sangue e Água – um universo paralelo (contém spoilers)

Sangue e Água (Blood and Water) é mais uma das novidades do ano no catálogo da Netflix. A série baseada em fatos reais tem feito muito sucesso desde sua estreia, chegando a ficar duas semanas no top 10 do ranking nacional.

É preciso aceitar que a plataforma tem feito muitas produções adolescentes, acertando em todas. Assim como, Eu Nunca… e Control Z, Sangue e Água é mais uma série que tem o drama e suspense como chaves de sucesso.

A trama de Sangue e Água

De início, sentimos a tensão da série, durante o aniversário de 17 anos de desaparecimento de Phume, a primogênita da família Khumalo. Antes que a série comece a desenrolar, já apresenta que por conta da dor da perda, Thandeka (Gail Mabalane) deixa os seus outros dois filhos de lado.

Após fazer amizade com Fikile Bhele (Khosi Ngema) em uma festa, Pulenge (Ama Qamata) fica obcecada pela nova amiga. Acontece que descobriu que Fikile está fazendo aniversário no mesmo dia em sua irmã desaparecida faria.

Obsessão pelo passado

Adiante, a família de Pulenge é exposta na mídia, por problemas do passado. Dado o acontecimento, Pulenge vê a oportunidade de estar mais próxima de sua possível irmã.

Posteriormente, muda-se para a mesma escola de Fikili, um colégio particular estilo High School (em que os personagens são em sua maioria ricos), para estar mais próxima de sua suposta irmã. Tendo em vista o novo mundo que foi inserida, decide “ser outra pessoa”, para que seus novos amigos não descubram o seu passado, e atrapalhem sua investigação.

Com a ajuda de Wade (Dillon Windvogel), seu novo melhor amigo, traz a tona muitos segredos antigos, que irão causar problemas em sua próxima temporada.

Notas sobre Sangue e Água

Assim como uma boa série adolescente, Sangue e Água trouxe muito drama e paixão, reforçando o formato da série. Entretanto, o que mais merece destaque é sua representatividade.

Em suma, a produção Sul Africana inovou em trazer um elenco negro, desconstruindo o estereótipo de séries e filmes desse formato. Possuindo apenas seis episódios, Sangue e Água é daquelas que você maratona em poucas horas.

Mesmo que pareça um universo paralelo, já que não vemos essa ascensão negra em nosso dia a dia, é satisfatório devanear por esse mundo, renovando esperanças para que um dia possamos estar ocupando espaço na sociedade.

Comentários

Comentários