Entrevista | Julies – “É um dos momentos mais felizes da minha vida”

O cantor Julies segura um violão enquanto posa para a foto.

No início do mês, o cantor Julies divulgou o single Bela nas plataformas digitais, junto com o clipe. A quarta faixa lançada pelo artista compõe seu EP de estreia, que será disponibilizado em agosto.

Bela exalta a mulher e sua positividade independente de qualquer situação, descritas em frases apaixonadas.

Ao lado de Julies, o hitmaker do reggae nacional Deko divide a autoria e os vocais de Bela. Alguns de seus hits são Tô de Pé, Corre Pro Meu Mar e Sem Jeito, ambas do Maneva. Hoje os dois são melhores amigos, Deko o apoiou no início da carreira, ajudando Julies a compor o EP inteiro.

Da imprensa aos palcos

Nascido na Zona Norte de São Paulo, o artista de 29 anos é formado em Jornalismo. Julies já integrou bandas e com o fim delas, recebeu o convite de ser assessor de imprensa do Maneva. Depois assessorou também artistas como o Planta & Raiz, Gabriel Elias, DAY e Carol Biazin.

Mas seu desejo sempre foi de estar à frente de tudo: seu lugar era nos palcos. Com ajuda de amigos como Deko, Maneva e o produtor Thiago Stancev, ele seguiu em frente.

Como resultado, lançou a faixa e o clipe de Pequena em agosto de 2019, sucedida por Buquê Para Multidão, Fumaça e Bela.

Atualmente o cantor conta com meio milhão de streamings nos apps musicais, em quase um ano de carreira.

Com influências de reggae, pop e música latina, Julies é a nova revelação do pop reggae nacional, provando que falar de amor ainda faz sucesso.

Assim batemos um papo com o cantor sobre sua carreira e planos futuros, confira a seguir:

Você já era envolvido com a música nos bastidores, como é estar do outro lado agora?

É muito melhor e mais prazeroso, mas também é tão trabalhoso quanto, só que são responsabilidades diferentes. Na minha assessoria tem o operacional, eu como artista tenho a criação, talvez tão importante ou mais do que todo o processo operacional. Mas é muito mais gostoso, é onde sempre quis estar, cantando nos palcos, produzindo, compondo… Hoje, apesar dos pesares, é um dos momentos mais felizes da minha vida.

Qual é a inspiração para compor suas letras?

Na verdade meu processo de composição é um pouco diferente. Começamos com a melodia, fazendo arranjos no violão e depois imaginamos situações. Minhas últimas canções foram todas compostas em parceria com outros compositores, como o Tales (Maneva) e seu irmão Tércio, o Deko e Gabriel Elias. Imaginamos bem a cena que queremos escrever e a princípio tem sido nosso segredo para essas letras que têm saído.

Suas letras são sobre amor, você se considera alguém romântico?

Me considero bastante, mas quando quero ser. Até a fase de eu chegar a ser romântico, requer um trabalho grande (risos). Sou daqueles caras que gostam de mandar flores, de compor música para a pessoa. Se eu não me considerar um cara romântico com a banda favorita sendo Bon Jovi, eu não sei o que seria (risos).

Assim como Fumaça, Pequena e Buquê Pra Multidão, pretende lançar o clipe para o single Bela? 

Sim, vai ter o registro visual, assim como todas as músicas vão ter e já tem, na verdade. Dessa vez será diferente, será um vídeo animado comigo participando. Eu quero algo diferente do que já lancei. Em menos de um mês já deve estar no YouTube disponível para todo mundo conferir.

Além do EP chegando em agosto, tem mais planos para este ano?

Depois de Bela, vamos finalizar o EP com Brincando Com Fogo, que mistura reggae com música latina e cigana, está muito diferente dessas quatro músicas já lançadas. Temos várias novidades, como a parceria com o Maneva que deve sair em setembro.

Você continua assessorando artistas como DAY, Planta & Raiz, Zimbra e Gabriel Elias ou está focado totalmente em sua carreira solo?

A minha empresa continua, mas só funciona aos olhos do dono. Então estou sempre diretamente ligado aos artistas, tanto a Day, ao Gabriel Elias, Planta e Raiz, Zimbra, Salgadinho, Carol Biazin e a banda Versalle que estão sobre os meus cuidados (risos).

Você participará da live Juntos Pela Vila Gilda. Qual é a importância de projetos assim e o que espera para sua apresentação?

A importância disso é tremenda, estamos vivendo um dos piores momentos da humanidade, pelo menos dos últimos 100 anos. Não lembro de alguma doença que tenha afetado o mundo e tenha matado tanta gente como o Covid-19.

Quando acontece esse tipo de tragédia, é natural que essas áreas mais periféricas sejam afetadas e ações como essas são fundamentais para amenizar a dor das pessoas que têm menos condições que a gente.

Estou muito feliz de estar participando disso, muito feliz de saber que é um projeto muito bonito e sério, com grandes nomes da música nacional e internacional, para ver o tamanho que esse projeto leva e carrega nas costas.

É a minha primeira apresentação em um festival, num projeto tão bonito que nem esse. Espero muito que as pessoas curtam tanto quanto eu curti participar disso, que doem e se conscientizem da importância que esse projeto tem. 

Ouça a seguir Bela, Fumaça, Pequena e Buquê Pra Multidão, seus quatro singles…

Comentários

Comentários