Crítica | Hunters (Amazon Prime Video)

Elenco bom, sacadas boas, enredo que transita bem entre um episódio e outro. Hunters é a melhor série de fevereiro. Disponível na Amazon Prime Video, a produção conta com dez episódios com duração média de 60 minutos. A exceção é o primeiro, que tem 90 minutos (algo um pouco incomum para séries).

Em Hunters, o público acompanha um grupo de caçadores de nazistas em Nova York, em 1977. Os Caçadores (The Hunters) como são chamados, descobrem que existem centenas de nazistas do alto escalão vivendo entre nós e conspirando para estabelecer um Quarto Reich no EUA.

O diverso time dos caçadores inicia então uma jornada cheia de sangue para trazer estes nazistas à justiça e frustrar seus planos para um novo genocídio.

Apesar do tema pesado e algumas cenas terríveis, Hunters também consegue divertir em certos momentos. O primeiro episódio, o mais longo da série, é um pouco denso, mas vale seguir investindo nele até o fim. O término desse capítulo aguça bastante o desejo do público em saber a sequência.

Críticas aos Hunters

Hunters, no entanto, não chega a ser uma unanimidade. Foi duramente criticada pelo Memorial e Museu Estadual de Auschwitz-Birkenau.

“Auschwitz estava cheio de dores e sofrimentos horríveis documentados nas contas dos sobreviventes. Inventar um jogo falso de xadrez humano para @HuntersOnPrime não é apenas loucura e caricatura perigosas. Também acolhe futuros negadores. Honramos as vítimas preservando a precisão factual”, postou a entidade no Twitter.

Entretanto, é preciso ressaltar que não é uma série documental, mas uma produção fictícia inspirada em fatos reais. O próprio criador da série, David Weil, destacou isso.

O elenco de Hunters também é prato cheio para qualquer apaixonado por séries. Tem Josh Radnor (o Ted, de How I Met Your Mother), Al Pacino, Greg Austin, Lena Olin e Jerrika Hinton. Além disso, a série tem produção executiva do vencedor do Prêmio da Academia, Jordan Peele.

Comentários

Comentários