Crítica: O Vizinho é a boa nova da Netflix Espanha

Anunciada em fevereiro de 2019, a série espanhola O Vizinho (El Vecino) estreou na Netflix no último dia do ano. Mas, para critérios de avaliação, vou considerar como a primeira grata surpresa de 2020.

Adaptação das HQs de Santiago Garcia e Pepo Perez, publicadas em 2004 na Espanha, O Vizinho conta com bons desempenhos do quarteto protagonista. Formam a linha de frente da série Quim Gutiérrez (que vai estrelar Jungle Cruise, da Disney), Clara Lago (Ocho Apellidos Catalones e Ocho Apellidos Vascos), Catalina Sopelana (carreira focada em séries de TV da Espanha) e Adrián Pino (Ikaro e Grupo 7).

A trama

Em O Vizinho, Jose Ramon (Pino) vive uma vida comum, estudando o dia todo, mas tudo muda quando ele descobre que seu vizinho Javier (Gutiérrez), que acabou de perder o emprego, é o super-herói Titan. Mas ter super poderes não faz de Javier uma boa pessoa. O anti-herói espanhol é um péssimo exemplo. Ele se recusa a crescer e assumir a responsabilidade por suas ações.

Ademais, Javier luta para manter o relacionamento com a namorada Lola (Lago), uma jornalista brilhante que suspeita que ele é de fato o Titan.

Juntos, Javier e Lola, agora vizinhos e amigos, navegam no que significa ser adulto enquanto lutam com super-vilões, embora no final as únicas pessoas que eles devam salvar sejam eles mesmos.

José Ramon (Pino), que agora divide um quarto com Julia (Sopelana), após uma experiência nada agradável com o vizinho traficante, tentará ajudar Javier a lidar melhor com os poderes.

Humor incomum de O Vizinho

As situações de cotidiano desses amigos beiram o surreal, marca característica de filmes e séries bem produzidas da Espanha. Ou seja, não é um humor que pode ser bem digerido por qualquer um.

São apenas dez episódios, com duração média de 28 minutos. Perfeito para ser maratonado rapidamente.

Ainda é cedo para cravar que O Vizinho poderá ter sequência, ainda que depende de um bom resultado de audiência. Mas certamente estarei na torcida por isso.

Uma coisa é certa: a Espanha conquistou os assinantes da Netflix. Depois de La Casa de Papel, Elite, Vis a Vis, As Telefonistas, O Tempo Entre Costuras, O Vizinho é mais uma produção que reforça esse status de “queridinha”.

A produção é da Zeta Audiovisual, mesma empresa da badalada Elite (Netflix). Nacho Vigalondo (Colossal, V/H/S) é o diretor enquanto Carlos de Pando e Sara Antuña são os showrunners.

Comentários

Comentários