Resenha – Reborn – Hatefulmurder

Dois anos após o ótimo Red Eyes, os cariocas do Hatefulmurder retornam ao battlefield com Reborn, que em apenas algumas audições mostra-se tão pesado e destruidor quanto qualquer coisa que a banda já tenha feito no passado.

A formação conta com Angélica Bastos (voz), Renan Ribeiro (guitarra), Thomáz Martin (bateria) e Felipe Modesto (baixo). Um time realmente eficaz quando se trata de um bom metal destroçador.

A primeira coisa que chama atenção, claro, são os vocais perfeitamente brutais de Angélica, que somados aos riffs pesados de guitarra e a produção cristalina, formam um pacote atrativo para quem curte som extremo.

O estilo é difícil de rotular com exatidão, pois traz um pouco de metalcore, thrash e death metal. Porém, isso não faz muita diferença quando pedradas como Rise e Lost Days explodem nos fones, em especial a última, turbinada por belos fraseados de guitarra.

Outros momentos de inspiração surgem em Spit Deception, Sentimentos Artificiais e Santificado Seja o Meu Ódio, onde o grupo mostra que também consegue bons resultados utilizando do português. É metalcore, é thrash, é Hatefulmurder!

Em suma, mais um ótimo álbum na trajetória do quarteto carioca. E se você quer ver tudo isso de perto, fique esperto que o Hateful tem data marcada para se apresentar em Santos, no próximo dia 13 de dezembro. Massacre!

Reborn
Ano de Lançamento
: 2019

Faixas:
1-Rise
2-Reborn
3-Lost Days
4-Spit Deception
5-Sentimentos Artificiais
6-You Are Not The One
7-Santificado Seja o Meu Ódio
8-Mindbreaker
9-Break Down The Prophecy

Comentários

Comentários