Resenha – 666 – Deathgeist

Segundo disco da banda paulistana Deathgesit, que estreou dois anos atrás com o álbum homônimo, 666 retoma o caminho do thrash metal feroz praticado pelos caras, uma mistura de Slayer e Anthrax (antigo) com Destruction e Sodom, acrescentando até nomes como Exumer e Assassin.

Deu para perceber que a banda caminha mais pelos lados germânicos da coisa, né? Mauricio Bertoni (baixo), Goro (bateria), Victor Regep (guitarra), Adriano Perfetto (guitarra e voz) sabem muito bem como tocar um thrash afiado e convincente.

Após a breve intro, a faixa-título coloca tudo abaixo com tudo que os thrash maniacs apreciam: vocais rasgados, andamento veloz, guitarras cuspindo riffs rápidos e clima de inferno, bem adequado ao título da música, aliás.

A introdução de Domain foi feita para cerrar os punhos nos shows, para logo entrar nos campos velozes novamente. Posteriormente, sem descanso, Human Slaughter, Black Moon Rites e Creepshow engatam a marcham e fazem a alegria de quem é chegado no fast metal.

Em suma, um dos grandes álbuns de thrash metal nacional em 2019. Se você gosta das bandas citadas no início dessa matéria, e adora saber como no Brasil abundam bandas de metal, 666 está aí, pronto para ser degustado.

666
Ano de Lançamento: 2019

Faixas:
1-Darness Around
2-666
3-Domain
4-Human Slaughter
5-Black Moon Rites
6-Creepshow
7-Virtual Murder
8-Returning to Sodom
9-The Man Who Was Death

Comentários

Comentários