Batalha do Mano, da Red Bull, consagra o santista Saboó

Crédito: Vitor Mezzacapa

Quarta-feira, 11 de setembro de 2019, Quebra-Mar, Santos. Primeira vez que a Red Bull realiza a Batalha do Mano na Cidade. O evento teve um público presente e atento às rimas. Os MCs demonstraram versatilidade e arrancaram muitos gritos. O carro emanando raps dava a atmosfera do local um ar de Hip Hop e de pertencimento à cultura.

A primeira batalha da noite já começou com cara de final. Os gritos de “guerra” ecoavam antes de cada round. Posteriormente, rolou pocket show do grupo PrimeiraClasse e apresentação de outros artistas locais. Tudo isso em duas horas e meia de Batalha do Mano.

E começou assim…

Chego às 19h10 no local. Próximo ao Emissário, avisto um carro com dois DJs em cima. O som alto carregado de rap, naquele momento, mais precisamente o trap dominava. Um clima pesado de Hip Hop, parece que a playlist que costumo ouvir no fone de ouvido tinha “ganhado vida”. 

Enquanto um pouco do público cantava e dançava, alguns MCs aproveitavam a batida para se aquecer em uma roda de rima improvisada, antes de disputarem na Batalha do Mano, realizada pela Red Bull em parceria com a crew Hip Hop por Prazer.

Ao todo, oito rappers foram selecionados para batalhar. A organização convocou os destaques dos que competiram no campeonato regional, em Praia Grande, há algumas semanas.

Por volta das 19h40, o mestre de cerimônia convoca os concorrentes e o público para se aproximarem do que eu denominei ‘carro do beat’. Ele sorteia quem vai batalhar contra quem na disputa lírica. 

Crédito: Vitor Mezzacapa

Funcionamento

Batalha de sangue: um ataca o outro, vale tudo, menos MC sem postura (preconceituoso).

Melhor de três: quarenta segundos para casa, tira no par ou ímpar quem começa. 

Sai vencedor aquele que arrancar mais grito do público. O famoso voto popular. Caso o apresentador fique com dúvida, pede para levantar a mão e ele conta os votos. 

Tradição: Antes das rimas, ecoaram vários os gritos: 

Se tu ama essa cultura como eu amo essa cultura grita Hip Hop, Hip Hop“. 

Ou

“Se tu ama essa cultura como odeia ditadura….”

“E quem tem flow vai matar, e quem não tem vai morrer”

Crédito: Vitor Mezzacapa

Batalhas

Grafiteh vs Smile

Os primeiros oponentes arrancam suspiros de tensão da plateia, e com razão. Foi uma disputa digna de final. O MC tem fama de ganhar muitas batalhas, principalmente a da Conselheiro, que acontece toda quarta, na praia da Avenida Conselheiro Nébias.

A MC pertencente da banca do Caoz, também vem se destacando na cena das batalhas. Entre as rimas havia o coro de “ ôôô” dos espectadores. O primeiro round deu Smile, no segundo o público pediu terceiro sem votação. 

A batalha teve várias referências de heróis e santos negros e africanos, batalha pesada e o público comentando. 

Tubarão vs Cabelo

Em seguida o sorteio deu Tubarão vs Cabelo. Cabelo começa atacando, um tanto quanto sarcástico. Mas, Tubarão puxou os papos que ele tava mandando, puxou uns gritos da plateia e levou o primeiro round. No segundo round, Cabelo revidou e tudo se resolveu no terceiro, com Tubarão levando.

A batalha mencionou Racionais, meios de comunicação, e naruto (risos). Mas para o resultado, o apresentador teve que contar os votos. Deu 39 para o Tubarão e 26 para cabelo. 

Saboó vs Visconde

A terceira batalha foi disputada por Saboó vs Visconde. Menciono aqui que foi a mais style visualmente, os menino com look chave.

Saboó começa com seu jeito de tirar onda do adversário e arrancar risos da plateia com suas rimas.  Visconde também veio com uma vibe mais tranquila, mas Saboó ganhou primeiro e segundo round. 

Th vs Pedro Trick

A última batalha da primeira fase foi de TH vs Pedro Trick. Pedro começou agressivo, adotando uma postura de quem dá a cara à tapa. Ele ganhou os dois rounds. 

2ª Fase

Saboó vs Pedro Trick

Essa foi uma batalha interessante de assistir, porque são dois opostos literalmente. Saboó com aquele jeito de tirar onda, aquele risinho independente do adversário.

Já Pedro Trick vem muito agressivo, no seu olhar não tinha nada de sereno. O primeiro round deu Saboó, o segundo Trick e o terceiro Saboó.

Grafiteh vs Tubarão

Essa batalha também deu o que falar. Muita rima boa de ambos os lados. Grafiteh não desperdiçou um segundo do beat, sempre atrelava uma rima a outra: fluidez. Ele levou o primeiro round.

Já Tubarão revidou no segundo lançando rimas que arrancaram gritos do público. Tudo foi decidido no terceiro round. O público se aproximou bastante dos dois para dar aquele clima.

Foi um round repleto de punchlines, com muitas reações. Para o veredito, houve contagens de mãos. Resultado: 25 para Tubarão e 22 para Grafiteh. 

Artistas e pocket show

Antes de Tubarão e Saboó disputarem a final, teve espaço para o show do PrimeiraClasse, um grupo santista de rap.

A poesia também esteve presente com o poeta Gabriel, e com o Cabelo, um dos MCs que batalhou. A dupla Smile e Tavares MC representou a banca do Caoz trazendo algumas músicas do grupo.

Destaque também para a presença dos DJs Leon Lafita, Julius, Luq e apresentação do Mamuti 011. 

Final da Batalha do Mano: Saboó vs Tubarão

Dessa vez, Saboó adotou uma postura com menos leveza, mas ainda sim com serenidade. Levou os dois rounds. 

“Aí, mó satisfação ser campeão, quando eu falo parece que rimo, mas é só improvisação. Gratificante, nem sabia se ia dá pra vir. Mãe, consegui, tô no Red Bull, é nós!”, disse em seu pronunciamento oficial. 

Prêmio

O campeão levou uma folhinha (tradicional das batalhas) personalizada, style. Tem direito a uma produção completa do estúdio 7 tons. E ainda conquistou uma vaga para ir disputar a outra etapa do evento Red Bull Mano. 

E a Batalha do Mano, em Santos, terminou por volta das 21h30. 

Desfecho da Batalha do Mano

O evento foi uma realização do projeto Batalha do Mano da Red Bull em parceria com a crew Hip Hop por Prazer, do Th MC, o Thiago Alves, 25 anos, de Santos.

“Eu fiquei sabendo recentemente que eles organizam esse evento. Eles vêm com o carro que fortalece bastante e eu como organizador de batalha fiz a ponte com os MC’s”. 

Para ele, o evento contribui com a divulgação da cultura na região. “Atualmente, posso dizer que o que falta um pouco é a questão dos MCs da nova geração entendam o sentido do Hip Hop, do porque e de como fazer. Porque é preciso propagar uma cultura que une e de maneira saudável. E além do mais, mostrar que nada é impossível. Hoje, por exemplo realizar essa batalha com a parceria de uma marca mundial”.

Daniel Augusto Bisteka, de 35 anos, um dos produtores da Batalha do Mano, partilha da visão do MC e afirma que essa é a justificativa para a realização do projeto. E para estimular ainda mais, a competição trará visibilidade para aquele que sobreviver às próximas etapas.

“Essa é a segunda seletiva, em Santos. Temos mais três seletivas, uma no ABC em São Bernardo do Campo, uma no Grajaú, e outra no centro de SP. O campeão geral de todas as seletivas vai ganhar uma vaga na Batalha Francamente do rapper Kamau, que será realizada na Red Bull Station em SP”.

Perfil dos MCs da Batalha do Mano

Crédito das fotos de perfil: Adriana Pedra

Saboó
Nome: Guilherme dos Santos Seguin, 17 anos
Cidade: Santos
Batalha há dois anos e seu ponto forte nas disputas é: Não gostar de clichê

Tubarão 
Carlos Daniel Santiago Ferreira, 18 anos
Cidade: Praia Grande
Batalha há quatro anos e seu ponto forte nas disputas é: construção e trocadilho

Grafiteh
Victor Hugo Rosa dos Santos Lucindo, 21 6anos 
Cidade: Guarujá
Batalha há três anos e seu ponto forte nas disputas: Rimas/punchline

Pedro Trick
Pedro Henrique da Silva Santos, 16
Cidade: São Vicente
Batalha há pouco mais de dois anos e meio e seu ponto forte nas disputas é: Rima boa

Smile
Emily dos Santos da Silva, 18 anos
Cidade: São Vicente
Batalha há três anos e seu ponto forte nas disputas é: agressividade e conhecimento

Visconde
Simon Fiel dos Santos, 21 anos
Cidade: São Vicente
Batalha há três anos e seu ponto forte nas disputas é: Construção e Métrica

TH MC
Thiago Alves, 25 anos
Cidade: Santos
Ponto forte nas batalhas: rimas inteligentes 

Cabelo
Leandro Blasco Cardoso Silva, 21 anos
Cidade: Praia Grande
Batalha há três anos e seu ponto forte nas disputas é: Referência e agressividade.


Comentários

Comentários