Festival de rap traz shows de Souto MC e Ebony a Santos

ISABELA DOS SANTOS

A primeira edição do Festival ELA (Empoderamento, Liberdade e Arte) vai proporcionar três dias de puro rap em Santos, com as minas no mic, entre sexta (16) a domingo (18). A rapper Souto MC (São Paulo) e Ebony (RJ) são algumas das atrações do evento.

Ainda fortalecerão as apresentações artistas locais, como a DJ Profana, a poeta Natasha Felix, as rappers Thamyres Iannuzzi, Jordana Tostes, a produtora musical Luciana Moreira, dona da gravadora Inferno Rec, e a Batalha do Caoz e Batalha do Céu (disputas de rimas/freestyle), além do Slam Delas (poesia falada), abertas para qualquer pessoa que queira participar.

O evento ainda conta com a presença do Samba de Dandara – roda de samba de empoderamento e exaltação às mulheres sambistas e compositoras- com participação da santista Sol Carvalho. 

Sexta-feira

Todos os shows serão aberto ao público. Na sexta-feira (16), Souto MC e DJ Afreekassia se apresentam no Sambódromo Passarela do Samba Dráusio da Cruz (Avenida Afonso Schimidt, s/n, Castelo Branco). A performance da rapper e da DJ será antecedida pela realização do Slam Delas, e apresentação da Jordana e Thamy Iannuzzi, a partir das 19h. 

Sábado

Já no sábado (17), a programação será na Praça da República, com início às 23h, para proporcionar uma madrugada repleta de Hip Hop. Na ocasião, quem domina é a rapper carioca Ebony e a DJ Profana. Haverá também Batalha do Céu (rima), apresentação da banca da Batalha do Caoz, de São Vicente, e da poeta Natasha Felix.

Oficina para cis, trans e pessoas não binárias

Além das apresentações, durante a tarde de cada dia, haverá uma oficina, também com entrada gratuita, direcionada às mulheres cis e trans, homens trans e pessoas não binárias.

Na sexta-feira (16), a DJ, artista visual e relações públicas Afreekassia mostrará ensinamentos sobre autoimagem e redes sociais, às 16h.

No sábado (17), Luciana Moreira, vulgo LVCCI, dona do estúdio Inferno Rec, vai ministrar uma oficina sobre produção de beat. O início será às 14h, com duração de três horas.

Na ocasião, as participantes terão a oportunidade de acompanhar a produção de um beat do início até o final. Ela também vai falar um sobre a profissão de produtora musical e introduzir o FL Studio. 

Por fim, no domingo (18), haverá a oficina As mulheres do samba, com início às 14h. A partir das 16h, também será realizada uma roda de samba e de discotecagem com a DJ Nanne Bonny.

Todas as atividades serão realizadas no Instituto Procomum, na rua Sete de Setembro, nº 52, Centro. A organização do evento pede para que os interessados cheguem ao local com 15 minutos de antecedência. 

Minas no Front

A primeira edição do festival é fruto do movimento ELA, que almeja o protagonismo de mulheres na cultura Hip Hop. A produtora e DJ Mariane Passos, Nanne Bonny, explica que o surgimento do coletivo há um ano se fez necessário. Ela conta que a cena na Baixada Santista ainda é machista e com espaço restrito para as mulheres.

“Eu e a Marina Pereira idealizamos o ELA para o protagonismo feminino ser possível na região. Para isso, desenvolvemos vários trabalhos, como ocupações de espaços públicos com festas de ruas chamadas A_front e oficinas. Agora a execução do festival foi possível porque ganhamos o ponto Facult, que foi fundamental para executarmos esse evento que vem para fomentar nosso objetivo, mulheres como protagonista”

Mariane Passos, DJ e produtora cultural

Toda a programação e mais detalhes sobre o final de semana do festival pode ser conferido na página do Facebook do evento

Comentários

Comentários