Crítica: Touché Amoré – Dead Horse X, os dez anos do debute

Dez anos após o lançamento de seu primeiro álbum de estúdio, …To The Beat Of A Dead Horse, a banda de post-hardcore americana Touché Amoré lançou uma edição especial em comemoração. O álbum foi dividido em dois discos de vinil, no último dia 9.

Intitulado de Dead Horse X, em homenagem aos dez anos, o álbum contém 22 músicas que totalizam 36 minutos. Sendo a primeira parte uma remasterização do álbum em si. Já a segunda, uma nova interpretação do mesmo. Ademais, a banda regravou todas as canções com os atuais integrantes.

O que (não) há de novo no Touché Amoré

Apesar de o álbum ser inteiro uma regravação de um lançamento anterior, ainda podemos pescar alguns aspectos que foram acrescentados. Logo de cara, ao iniciarmos a primeira faixa, And Now It’s Happening In Mine, nos deparamos com alguns “ruídos” que não haviam antes.

Posteriormente, somos introduzidos ao álbum na boa e velha maneira hardcore. Durante essa primeira faixa não podemos perceber grandes mudanças, além de uma sonoridade mais refinada em comparação com a gravação original.

Entretanto, apesar de encontrarmos alguns elementos diferentes aqui e ali, no geral a nova versão não apresenta muitas novidades. Além disso também não fui capaz de identificar alguma mudança realmente grande na mixagem do álbum em comparação com o seu lançamento inicial.

Mesmo sendo uma homenagem ao seu primeiro lançamento, este parece mais uma maneira de lucrar em cima do saudosismo. Apesar disto, este ainda é um bom álbum e um item imperdível para os colecionadores.

Comentários

Comentários