Panic! At The Disco e o pop emo em A Fever You Can’t Sweat Out

Em 2005, Panic! At The Disco lançou A Fever You Can’t Sweat Out, o debute. Até então, a banda não possuía nenhuma pretensão. Formada por quatro amigos de infância recém saídos do ensino médio, é realmente difícil crer no sucesso que o álbum teve.

O álbum

Creio que seja seguro dizer que o sucesso do Panic! se deve ao seu estilo de som, algo bem peculiar à época. Uma grande mistura de pop rock, emo, pop, e demais gêneros fez com que este fosse uma das principais bandas da década passada. Graças ao mix, a banda obteve incríveis resultados comerciais. Aliás, no ano seguinte a banda conseguiu atingir a marca de “Disco de Platina Duplo”.

Falando um pouco mais sobre o álbum em si, o mesmo contém 13 faixas, que totalizam aproximadamente 39 minutos.

A primeira faixa, Introduction, é justamente como o nome sugere, uma introdução. Porém, nela já são apresentados alguns conceitos incomuns no meio emo. Além disso, o final da faixa abre espaço para a primeira música do álbum.

The Only Difference Between Martyrdom and Suicide Is Press Coverage se mostra uma faixa bem próxima do pop rock normal da época. Porém, em dado momento a utilização de sintetizadores já indica uma certa diferença em comparação aos demais.

Essa utilização de elementos da música eletrônica é o que diferenciou Panic! das demais bandas da época. Em Nails for Breakfast, Tacks for Snacks estes se encontram bem presentes. Além do sintetizador, também há um grande uso do auto-tune, o que deixa a voz bem distorcida.

Apesar de tudo, o maior destaque do álbum é I Write Sins Not Tragedies. A fim de lançar um single para capturar a atenção de diversos públicos para seu álbum, a banda acabou por inventar um padrão dentro do pop rock. Batidas rápidas, refrão chiclete, e uma base de guitarra simples se tornaram os principais pilares do gênero.

Conclusões de A Fever You Can’t Sweat Out

É seguro dizer que A Fever You Can’t Sweat Out é um clássico do emo e do pop rock. Afinal, as suas influências são reverberadas até hoje em músicas do gênero. Porém, o que muitos esquecem é a qualidade individual deste álbum.

A banda foi a principal pioneira do pop emo. Graças à ela que rolou a grande difusão do gênero no meio dos anos 2000. Isso se deve completamente às inovações aqui presentes. Em conclusão, Panic! At The Disco trouxe com este álbum algo que ainda não havia no mercado. Um emo descontraído e acessível para todos.

Comentários

Comentários