Wayne Szalisnki – Black Mirror: “o emo alternativo”

Wayne Szalinski é uma banda norte-americana, formada em 2012, considerada uma das principais exponentes do “emo indie”. Com influências variando desde bandas do cenário midwest emo até The Smiths e Arctic Monkeys, o grupo traz um som diferente do qual se está acostumado. Ademais, o nome da banda é uma referência ao protagonista do filme Querida, Encolhi as Crianças (1989).

Black Mirror é o primeiro álbum de estúdio da banda. Contém regravações de algumas das músicas lançadas nos seus EPs prévios, assim como canções inéditas. O álbum foi lançado em 2014. Comparado com o material mais antigo da banda, demonstra uma qualidade de gravação e produção muito superior (apesar de ainda não ser otimizada).

O que se pode esperar ao ouvir este álbum são músicas bem melosas e uma sonoridade divertida e descompromissada, diferente dos grandes nomes da indústria musical. A sonoridade, entretanto, é bem marcada pelo trabalho em conjunto da guitarra base com a solo, assim como a utilização da bateria.

Faixa a faixa de Black Mirror

A primeira música do álbum, Sweetness, é bem acelerada e mais animada. Tem um papel importante em introduzir algumas das referências musicais da banda. Posteriormente, a sonoridade pela qual a banda opta acaba se tornando mais melancólica e lenta.

Outras músicas que também recebem destaque são Kiss Me In The City Tell Me Lover e Atrophy for Lethargy. O álbum encerra com Some Collagist, bem calma e tranquila. É um final de certa forma inconcluso, porém funcional. Pois sente-se a falta de um desfecho para o álbum.

Black Mirror é um ótimo álbum para os fãs de indie rock, simulando muito bem a instrumentalização do gênero. Adicione uma pegada mais emo e melancólica ao invés da euforia tradicional.

É um ótimo álbum para se ouvir casualmente, enquanto se realiza mais tarefas, porém ao ser ouvido com uma certa atenção ele se torna um pouco mais cansativo. Isso se deve justamente a premissa descompromissada que a banda traz.

No geral, é um bom álbum e uma forte recomendação para os fãs de indie rock.

Comentários

Comentários