Geral

Morning Whispers é a grata surpresa do cenário de Campinas

BRUNA FARO

Morning Whispers é mais um artista que batalha diariamente para conquistar seu espaço na música. Com seu som cheio de influências folk, ele conseguiu achar seu público e já foi várias vezes comparado até com o inglês Jake Bugg, um dos grandes nomes do folk atual.

Porém, mesmo adorando essa comparação, o artista não vê seu trabalho tão parecido com o do britânico e diz que suas maiores inspirações são nomes que vão desde John Lennon a Bob Marley e Passenger, além dos icônicos anos 1960 e 1970.

Influências essas que estarão presentes em seu novo álbum, The Tale of The Boy with No Name, previsto para sair no fim de junho. O título é o mesmo de uma das faixas presentes no disco.

“Essa música foi baseada em uma pequena fábula que criei sobre um garoto que perdeu tudo e vive sozinho desde então”.

Whispers tem o costume de esconder mensagens de superação em suas letras. O single Hope, do novo álbum, foi dedicado a pessoas que sofrem de distúrbios de saúde mental.

“A todo momento estamos querendo expressar algo, para nós, para outras pessoas e para o mundo. Quando pego um instrumento e toco algo, tento entender qual a ligação que aquele único acorde ou ritmo tem com o que eu quero expressar no momento”.

Por trás de Morning Whispers está o estudante de Engenharia da Computação, Vinicius Emanoel Mendes, de 25 anos. O jovem de Campinas resolveu criar seu projeto folk em meados de 2017, quando percebeu a necessidade de se apresentar sem a presença de uma banda.

“Foi difícil aceitar que algumas pessoas simplesmente não queriam me acompanhar e formar algo maior. Então decidi criar canções nas quais posso tocar sozinho, sem precisar esperar por ninguém, apenas eu, meu violão e minha música”.

Seu som é totalmente independente. Ele compõe e grava todos os instrumentos sozinho. “Sou eu que faço tudo, desde a produção até divulgação. Crio as artes etc. É um enorme trabalho para uma pessoa só, mas o sonho nos move. A base do meu projeto sempre será essa, o sonho”.

Sua forma de criação acabou alcançando várias pessoas ao redor do mundo. De acordo com o Spotify, suas canções tocam em 25 países. Os Estados Unidos é o país com mais ouvintes, seguido pelo Brasil, depois Canadá e Reino Unido.

Conquistas essas inesperadas, mas que deixam Vinicius mais confiante a seguir seu sonho. Seus projetos futuros são fazer shows ao redor do Brasil, lançar algum EP e formar uma banda com pessoas que compartilhem do seu grande desejo de viver da música.

Comentários

Comentários