Resenha – Rituals of Power – Misery Index


CLÁUDIO AZEVEDO

E lá se vão mais de quinze anos que uma banda americana de nome esquisito estreou com Retaliate (2003), surpreendendo a todos os fãs de metal extremo com a brutalidade impiedosa de seu som. Em Rituals of Power, o mais novo novo lançamento do Misery Index, o quarteto de Baltimore entrega um dos melhores trabalhos de death metal do ano. Mark Kloeppel (voz, guitarra), Adam Jarvis (bateria), Jason Nethertom (voz) e Darin Morris (guitarra) são autênticas máquinas em suas funções e o resultado é primoroso.

Quem conhece a banda está ciente do estilo dos caras: um death/thrash com pitadas de grindcore e uma ou outra influência de hardcore (de bandas como Disrupt) extremamente agressivo, nervoso e pesado. Os riffs de guitarra , a exemplo de outros álbuns, ainda continuam com uma veia Slayer, chegando às raias do pesadelo em marteladas como Decline And Fall e The Choir Invisible.

New Salem, com suas mudanças bruscas de tempo e velocidade anormal, é disparado a melhor faixa do álbum, um ode à brutalidade e à demência sonora. E, para os sobreviventes da carnificina, as insanas I Disavow (palhetadas de sair faísca) e Naysayer (que bumbos!) servem para não deixar a menor margem de dúvida: o Misery Index é uma das melhores bandas surgidas de 2003 para cá.

A versão “deluxe” ainda conta com versões para Man of Your Dreams, do M.O.D (do grande Billy Milano) e Wasting Away, do Nailbomb (projeto de Max Cavalera) – um míssil. Para os que estão preocupados com o futuro do metal, experimente ouvir Rituals of Power alto, bem alto. Um ótimo retorno (o último lançamento havia sido The Killing Gods, de 2014) que faz do Misery Index uma banda obrigatória para fãs de extremismos.

Rituals of Power
Ano de Lançamento: 2019
Gravadora: Season of Mist

Faixas:
1-Universal Untruths
2-Decline And Fall
3-The Choir Invisible
4-New Salem
5-Hammering The Nails
6-Rituals of Power
7-They Always Come Back
8-I Disavow
9-Naysayer

Comentários

Comentários