Resenha – The World Serves to Evil – Monstrath

CLÁUDIO AZEVEDO

Formado em 2015 em São Paulo, o Monstrath debuta em 2018 com The World Serves to Evil, título mais do que apropriado para essa complicadíssima época em que estamos vivendo. Morales Elmano (baixo), Nico Teixeira (bateria), Ramirez Cortazar  e J. Luger (guitarras) e Loi Trejo (voz) formam essa banda totalmente inspirada pelo lado mais tradicional do death metal, ou seja, o inesquecível início dos anos 1990.

Se você gosta de Morbid Angel, Cannibal Corpse, Suffocation, Monstrosity e outros nomes do death americano daquela época, esse álbum foi feito para você. Estão lá os vocais guturalíssimos, mas sempre inteligíveis, a cozinha quebra-pescoço (blasts empolgantes) e os riffs ultra-distorcidos de guitarra. As cordas ainda carregam um pouco de bandas inglesas como Carcass e Bolt Thrower. É puro death metal.

Então o jeito é acionar o play e banguear como um doente ao som de Demon Sold, Child of God, Crushed Faith e Bag of Bones, cacetadas que irão dolorir a nuca dos mais desavisados.

The World Serves to Evil
Ano de Lançamento: 2018
Gravadora: Downfall Records

Faixas:
1-Demon Sold
2-Incubus in Church
3-Hellkhan
4-Child of God
5-Malum Suscitat
6-Stygian
7-Crushed Faith
8-Chains of The Soul
9-Bag of Bones
10-Perishing in Christ

Comentários

Comentários